filmow.com/usuario/ann_ttr/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > ann_ttr
28 years Fortaleza - (BRA)
Usuário desde Abril de 2013
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

△▽△

ᛉ Heill Óðinn, Heill auk Sæl! ᛉ

χαῖρε Ζεύς!

ॐ 南無阿弥陀仏 ॐ

ॐ नरसिम्हाय विद्महे
वज्रनखाय धीमहि
तन्नो विष्णु प्रचोदयत्
ll. मंत्र. ॐ चंद्राय नम: ll
ॐ नमः शिवाय

☩ Lumen Christi, alfa et ômega, díssipet ténebras, cordis et mentis. ☩

▽△▽

Últimas opiniões enviadas

  • Annatar

    Gostava do Moore da época do Roger and Me e Bowling in Columbine, antes de virar um apêndice da grande mídia, a extrema-imprensa, antes de atingir o patrimônio de 50 milhões de dólares, 9 casas, etc, criticando o que lhe fez rico, perdendo totalmente a credibilidade das massas que lhe viam devido aos filmes supracitados, que realmente abordavam problemas sérios como a globalização e a falta de empregos locais ou a análise profunda dos sintomas de uma sociedade que levam pessoas a cometerem barbaridades, mas ultimamente o estamento midiático, que ele faz parte cordialmente, está usando tanto a tática nazista de que quando você conta uma mentira grande, repetidas vezes, ela torna-se verdade, ao ponto de até de quem não simpatizava com o trampe, iniciou a analisar de fato a situação americana, cavoucar a realidade e enxergar com outros olhos. Por um lado está sendo interessante observar a decadência do "jornalismo" ocidental, que devia convir na informação factual e imparcial, porém infelizmente tornaram-se meras ferramentas políticas para os grandes oligarcas e engenheiros sociais, demovendo cada vez mais a janela de overton aos seus prospectos, usam o fenômeno psicológico backfire effect a todo instante, uma tentativa debalde de quem quer implantar o "progressivismo" e o estatismo custe o que custar, a revelia da própria população, que pouco se fode para a política, mas que desde do tecnocrata, belicista com esteroides (o pai das guerras drônicas e de diversas proxy-wars pelo mundo) e nobel da paz (?) Obama (para mais informações, aconselho ver o doc do escritor best-seller americano, Dinesh D'souza, "2016: Obama's America"), o cidadão médio sentiu na pele o papel vital da política e a decadência econômica provocado pelo (des)governo do "democrata", além do endividamento geral sem precedente histórico, para guisa de informação, 1929 foi uma marolinha...

