filmow.com/usuario/alice_ayres/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > alice_ayres
34 years
Usuária desde Fevereiro de 2016
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Últimas opiniões enviadas

Todas (101) / Filmes (93) / Séries (0) ver mais
  • Alice Ayres

    Chega na mina (ou no boy) e fala:

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    "E eu quero brincar de esconde-esconde, te emprestar minhas roupas, dizer que amo seus sapatos, sentar na escada enquanto você toma banho.

    E massagear seu pescoço. E beijar seu rosto, segurar sua mão e sair para andar.

    Não ligar quando você comer minha comida, e te encontrar numa lanchonete para falar sobre o dia. Falar sobre o seu dia e rir da sua, sua paranoia. E te dar fitas que você não ouve, ver filmes ótimos, ver filmes horríveis. E te contar sobre o programa de TV que assisti na noite anterior e não rir das suas piadas.

    Te querer pela manhã, mas deixar você dormir mais um pouco. Te dizer o quanto adoro seus olhos, seus lábios, seu pescoço, seus peitos, sua bunda.

    Sentar na escada, fumando, até seus vizinhos chegarem em casa, sentar na escada, fumando, até você chegar em casa. Me preocupar quando você está atrasado, e me surpreender quando você chega cedo. E te dar girassóis e ir à sua festa e dançar.

    Me arrepender quando estou errado e ficar feliz quando você me perdoa. Olhar suas fotos e querer ter te conhecido desde sempre.

    Ouvir sua voz no meu ouvido, sentir sua pele na minha pele, e ficar assustado quando você se irrita.

    Dizer que você está linda, e te abraçar quando você estiver aflita, e te apoiar quando você estiver magoada, te querer quando te cheiro, e te irritar quando te toco e choramingar quando estou ao seu lado. E choramingar quando não estou.

    Debruçar-me no seu peito, te sufocar de noite e sentir frio quando você puxa o cobertor e sentir calor quando você não puxa.

    Me derreter quando você sorri, me desarmar quando você ri. Mas não entender como você pode achar que estou rejeitando você quando eu não estou te rejeitando, e pensar como você pôde pensar que eu te rejeitaria. E me perguntar quem você é, mas te aceitar do mesmo jeito. E te contar sobre o "tree angel", "o menino da floresta encantada" que voou todo o oceano porque ele te amava.

    Comprar presentes que você não quer e devolvê-los de novo. E te pedir em casamento, e você dizer "não" de novo mas continuar pedindo, porque embora você ache que não era de verdade sempre foi sério, desde a primeira vez que pedi.

    Ando pela cidade pensando. É vazio sem você mas eu quero o que você quiser e penso: Estou me perdendo, mas vou contar o pior de mim e tentar dar o melhor de mim porque você não merece nada menos que isso.

    Responder suas perguntas quando prefiro não responder, e dizer a verdade mesmo que eu não queira, e tentar ser honesto porque sei que você prefere. E achar que tudo acabou.

    Espera só mais dez minutos antes de me tirar da sua vida, e esquecer quem eu sou... E me deixa tentar chegar mais perto de você.

    E de alguma forma, de alguma forma, de alguma forma compartilhar um pouco do irresistível, imortal, poderoso, incondicional, envolvente, enriquecedor, agregador, atual, infinito amor que eu tenho por você."

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Alice Ayres

    Filme de uma sutileza avassaladora, fotografia fantástica, trilha sonora sob medida e interpretações maravilhosas!

    Moonlight fala de encontrar a própria identidade, dos momentos que te definem como pessoa, e sobre seu lugar em um mundo que te oprime e impõe quem você tem que ser.

    SE VOCÊ NÃO VIU O FILME, NÃO SIGA ADIANTE

    O filme é dividido através de 3 momentos decisivos na vida do protagonista: I Little (infância), II Chiron (adolescência), e III Black (vida adulta).

    O primeiro capítulo mostra a luta que Little enfrenta ao lidar com a solidão, perseguição de colegas que percebem que ele é "diferente", com sua mãe negligente e viciada em crack, e pelo sentimento de proteção que Juan, um traficante de drogas, lhe oferece.

    A chave desta primeira parte está no diálogo em que little pergunta a Juan: "- Você vende drogas?" "-Minha mãe compra drogas de você?". Por mais que o menino saiba que o traficante é um dos culpados pelo vício de sua mãe, ele sabe também que é por conta deste tipo de venda que Juan consegue uma vida estável e confortável.

