Angela Lansbury

Nomes Alternativos: Angela Brigid Lansbury

Data de Nascimento: 16 de Outubro de 1925 (89 anos)

Local de Nascimento: Poplar, London, England

Pais: Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte

Sexo: Feminino

Biografia

Angela Brigid Lansbury, CBE (Londres, 16 de Outubro de 1925) é uma atriz britânica nascida na Inglaterra.

Angela Lansbury nasceu em Londres, Inglaterra, em 16 de Outubro de 1925. A sua mãe era uma actriz de origem irlandesa, Moyna Macgill que iniciou a sua carreira no cinema mudo, em 1920, no filme britânico Garryowen. Moyna viria a contracenar com a filha em duas longas metragens: The Picture of Dorian Gray, em 1945 e Kind Lady, em 1951. O pai era um bem sucedido homem de negócios, de nome Edgar Lansbury. O seu avô foi um político influente, George Lansbury, líder do Partido Trabalhista Britânico durante os anos 30. Isto garantiu-lhe uma infância financeiramente confortável, no entanto, viria a conhecer a tragédia com a morte do seu pai, devido a um cancro no estômago, quando Angela tinha apenas doze anos de idade. Depois disso, a sua mãe viria a envolver-se amorosamente com um escocês de nome Leckie Forbes, passando a viver em Hampstead. Sendo um antigo militar do Exército Britânico, com anos de serviço na Índia, o padrasto governava a sua casa de forma tirânica, com disciplina militar. Pouco antes do blitzkrieg ou ataque relâmpago alemão a Londres, durante a Segunda Guerra Mundial, foi dada a oportunidade a Moyna para viajar, junto com os filhos para os Estados Unidos. Assim, durante a noite, escapou da casa onde vivia, junto com Angela e os seus dois outros filhos, Edgar Lansbury e Bruce Lansbury, viajando de navio para Montreal, no Canadá, de onde partiu para a cidade de Nova Iorque. Após uma digressão representando em diversos palcos no Canadá, a mãe veio a estabelecer-se em Hollywood. Angela, e mais tarde os seus dois irmãos, vieram então morar com a mãe na área de Los Angeles.

Ainda durante o início da adolescência, Angela foi fortemente influenciada pela mãe que a estimulou a seguir uma carreira de actriz de teatro e cinema. Inclusive, ainda em Londres, a mãe costumava levá-la a peças no teatro londrino Old Vic. Além disso, retirou-a da escola que frequentava, a South Hampstead High School for Girls e inscreveu-a na Ritman School of Dancing e posteriormente na Webber-Douglas School of Singing and Dramatic Art. Durante a juventude, as suas estrelas de cinema favoritas eram as populares Deanna Durbin e Irene Dunne.

Já nos Estados Unidos, Angela Lansbury continuava a sonhar com uma carreira na arte de representação, mas tinha de se contentar em trabalhar como balconista numa loja em Los Angeles. Finalmente surgiu uma oportunidade quando, numa das frequentes festas que a sua mãe organizava para actores britânicos emigrados nos EUA, conheceu Michael Dyne, que também viria a tornar-se actor. Dyne apresentou-a a Mel Ballerino, director encarregado de escolher o elenco para uma adaptação cinematográfica da obra de Oscar Wilde, O Retrato de Dorian Gray (The Picture of Dorian Gray). Ballerino contratou-a para o papel de uma impertinente criada no filme Gaslight, produzido pela Metro-Goldwyn-Mayer em 1944, onde contracenava com Ingrid Bergman e Charles Boyer. Apesar de ainda não ter vinte anos e de ser o seu filme de estreia, Angela viu o seu trabalho imediatamente reconhecido ao ser nomeada para o Óscar da Academia para Melhor Actriz Secundária ou Coadjuvante. Depois de no mesmo ano ter participado no filme National Velvet, ao lado de estrelas como Mickey Rooney e Elizabeth Taylor, acabou por obter o papel de actriz secundária na referida adaptação do livro de Oscar Wilde. O filme com o mesmo título da obra, The Picture of Dorian Gray, realizado em 1945, trouxe-lhe nova nomeação para o mesmo prémio da Academia. Em ambos os anos acabou por não ganhar nessas categorias, sendo que os prémios foram entregues a Ethel Barrymore, em 1945, e a Anne Revere, em 1946. Acabaria por ser nomeada uma terceira vez para a mesma categoria pelo seu papel no filme de 1962 The Manchurian Candidate, com Frank Sinatra e Janet Leigh nos principais papéis, perdendo desta vez para Patty Duke. Segundo comentários da própria actriz, o papel de mãe impiedosa que desempenhou nesse filme foi o seu preferido em toda a sua carreira cinematográfica.

Lansbury foi uma das mais versáteis actrizes de Hollywood, participando em perto de uma centena de filmes de longa metragem e telefilmes. O seu mais recente papel no cinema, já com cerca de 80 anos, foi o de Tia Adelaide, no filme de 2005, Nanny McPhee, com Emma Thompson e Colin Firth nos principais papéis.

