Paulette Goddard

Nomes Alternativos: Pauline Marion Goddard Levy

Data de Nascimento: 3 de Junho de 1910 (79 anos)

Data de Falecimento: 23 de Abril de 1990

Local de Nascimento: Queens, New York, USA

Pais: Estados Unidos da América

Sexo: Feminino

Biografia

Paulette Goddard, nome artístico de Pauline Marion Goddard Levy, (Nova Iorque[1], 3 de junho de 1910[2][3]— Ronco sopra Ascona, Suíça, 23 de abril de 1990) foi uma atriz dos Estados Unidos, famosa por seus filmes para a Paramount Pictures nos anos 40, e pelos seus casamentos com homens notáveis: Charles Chaplin, Burgess Meredith e Erich Maria Remarque.

Seu pai, Joseph Russell Levy, era judeu, e sua mãe, Alta Mae Goddard, era da igreja episcopal[4]. Divorciaram-se quando Paulette ainda era jovem, ficando ela aos cuidados da mãe. O pai praticamente desapareceu de sua vida, ressurgindo posteriormente, no final de 1930, depois que ela se tornou uma estrela. Inicialmente pareciam ter bom relacionamento, e assistiram juntos as estreias dos filmes, mas depois ele alegou em mais de um artigo de revista que ela o abandonou quando jovem. Eles nunca se reconciliaram e, após a sua morte, ele lhe deixou apenas um dólar em seu testamento. Ela ficou sempre mais perto de sua mãe e, nos primeiros anos, com a ajuda de seu tio-avô, Charles Goddard (irmão de seu avô).

Paulette frequentou a Washington Irving High School, em Manhattan, ao mesmo tempo que Claire Trevor, após o que decidiu se dedicar ao mundo artístico. Charles Goddard a ajudou a encontrar trabalhos como modelo, em especial com o Ziegfeld Follies, como uma das “Ziegfeld Girls” entre 1924 e 1928. Conseguiu participar do grupo de coristas ao alegar ter nascido em 1905, o que lhe conferia 5 anos a mais e a possibilidade de atuar nos palcos da Broadway, aos 15 anos de idade.

Sua estréia nos palcos foi na revista de Ziegfeld “No Foolin”, em 1926, e desempenhou um pequeno papel em “Rio Rita”[5]. No ano seguinte, fez sua estreia no palco atuando em “The Unconquerable Male”. Ela também mudou seu primeiro nome para Paulette, e adotou o nome de solteira de sua mãe (que também era o sobrenome do seu tio favorito Charles) como seu próprio sobrenome.

Paulette casou pela primeira vez aos 16 anos de idade, com o industrial do setor madeireiro Edward James. Em 1929, ainda casada, foi contratada por Hal Roach como extra. Em 1931, depois de se divorciar, foi para Hollywood. Participou do grupo “Goldwyn Girls”, nas comédias musicais de Eddie Cantor, produzidas por Samuel Goldwyn (ex-Samuel Goldfish, da Paramount); “The Kid from Spain” (O garoto da Espanha), “Roman Scandals” (Escândalos Romanos), “Kid Millions” (Cai, Cai, Balão).

Em 1932, Paulette conheceu Charles Chaplin, que a convidou para integrar o elenco de Modern Times (Tempos Modernos) (1936), filme que teve um grande sucesso na época. A sua sua carreira, contudo, não decolou devido aos comentários sobre seu relacionamento com Chaplin. Casaram-se secretamente nesse mesmo ano, acabando por se separar em 1940.

Ainda antes do lançamento de The Great Dictator (O Grande Ditador), de Chaplin, em 15 de abril de 1940, Paulette trabalhou em “The Young in Heart” (Jovem no Coração) (1938), de David O. Selznick, “Dramatic School” (Escola Dramática) (1938), da Metro Goldwyn Mayer e “The Women” (As Mulheres) (1939). Por causa do papel de "Miriam Aarons" em “The Women”, foi contratada pelos estúdios Paramount Pictures. Ficou na Paramount até 1949, fazendo 21 filmes, e sendo emprestada para outros estúdios em 4 filmes.

