filmow.com/usuario/50anosdecinema/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > 50anosdecinema
(BRA)
Usuário desde Junho de 2011
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Há uns 50 anos atrás, por volta de 1965 ou 1966, então com 9 ou 10 anos de idade, que eu tive as minhas primeiras experiências no mundo do cinema. Foi no "Cinema do Zezão", que ficava no fundo do bar do dono do mesmo nome, onde meu pai ia demonstrar sua "categoria" nas mesas de bilhar, quando eu e meus irmãos passávamos as tardes de domingo assistindo Roy Rogers, Tim Holt, John Wayne, Os Três Patetas, O Gordo e o Magro, Tarzan e tudo o mais que nos era permitido ver. Por uns 5 anos frequentamos o "Zezão", depois os cinemas do centro, e durante muitos anos não perdíamos uma matinê dominical. Com a entrada da TV em nossa casa passei a ir apenas uma ou duas vezes por mês ao cinema. Depois de adulto passei a ir ao cinema uma vez de 3 ou 4 meses apenas, até que chegou uma época em que fiquei uns 3 a 5 anos seguidos sem ver a tela grande. Aos poucos, já casado e com filhos, retornei a ir regularmente pelo menos uma vez por mês ao cinema; no entanto a TV foi uma parceira constante: Sessão da Tarde, Horário Nobre, Sessão Coruja. Raro o dia em que não assistia ao menos um filme, sem contar as séries e seriados. Com a chegada do Vídeo Cassete foi um "boom", depois o DVD e aí então, recuperei todo e qualquer tempo perdido. Hoje é o Netflix, o Youtube, e muitas outras formas e meios que disponho para fazer aquilo que mais gosto, assistir um bom (às vezes, nem tanto) filme. E agora, depois de 6 meses já aposentado, curtindo a família, e tendo um Border Collie como companheiro de corrida; resolvi aproveitar os meios e a oportunidade que este maravilhoso site nos dá, para também fazer as minhas listas. Mesmo porque acho que é o melhor meio de cadastrar tudo aquilo que já assisti, tanto quanto aos gêneros preferidos, como aos movimentos do cinema, aos temas e as formas também. Portanto, tome listas! (Março de 2016.)

Últimas opiniões enviadas

Todas (100) / Filmes (99) / Séries (0) ver mais
  • Rubens

    Como protagonistas, neste razoável faroeste, temos a bela Maureen O'Hara (Presa sempre ao mesmo personagem e com desempenho semelhante em filmes como este. Ela está mais consistente na personagem em "Rio Grande, 1950". ) e Jeff Chandler que já houvera interpretado o índio Cochise nos westerns “Flechas de Fogo, 1950" e "O Levante dos Apaches, 1952", agora interpretando um major da cavalaria americana. Além, lógico, de um excelente elenco de apoio.
    Porém, o fator de maior relevância é do roteirista John Michael Hayes, autor do clássico “Janela Indiscreta, 1954”, além de “Ladrão de Casaca, 1955”, e “O Homem que Sabia Demais, 1956”, todos ótimos suspenses do mestre Alfred Hitchcock. Este filme, no entanto, não é lá essas coisas.
    O maior problema do roteiro talvez seja falta de ritmo e de uma melhor "costura" (não encontrei palavra melhor) na história, tanto que ficamos sem entender direito certas situações, como o levante dos índios, por exemplo. Parece que eles surgem do nada, não há uma preocupação em mostrar como eles se reuniram em torno do chefe Satanta (Jay Silverheels) e do traidor, o capitão Roger Corwin (James Bannon), e qual era a relação entre eles, o que não foi explicado.
    E a personagem da jovem índia, Avis (Suzan Ball). que totalmente rebelada socialmente contra os costumes de sua própria gente, e que, sem nenhuma cena explicativa prévia, retorna para Pino (Dennis Weaver), seu namorado kiowa, deixando claro que ela retornara ao seio do seu povo. E por aí vai.
    Parece que o roteiro de Hayes queria demonstrar que havia índios bons e índios maus e que entre os brancos havia homens sensatos e estúpidos e em torno disso, as tramas secundárias. Aliás, não muitas.
    Num ponto ele acertou, o melhor do filme fica mesmo para o embate entre os questionamentos do Major Brady frente ao radicalismo do Coronel Meade (John McIntire). que expõem as chagas que determinaram o extermínio das nações indígenas, quer pelas forças bélicas, quer pela fome. Porém, antes dessas duas cruéis correntes de destruição, o preconceito contra uma raça "inferior" e a soberba de uma "superior". Infelizmente a história do mundo sempre foi assim.