A popularidade de Lansbury cresceu a altos níveis devido ao espectáculo musical "Mame". Por volta dessa ocasião, aproveitando a sua fama, Lansbury participou em algumas causas humanitárias, tal como a participação num painel de convidados do popular programa da noite de domingo da estação televisiva CBS-TV, intitulado "What's My Line?", onde aproveitou para solicitar aos telespectadores que contribuíssem para a recolha de fundos da "Muscular Dystrophy Association" (Associação de Distrofia Muscular, dos EUA), organizada por outra estrela cinematográfica, Jerry Lewis.

Lansbury emprestou a sua voz a diversos personagens animados. Um das primeiras experiências foi no filme de 1982 The Last Unicorn Em 1997, foi a Imperatriz Dowager no filme Anastasia, produzido pelos estúdios da Fox. O seu mais famoso papel na animação, foi o ter dado voz à chaleira cantora Mrs. Potts, no êxito da Disney, Beauty and the Beast, de 1991, intitulado A Bela e o Monstro, em Portugal e A Bela e a Fera, no Brasil. Este filme viria a ganhar o Óscar de Melhor Canção e de Melhor Banda Sonora Original. Angela tornaria a dar voz à mesma personagem no lançamento directo para vídeo de novo filme da Disney, em 1997, intitulado Beauty and the Beast: The Enchanted Christmas, e no jogo de vídeo Kingdom Hearts II, de 2006.

Apesar de toda a sua extensa carreira no cinema e no teatro, tendo trabalhado para a televisão desde os anos 50, Angela Lansbury tornou-se especialmente famosa pelo seu desempenho na mundialmente conhecida série de televisão Murder, She Wrote, produzida pela CBS entre 1984 e 1996, em 12 temporadas com 263 episódios. A série, exibida em Portugal com o título "Crime, Disse Ela", e no Brasil intitulada "Assassinato por Escrito", tornou-se a mais longa série policial de ficção da história da televisão americana, tornando Angela Lansbury uma das mais bem pagas actrizes do mundo. Angela representava Jessica Fletcher, uma professora de inglês, retirada da profissão e a viver em Cabot Cove, no Maine, Estados Unidos, e que agora se dedicava a escrever mistérios policiais. Entretanto, via-se envolvida em pequenos mistérios, incluindo roubos, fraudes e mesmo assassinatos, os quais resolvia com grande intuição e inteligência, mas sem nunca perder a compostura, polidez e boa educação. Neste papel tornou-se uma estrela televisiva amada por milhões de espectadores em todo o mundo. Curiosamente, segundo afirmado pelos mais intímos, Angela é na vida real uma pessoa extremamente simpática e humana, conquistando facilmente a amizade de outros, tal como acontece com a sua personagem mais famosa.

Nomeada três vezes para os Óscares da Academia, não viria a lograr vencer em nenhuma das ocasiões. Quanto aos Emmys, Angela detém o recorde de mais nomeações, doze como melhor actriz em série de horário nobre e mais seis em ouras categorias, sem ter vencido uma única vez. Em contrapartida, venceu todos os quatro prémios Tony para os quais foi nomeada. É ainda detentora de diversos prémios de prestígio, incluindo a vitória nos People's Choice Awards e nos Golden Globe Awards. Foi ainda vencedora por duas vezes dos Sarah Siddons Awards, para melhor actriz dramática no teatro.

No início dos anos 90, do Século XX, a Rainha Isabel II do Reino Unido atribuiu-lhe o título da Ordem do Império Britânico. Foi designada uma das Lendas da Disney, em 1995. Recebeu o Prémio pelo Desempenho de Carreira do Screen Actors Guild, em 1997, foi homenageada pelo Kennedy Center Honors, em 2000, e possui uma estrela no Passeio ou Calçada da Fama, em Hollywood Boulevard.

Lansbury casou com o actor americano Richard Cromwell quando tinha 19 anos, tendo ele 35. O casamento desfez-se após um ano e, apesar de Angela o desconhecer na ocasião, Cromwell assumiu-se depois como homossexual. Apesar do divórcio permaneceram amigos. Em 1949, Angela casou-se com Peter Shaw, actor e empresário irlandês. Shaw viria a ser fundamental em gerir a carreira de Angela. Até à morte do seu marido em 2003, Angela desfrutou de um dos mais longos casamentos de que há memória no meio artístico mundial.

Tornou-se mãe de dois filhos, Anthony Pullen Shaw e Deirdre Angela Shaw, madrasta de David Shaw, bem como avó diversas vezes. O seu filho mais velho tornou-se realizador de televisão tendo dirigido a mãe em várias dezenas de episódios de Murder, She Wrote, bem como de cinco telefilmes baseados na mesma série.

Lansbury foi parente de Sir Peter Ustinov devido ao casamento da sua meia irmã com o actor, de quem se viria a divorciar em 1946. Os dois antigos cunhados vieram a contracenar juntos uma única vez, em 1978, no filme Death on the Nile, adaptação cinematográfica do livro com o mesmo título de Agatha Christie.