Os anos 40, foram o período em que Paulette mais trabalhou. Após The Great Dictator (O Grande Ditador) (1940), participou no filme de 1942, "Reap the Wild Wind" (Vendaval de Paixões), de Cecil B. DeMille e contracenou com Burgess Meredith em "The Diary of a Chambermaid" (Segredos de Alcova), de 1946, filme de Jean Renoir para o qual foi emprestada pela Paramount.

Foi indicada para o Oscar uma única vez, na categoria de "Melhor Atriz Secundária" por "So Proudly We Hail!" (A Legião Branca), de 1943, e seu filme de maior sucesso foi "Kitty" (1945), onde interpretou o papel título.

No início dos anos 40, era uma das estrelas top contradas pela Paramount. No final dos anos 40, entrou em declínio, tendo sido dispensada em 1949. Após sair da Paramount fez, entre 1949 e 1954, oito filmes como “free-lance”, entre eles “Anna Lucasta” (1949) e “The Torch” (Do Ódio Nasce o Amor) (1950).

Após atuar em alguns filmes B, abandonou o cinema e foi viver para a Europa, onde casou com o escritor alemão Erich Maria Remarque, no final da década de 1950. Só voltou a filmar em 1972, num filme para televisão "The Snoop Sisters".

Paulette foi uma das muitas atrizes que fez o teste para o papel de "Scarlett O'Hara", protagonista do filme Gone with the Wind, de 1939, papel que acabou ficando para Vivien Leigh. No mesmo ano atuou com Bob Hope em "The Cat and the Canary" (O Gato e o Canário), um filme considerado bom, mas nunca à altura de Gone with the Wind.

Além do casamento com Edward James, aos 16 anos de idade, Paulette foi casada ainda com Charles Chaplin e com o escritor Erich Maria Remarque.

Paulette conheceu Charles Chaplin em 1932, no iate de Joseph M. Schenck, então presidente da United Artists, e que posteriormente, ao lado de Darryl Zanuck, fundaria a 20th Century Fox[6]. Casaram-se secretamente, num casamento com muitas controvérsias, dúvidas e comentários, acabando por se separar em 1940. Havia comentários sobre o fato de seu casamento não ter sido testemunhado por ninguém, e de que nunca foram, realmente, casados.

Em 1944, Goddard casou com o ator Burgess Meredith, união que durou até 1949, e em 1958, com o escritor Erich Maria Remarque, autor de Sem Novidades no Front, ficando viúva em 1970.

Ela não teve filhos durante os seus quatro casamentos, mas foi madrasta de Charles Chaplin, Jr. e Sydney Chaplin, os filhos de Charlie Chaplin.

Após a morte de Remarque, com quem vivia longe do cinema nos arredores de Lugano, ao sul da Suíça, Paulette dedicou-se aos negócios com jóias. Ainda aceitou um papel, a de mãe de Claudia Cardinale em "Gli Indifferent" (Os Indiferentes), filme italiano. Seu último filme, feito para televisão, foi "Snoop Sisters" (também conhecido como "Female Instinct"), para a MTV, em 1972, dirigido por Leonard B. Stern, ao lado de Helen Hayes, Mildred Natwick, Craig Stevens e Jill Clayburn, fazendo um pequeno papel de uma estrela assassinada.

Goddard foi tratada de câncer de mama, aparentemente com sucesso, embora a cirurgia tenha sido muito invasiva e que o médico teve de retirar várias costelas. Mais tarde, ela se estabeleceu em Ronco sopra Ascona, na Suíça, onde morreu após uma doença de curta duração (supostamente) enfisema vários meses antes de seu aniversário de 80 anos. Ela está enterrada no cemitério Ronco, ao lado de Remarque e sua mãe.