    O segundo capítulo mostra a luta de Chiron contra um bullying que só aumenta, o primeiro amor, a indignação, e o desejo de fazer justiça que o leva à prisão.

    No terceiro capítulo mostra Black, na impossibilidade de ser a própria essência, transformando-se em Juan( sua figura paterna). Eis que então ele recebe uma ligação de Kevin... aquele ex zumbi, que quando você pensa que está morto aparece querendo te comer!!! rs

    Piadinhas à parte... É ele, seu primeiro e único amor, que talvez seja capaz de fazer com que Black, ao seu reconectar com seu passado, seja quem verdadeiramente é, e deixe para trás o que ele apenas construiu para conseguir respeito.

    Diálogos:

    Juan: Estou aqui há muito tempo. Fora de Cuba. Há muitos negros em Cuba. Você não sabe o que eu passei para estar aqui agora. Eu era um pequeno menino selvagem. Igual a você. Corria sem sapatos até a lua. Uma vez, me deparei com essa ... essa mulher idosa que estava me rodeando, não tinha comida, garoto. Estava correndo, gritando. Um pouco bobo, menino. Esta velha mulher me parou. E me disse ... "Correndo por aí, à luz do luar. À luz da lua, crianças negras parecem azuis. - Você é azul(Blue). É assim que você vai chamar: Azul "
    Little: Esse é o seu nome, "Blue"?
    Juan: (risos) Não ... Em algum momento, você tem que decidir por si mesmo quem você é. Você não pode deixar ninguém tomar essa decisão para você.

    Little: O que é uma bicha?
    Juan: Uma bich é ... uma palavra usada para fazer gays se sentirem mal.
    Little: Eu sou uma bicha?
    Juan: Não, você não é uma bicha. Você pode ser gay, mas não tem que deixar ninguém te chamar de bicha ...
    Little: Como eu sei?
    Juan: você apenas sabe ... Eu acho ...
    Teresa: Você vai perceber.
    Juan: Ei, não tem que saber agora ... ainda não ...

    Paula : Eu te amo Chiron. De verdade. Te amo bebê. Mas você não me ama. O Senhor sabe que não te dei amor quando necessário. Eu sei. Então você não tem que me amar. Mas você deve saber que eu te amo. Você me ouviu? Você me ouviu, Chiron?

    Black: Eu ouvi você, mãe.

    Kevin: Quem é você, cara?
    Black: Quem, eu?
    Kevin: Sim, black. Você. Essa pinta?Esse carro? Quem vc é, Chiron?
    Black: Sou eu, cara. Eu não estou tentando ser outra pessoa.
    Kevin: Bem, isso é quem você é agora? Você está durão agora?
    Black: Eu não disse isso.
    Kevin: Então, o que é? ... Olha, eu só estou tentando entender você amigo. Eu vi você e em um minuto eu percebi ... não era o que eu esperava. Não é bom nem mau. Só não é o que eu esperava.
    Black: Bem, o que você esperava?
    Kevin: Você se lembra da última vez que te vi?
    Black: Por muito tempo tentei não pensar nisso. Tentei esquecer todas as vezes. As boas ... as más. Tudo isto.
    Kevin: Sim. Eu sei.

    Kevin: Eu nunca tive nada que valesse. Eu apenas continuei. Nunca fiz algo que realmente queria fazer. Então fiz o que todo mundo achava que eu deveria fazer. Eu nunca tinha sido eu realmente.

    Adorooooo:

    Dicen que por las noches no más se le iba en puro llorar,
    Dicen que no comia no mas se le iba en puro tomar,
    Juran que el mismo cielo se extremecia al oir su llanto,
    Como sufria por ella que hasta en su muerte la fue llamando,
    Ay, ay, ay, ay, ay
    Cantaba
    Ay, ay, ay, ay, ay
    Gemia
    Ay, ay, ay, ay, ay
    Cantaba...

    <3 <3 <3<3 <3 <3<3 <3 <3<3 <3 <3<3 <3 <3<3 <3 <3<3 <3 <3<3 <3 <3<3 <3 <3<3 <3

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Alice Ayres

    Superprodução pra que, quando temos atores perfeitos(não exagero no perfeito), um roteiro fantástico e diálogos para lembrarmos pelo resto de nossas vidas?!?!?!