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Annatar

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    De demônios a fadas, OVNIS a Pés-grandes, contos do inexplicado têm sido parte da história da humanidade desde do princípio. Teóricos dos antigos alienígenas olharão para a Bíblia e relacionarão cada evento bizarro a alienígenas, enquanto um estudioso de religião verá os encontros modernos com alienígenas como manifestações de demônios. O Pé-Grande e outros criptóides têm um hábito estranho de aparecer próximo a avistamentos de OVNIS. E aqueles que encontram um desses fenômenos frequentemente descobrem novas habilidades psíquicas. Poderia haver uma causa comum que explique todos os fenômenos paranormais? Uma das mais famosas experiências paranormais é o incidente do Homem-Mariposa de 1966. Durante 13 meses, Point Pleasant, na Virgínia Ocidental, a pacata cidade foi atormentada por avistamentos de um humanoide alado bizarro, acompanhado por misteriosas luzes no céu, mutilações de animais e outros relatos de atividade paranormal. O jornalista John Keel ficou famoso ao documentar esse prolongado período de eventos incomuns no seu livro "As profecias do Homem-Mariposa", mais tarde adaptado num filme sofrível e desnecessário, como quase tudo produzido por Hollywood. Esses eventos simultâneos não eram novidades para Keel. Ele costumava descrever certas áreas janelas, "portais", locais específicos em nosso planeta, como o Utah, Arizona, Novo México, Colorado, a famosa região dos Four Corners, a Serra do Roncador, Alto Paraíso, os Pampas argentinos, algumas áreas da Sibéria, diversas florestas, no mundo todo, do leste europeu até certas regiões amazônicas, algumas regiões costeiras e de mar aberto, etc, locais onde os eventos paranormais eram muito mais prováveis e até mesmo esperado que ocorressem. Para quem já presenciou e acredita no paranormal, a maior frustração muitas vezes está na falta de evidências físicas em abundância. Algumas marcas de pouso aqui, um pouco de pelo ali, um odor pujante, e até mesmo algumas fotografias ou filmagens ocasionais não parecem ser suficientes para convencer os céticos. Depois de décadas pesquisando esses casos, John Keel vai desenvolver uma elegante hipótese, que explica a disparidade problemática entre os testemunhos excessivos e a escassez de evidências físicas. No seu livro, "A Oitava Torre", escrito pouco depois do outro acima, ele propõe uma teoria unificada para explicar todos os fenômenos paranormais. Essas entidades podem mudar o espectro eletromagnético á vontade, aparecendo e desaparecendo quando bem desejam. Keel chamou isso de "superespectro" e ele se referiu aos seres que habitam nele como "ultraterrestres". Isso poderia explicar a variedade de efeitos eletromagnéticos frequentemente associado aos fenômenos paranormais, como carros parando, quedas de energia, rádios e telefones enlouquecendo, dispositivos operados por bateria recusando-se a funcionar. É muito comum relógios de pulso e de parede pararem na presença de tais seres. Keel acredita que esses seres são nativos da Terra, o que explica sua manifestação em suas diferentes formas, ao longo das eras, mas que eles habitam dimensões físicas além da percepção humana normal. Essa teoria se adéqua aos entendimentos científicos de como nossos cérebros percebem o mundo a nossa volta, assim como se adéqua a teoria da incerteza de Heisenberg. Sabe-se que nossos sentidos são capazes apenas de captar uma pequena fração muito pequena da atividade física. Cães, gatos e outros animais são capazes de ver e ouvir frequências sonoras e visuais que não conseguimos. Seria coincidência que eles pareçam ter um sexto sentido para o paranormal? O psicólogo de animais, Marti Miller, disse que "a percepção do sobrenatural é natural para os cães, por quê eles não julgam isso. As pessoas podem ver espíritos ou auras, mas elas não acreditam que existem, ou pensam que, se existem, não conseguiríamos vê-los". É um tipo cegueira intelectual auto-infligida. Além disso, nossos orgãos sensoriais estão constantemente captando muito mais informação do que nossos cérebros podem processar. Uma das funções mais críticas da resposta sensorial do cérebro é filtrar informações que considera desnecessárias. O reconhecimento de padrões desempenha um papel importante nesse processo. Quando você algo que parece uma árvore, seu cérebro reconhece a forma geral de uma árvore e rapidamente cria a ideia de uma árvore, o reconhecimento de padrões estéticos foi parte fundamental para nossa sobrevivência e evolução no planeta, como por exemplo, observar a simetria de uma fruta madura, tenra e suculenta, e reconhecer que isso seria um bom alimento, invés de escolher a fruta sem simetria, sem beleza e com sinais de podridão e por ventura vim a adoecer e não sobreviver. O fenômeno Baader-Meinhof é a noção de que quando a mente percebe algo ou um padrão novo, ela começa a perceber tal coisa mais frequentemente, de forma que, pelo menos para o observador, vai aparentar ser algo além de uma mera coincidência. O princípio da Consiliência é o princípio científico de que fontes de informação independentes e sem relação podem convergir e se tornar conclusões fortes. Mas o que acontece quando você observa algo que não se adéqua a nenhum padrão reconhecido? "Aquilo em que prestamos atenção é em grande parte determinado por nossas expectativas do que deveria existir", disse Christopher Chabris, um psicólogo cognitivo, em uma entrevista para o NYT, "sem esperar algo, é improvável que prestemos atenção", diz ele, "e quando não prestamos atenção em algo, é surpreendentemente provável que não o vejamos". Isso também poderia explicar o motivo comum, descrito por Keel e por outros pesquisadores, de que quando se começa a se estudar esses fenômenos, eles começam a refletir de volta, ocorrendo com mais frequência, e até mesmo respondendo aos seus pensamentos. Parece que uma vez que seu cérebro reconhece esses seres e começa a prestar atenção a eles, sua chance de vê-los aumenta. Nos anos 60, o escritor Gustav Davidson, compilava um espesso livro de relatos históricos chamado "O Dicionário dos Anjos". Davidson nunca teve uma experiência paranormal antes. Mas enquanto escrevia, ele foi "literalmente atormentado por anjos". Participantes do crescente movimento CE-5, dão um passo além ao agirem intencionalmente, para convocar esse tipo de contato. Um contato imediato de 5º grau refere-se a uma experiência em que alguém interage de uma forma proposital com um OVNI (segundo o Pentágono, o termo correto é UAP, Unknown Aerial Phenomenon) ou os seus ocupantes. Alguns ufólogos, como o criador do método, Steven Greer, desenvolveram protocolos para iniciar voluntariamente o contato, acreditando que uma meditação focada pode levar a uma interação com seres nas proximidades. Os praticantes afirmam um surpreendente nível de sucesso com esses protocolos, gerando todo tipo de documentação, como luzes estranhas e outras manifestações durante as meditações CE-5. Será que estamos sempre cercados por esses ultraterrestres e a nossa atenção focada é tudo que precisamos para percebê-los? Claro, existe a possibilidade de que a existência de entidades paranormais ao longo da história possa ser atribuída a teoria de Jung do inconsciente coletivo, se revelando através de imaginações vividamente hiperativas. Ou poderíamos estar vivendo em um planeta multidimensional densamente povoado, juntamente com seres que interagiram conosco por séculos, senão milênios, deixando pequenos vestígios dentro de nossa estreita percepção da realidade?