    Pra finalizar, destaco novamente Maureen O'Hara, não neste filme, é claro, mas em três momentos memoráveis da bela irlandesa:
    O Corcunda de Notre Dame (1939),
    Como Era Verde o Meu Vale (1941) e
    Depois do Vendaval (1952).
    Todos os três filmes fazem parte da minha coleção particular "Pandora's Box Collection".

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Rubens

    Sinceramente, tento gostar dos filmes protagonizados por Cornel Wilde não é de hoje. Isto porque ele me recorda um tempo nostálgico que ficou na infância. Com filmes como "Aladin e a Princesa de Bagdá, 1945" e "O Filho de Robin Hood, 1946", por exemplos. No entanto, a cada experiência de reviver esta minha infância cinematográfica é um desastre. Talvez ao perder a inocência com a inexorável maturidade, que afinal, chega para todos, eu tenha deixado as fantasias no passado. Mas não deixei de gostar de cinema, e mesmo filmes sobre fantasias(!), apenas sou mais exigente. No caso deste filme, a premissa era alentadora, pois parte do fato de que o roteiro foi baseado na obra de Edison Marshall (1894–1967), que entre outros, o maior sucesso alcançado nas telas parece ter sido "The Vikings, 1958" com Kirk Douglas. Tony Curtis, Janet Leigh e o grande Ernest Borgnine. Mas, infelizmente, "O Tesouro do Condor de Ouro" não chega nem perto de ser bom, quanto mais um ótimo filme. Tinha tudo para ser, mas não é. O filme se divide em três partes: o início quando nos é apresentado o drama do protagonista; a segunda parte, quando nosso herói parte em aventura em busca da solução do seu problema; e a última parte, quando tenta a sua própria redenção e a salvação dos seus. A primeira parte foi razoável. A segunda, embora tenha sido filmado em locações e não em estúdio, faltou o que precisava ter tido, aventura. Além do simplicismo do roteiro que não oferece dificuldade nenhuma para os "aventureiros". Apostei na terceira parte. Mas novamente o roteiro nos deixa órfãos de uma conclusão bem costurada e bem conduzida. Clichês e mais clichês. Não que seja errado fazê-los, mas tem que ser bem feito. Sem contar a parte técnica. A coreografia da luta final, por exemplo, péssima. E por fim, a partir da metade do filme, já podia-se imaginar a sua sequência básica, e até o final! Infelizmente. Posso estar errado, é claro.
    Quanto a Cornel Wilde, os melhores filmes dele que já assisti, foram: "Amar Foi Minha Ruína" e "À Noite Sonhamos", ambos de 1945. Dos filmes de aventuras destaco "A Prova do Leão, 1965". Um filme baseado num argumento simples, mas com roteiro enxuto e bem direto. Impossível alguém que goste de filmes de aventuras não gostar.
    Todos estes três filmes fazem parte da minha coleção particular, que com as revisões, às vezes, aumenta, mas na maioria das vezes, diminui. A culpa é da idade, com certeza.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Francisco Paulo
    Francisco Paulo

    Rubens, obrigado por aceitar e se tiver uma oportunidade (e ainda não tiver visto), não deixe de ver esse ótimo Filme Estoniano. Indico para todos os meus amigos e não bate no bico. É bom demais:
    https://filmow.com/tangerinas-t93526/
    Abraços.

  • Filmow
    Filmow

    O Oscar 2017 está logo aí e teremos o nosso tradicional BOLÃO DO OSCAR FILMOW!

    Serão 3 vencedores no Bolão com prêmios da loja Chico Rei para os três participantes que mais acertarem nas categorias da premiação. (O 1º lugar vai ganhar um kit da Chico Rei com 01 camiseta + 01 caneca + 01 almofada; o 2º lugar 01 camiseta da Chico Rei; e o 3º lugar 01 almofada da Chico Rei.)

    Vem participar da brincadeira com a gente, acesse https://filmow.com/bolao-do-oscar/ para votar.
    Boa sorte! :)

    * Lembrando que faremos uma transmissão ao vivo via Facebook e Youtube da Casa Filmow na noite da cerimônia, dia 26 de fevereiro. Confirme presença no evento https://www.facebook.com/events/250416102068445/

  • Filmow
    Filmow

    Pessoal…

    O Oscar 2012 está chegando, e nós do Filmow resolvemos fazer um bolão para vocês usuários. E é claro que o vencedor não irá sair de mãos abanando, iremos dar um iPad 2 para o primeiro colocado.

    Então não perca essa chance, é só entrar na pagina do bolão, fazer o seu cadastro e já começar a dar os seus palpites.

    http://filmow.com/bolao-do-oscar/

    Participe e boa sorte.

Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.