    Um enredo baseado na psicologia e vida de um homem, e seu impacto sobre sua família.... nos faz pensar sobre nosso relacionamento com nossos pais, e sobre o quanto eles replicam a educação que receberam e o quanto querem o nosso bem, mesmo quando às vezes nos fazem mal, sobre nosso casamento, sobre a importância do respeito mútuo...

    Algo duro de se ver, já que mostra o lado lindo de SER FAMÍLIA, mas o lado sujo também; que fala sobre frustrações, ressentimentos, responsabilidades, racismo, das mentiras que contamos para não assumirmos a nós mesmos os nossos fracassos, de amor, traição e das nossas imperfeições.

    De todos os filmes (que vi) badalados para o Oscar, sem dúvida alguma foi o que mais gostei até agora.

    SE VOCÊ NÃO VIU O FILME, NÃO LEIA O RESTANTE.

    A cena dos filhos cantando no dia do velório do pai simplesmente ACABOU comigo, levei mais de 30 minutos para conseguir parar de chorar.

    “Well, I had an old dog and his name was Blue
    Yes, I had an old dog and his name was Blue
    Well, I had an old dog and his name was Blue
    Bet ya five dollars he's a good dog too
    Old Blue died and I dug his grave
    I dug his grave with a silver spade
    Let him down with a golden chain
    And every night I call his name
    Go on Blue, you good dog you
    Go on Blue, you good dog you
    Blue laid down and died like a man
    Blue laid down and died
    Blue laid down and died like a man
    Now he's treeing possums in the Promised Land
    I'm gonna tell you this to let you know
    Blue's gone where the good dogs go
    When I hear old Blue bark
    When I hear old Blue bark
    Blue treed a possum in Noah's Ark”

    Trecho de um comentário que li na internet e que amei:

    “O blue não se refere apenas a um cão, mas ao “blues", às canções líricas negras do luto, que misturam comédia e tragédia como em nenhuma outra arte. A letra parece engraçada no papel (ela é sobre um cachorro no céu), mas quando cantada, ela provoca uma catarse.

    Essa músicas é a maneira de Troy, e depois Cory e Raynell, responderem a um mundo que os rejeitou. Troy poderia se fazer de vítima de sua tragédia, ou ele poderia ter uma vitória sobre seu sofrimento e cantar o blues. A canção dá a ele e a seus filhos uma maneira de ambos chegarem a um acordo e compartilharem seu sofrimento.

    DIÁLOGOS:

    "Quando os pecados de nossos pais nos visitam,
    nós não temos que ser anfitriões.
    Podemos bani-los com Deus em Sua Grandeza e Leis.

    "Eu aprendi meu erro e aprendi a fazer o que é certo por meio dele. Você ainda está tentando obter algo para nada. A vida não te deve nada. Você deve isto a si mesmo.

    "Você não acha que eu sempre quis outras coisas? Você não acha que eu tinha sonhos e esperanças? E a minha vida? E quanto a mim. Você não acha que já passou pela minha cabeça querer conhecer outros homens? Querer ir para algum lugar e esquecer minhas responsabilidades? Que eu queria alguém para me fazer rir para que eu pudesse me sentir bem? Você não é o único que tem desejos e necessidades. Mas eu me agarrei a você, Troy. Eu levei todos os meus sentimentos, meus desejos e necessidades, meus sonhos ... e eu os enterrei dentro de você. Eu plantei dentro de você e esperei para florescer. E não levou dezoito anos para eu descobrir que o solo era duro e rochoso e que nunca ia florescer. Mas eu me agarrei a você. Eu te segurei mais apertado. Você era meu marido. Te devia tudo o que eu tinha. Em cada parte minha eu podia encontrar você. E no andar de cima naquele quarto ... com a escuridão caindo sobre mim ... Eu dei tudo que eu tinha para tentar apagar a dúvida de que você não era o melhor homem do mundo. E onde quer que você estivesse indo ... Eu queria estar lá com você. Porque você era meu marido. Porque essa é a única maneira de eu sobreviver como sua esposa. Você está sempre falando sobre o que você dá ... e o que você não tem que dar. Mas você também. Você recebe ... e você nem sabe que alguém está dando! "

    "Algumas pessoas constroem cercas para manter as pessoas de fora, outros constroem para manter as pessoas dentro."