    William Friedkin -- Você me perguntou mais cedo se eu fosse fazer qualquer outra coisa sobre o diabo.
    Jeffrey Burton Russel -- Certo.
    W. F. -- E você pareceu preocupado quando me perguntou isso.
    F. B. R. -- Sim.
    W. F. -- Por que estava preocupado?
    F. B. R. -- As pessoas devem ficar longe do assunto tanto quanto possível. Quanto mais você se abrir para pensar nessas coisas, e você começa a sentir algo sobre essas coisas, mais espaço você abre para o sobrenatural, para o poder do mal entrar.

    Queria aproveitar a data, 31 de Outubro, dia de Samhain, popularmente comemorado como o Halloween, All Hallows' Eve, amanhã sendo o dia de todos os Santos, para tecer esse breve comentário. Cuidado com o que você consome, principalmente a cultura tóxica moderna, São João nos alerta sobre a "concupiscência dos olhos", pois "os olhos não se fartam de ver, nem os ouvidos de ouvir" (ecl, 1,8), assim como Aristóteles, elegemos a visão como o melhor dos sentidos devido a capacidade desta de nos gerar impressões, e disso, o conhecimento. O objetivo desse filme não é causar medo como outro filme qualquer de terror, não tem como objetivo se aprofundar no tema exorcismo ou demonologia. Este filme não é um mero documentário.
    Este filme é um alerta.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Annatar