    "-Pai, por que você não gosta de mim?
    -Gostar de você? Eu saio daqui todas as manhãs ... porque eu gosto de você? Você é o garoto mais tolo que eu já vi. É o meu TRABALHO. É minha RESPONSABILIDADE! Você entende isso? Um homem tem que cuidar de sua família. Você mora em minha casa ... dorme na minha roupa de cama ... enche sua barriga com minha comida ... porque você é meu filho. Você é minha carne e sangue. Não porque eu gosto de você! Porque é meu dever cuidar de você. Eu lhe devo responsabilidade! Vamos direto ao assunto ... antes que isso siga adiante ... Eu năo tenho que gostar de você. O Sr. Rand não me dá cinco dólares, porque ele gosta de mim. Ele me dá porque ele me deve. Eu te dei tudo o que eu tinha que dar. Eu dei a sua vida! Eu e sua măe trabalhamos isso entre nós. E gostar de sua bunda negra não fazia parte do negócio. Não leve a vida se preocupando se alguém gosta de você ou não. É melhor você ter certeza de que eles estão fazendo o certo pra você. Você entende o que estou dizendo, garoto?"

    "Ok, Troy ... você está certo. Eu cuidarei de seu bebê para você ... porque ... como você diz ... ela é inocente ... e você não pode visitar os pecados do pai sobre a criança. Uma criança sem mãe tem dificuldade. De agora em diante esta criança tem uma mãe, mas você é um homem sem mulher.

    "Troy: Você está certo! Você está cem por cento certo! Eu passei os últimos dezessete anos me preocupando com o que você tinha. Agora é a sua vez, entendeu? Vou te dizer o que fazer. Você cresceu. . . Nós não estabelecemos isso... Você é um homem. Agora, vamos ver você agir como um. Dê a volta e caminhe para fora deste quintal. E quando você chegar lá no beco. . . Você pode esquecer esta casa. Entendeu? Porque esta é a minha casa. Vá em frente e seja um homem e tenha sua própria casa. Você pode esquecer isso. Você pode esquecer isso. Porque isso é meu. Vá e garanta o seu porque eu terminei de fazer isso por você. "

    "CORY: Você nunca me deu nada! Você nunca fez nada além de me deter. Com medo que eu fosse melhor que você. Tudo que você fez foi tentar me assustar. Eu tremia cada vez que você chamava meu nome. Toda vez que ouvia seus passos na casa. Pensando o tempo todo ... o que papai vai dizer se eu fizer isso? ... O que ele vai dizer se eu fizer aquilo? ... O que papai vai dizer se eu ligar o rádio? E mamãe, também ... ela tenta ... mas ela tem medo de você. "

    "CORY: O tempo todo eu estava crescendo ... vivendo na casa dele ... Papai era como uma sombra que me seguia por toda parte. Isso pesava em mim e afundava em minha carne. Isso poderia me envolver a ficar ali até que não pudesse mais dizer quem era eu. Essa sombra escavando em minha carne. Tentando me arrastar para dentro. Tentando viver através de mim. Onde quer que eu olhasse, Troy Maxson estava olhando para mim ... escondido debaixo da cama ... no armário. Só estou dizendo que tenho que encontrar uma maneira de me livrar dessa sombra, mamãe.

    "ROSE: Você não pode ser ninguém, além de quem você é, Cory. Essa sombra não era nada além de você crescendo em você mesmo. Você também tem que deixá-la crescer ou cortá-la para caber você. Mas isso é tudo que você tem que fazer com a vida. Isso é tudo que você tem para se medir contra esse mundo lá fora. O teu pai queria que você fosse tudo o que não era ... e ao mesmo tempo ele tentou te transformar em tudo o que era. Eu não sei se ele estava certo ou errado ... mas eu sei que ele queria fazer mais bem do que ele queria fazer mal. Ele nem sempre estava certo.

    "ROSE: Eu me casei com seu pai e se estabeleceu que eu faria seu jantar e manteria seus lençóis limpos na cama. Quando seu pai andava pela casa, ele era tão grande que a "encheu". Esse foi meu primeiro erro. Não fazer com que ele deixasse espaço para mim, mas naquela época eu queria isso. Eu queria uma casa em que eu pudesse cantar nela. E foi isso que seu pai me deu. Eu não sabia que para manter a força dele eu tinha que desistir de pequenos pedaços de mim. Eu fiz isso. Eu assumi a vida dele como a minha e misturei as peças para que as pessoas não pudessem dizer qual era qual mais. Foi minha escolha. Foi a minha vida e eu não tive que viver assim. Mas isso é o que a vida me ofereceu na forma de ser uma mulher e eu aceitei. Agarrei isso com as duas mãos."

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.