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    É uma pecha até hoje, mas esse foi o primeiro filme a ser exibido na Casa Branca, por ninguém menos que presidente Woodrow Wilson, um racista e simpatizante declarado do Klan, além der ser um "Democrata". Na história das relações civis entre as "raças" e direitos civis, conhecer a história do partido Democrata americano esclarece muitas coisas. É claro como os Democratas usaram os negros para executar seus planos, até os dias atuais. Pra quem não sabe, o Partido Democrata era o partido da Escravidão americana, não se engane pela propaganda dos filmes de 'far-west' que tentam retratar republicanos como racistas e coisas piores. Depois da proclamação da emancipação de Abraham Lincoln (republicano), durante a guerra da secessão, pôs fim a escravidão. Em 1865, o partido Dem. estava em frangalhos. Poucos depois, um homem chamado Nathan Bedford Forrest vai fundar um negócio chamado Ku Klux Klan, para um "país de brancos, onde homens brancos mandam", além dele ser um dos delegados mais comprometidos da convenção Democrata. O objetivo central do Partido Democrata era restabelecer a supremacia branca. Em 1868, o lema do partido Democrata era "Este é um país de homens brancos, deixe um homem branco governar". O pior era a retratação dos negros nas panfletagens, lembra o que o partido Nazi fez, onde os Democratas brancos "imaculados" lutavam contra os Republicanos negros. Mas por quê os negros eram uma ameaça para os "democratas"? Os negros eram a maioria nos estados do Sul. Logo, eles enviavam muitas pessoas para as legislaturas estaduais e até para o Congresso, onde tinham 22 pessoas, um verdadeiro pesadelo para os brancos "Democratas", aos poucos sendo governados por negros. A reação foi brutal: o braço militar e a máquina de guerra do partido Democrata era ninguém menos que o Klan e os alvos eram negros e Republicanos brancos, como o congressista James Hind, o primeiro membro do Congresso a ser assassinado. Durante o regime de terror do Klan, mataram mais de 3.000 negros e 1.000 Republicanos brancos. Tudo era válido para se manter o poder: instituir leis discriminatórias (Jim Crow) e extrema violência para manter os negros em posições subalternas. Tudo foi mantido sob os panos para cobrir os rastros do partido Democrata, mas enfim, o racismo vai continuar forte até o século XX, como denotado por esse filme. Com o tempo o racismo vai tomar outras formas, o senador democrata Benjamin Tillman declamou exatamente estas palavras: "Enquanto os negros continuarem a violentar nossas mulheres brancas, continuaremos a linchá-los! O homem branco não irá ceder, para que o homem negro ceda aos seus desejos com nossas esposas e filhas sem linchá-los!". Muito antes da Rosa Parks recusar-se a sentar na parte traseira de um coletivo, já houve uma heroína negra e jornalista chamada Ida B. Wells, que recusara-se a ceder um lugar da 1º classe no trem para um homem branco. Porquê não ouvimos falar dela? Por quê ela era uma Republicana, ela trabalhava em um jornal Republicano que denunciava linchamentos. Uma de suas mais importantes denúncias foi o linchamento do jovem Henry Smith, na qual ela estava presente e relata: "Depois que arrancaram as roupas dele e pendurá-lo em uma árvore, enquanto alguns da turba cravavam facas em sua carne, outros assistiam com uma visível satisfação. A lição que isso nos dá, que cada negro deve ponderar bem, é que um rifle Winchester deve ter um lugar de honra em cada lar negro, e deve ser usado para sua proteção, que a Lei se nega a dar! Precisamos nos levantar contra a regra da multidão, não só de um ponto de vista emotivo, nem mesmo de uma perspectiva de justiça de uma raça fraca, mas pelo desejo de preservar nossas instituições americanas. A luta contra o linchamento tem a mesma importância moral que a luta contra a escravidão, já que o linchamento do jovem Henry Smith mostrou que estamos alinhados com a morte e compactuados com o Inferno!". Uma declaração memorável de que os negros precisavam dos direitos da 2º Emenda, pois no sul, quando os democratas passaram as Leis contras os negros, estabeleceram que se você fosse negro, não poderia possuir uma arma, logo, o KKK pode invadir seu quintal e você não tem formas de se defender. A 2º Emenda era de extrema importância para os negros, e ela batalhou ferrenhamente, pois enquanto os negros estivessem desarmados, seriam presas fáceis para os racistas. É claríssimo que um dos primeiros esforços do Partido Democrata para se ter controle de armas teve um motivo RACISTA, como quase tudo que os Democratas se propunham. Na década de 20 o Klan teve um reavivamento graças ao fã de carteirinha do movimento, o presidente supracitado. Esse filme provocou o renascimento do movimento KKK na América, o filme cita Woodrow Wilson, denuncia a era Reconstrutivista, quando os negros brevemente comandaram, o desarmamento dos negros, além de retrata-los, representados por brancos com o rostos negros, como predadores feios, vulgares e não-civilizados, que tinham como único prazer estuprar mulheres brancas. Outra linha do "progressivismo" moderno toma é a ideia de Eugenia, um tipo de anti-natalismo. Margaret Sanger, uma afiliada feminina do KKK, foi a fundadora da Paternidade Planejada, na década de 20. Para ela, a "eugenia" significava a libertação e o cultivo dos melhores elementos "raciais" da nossa sociedade e a gradual supressão, eliminação e extirpação de "reservas defeituosas". Para ela, matar um membro da "família" americana era um ato de piedade e caridade. Na época de Sanger, técnicas de eliminação racial como linchamentos haviam se tornado tabu dentro do Partido Democrata, logo, Sanger liderou uma medida diferente, para conseguir resultados semelhantes. O "Negro Project" foi a solução. Por meio das "Clínicas da Mãe", o projeto conseguiu implantar nas comunidades de negros um controle de natalidade e outras medidas eugenistas. Ela conseguiu amealhar pastores negros para convencer a população. Um dos casos mais famosos de eugenia na história americana foi a da Carry Buck, uma jovem branca acusada de "retardo mental" e obrigada a uma esterilização assistida e forçada. O caso foi para na Corte Suprema e um juiz, não citarei quem nem sua declaração final, disse que não havia problema em esterilizar a força essa mulher, que por sinal, não possui-a problemas mentais, ela lia e era perfeitamente capaz. Em 1937, Franklin D. Roosevelt, democrata de NY, vai criminalizar a maior cultura agrícola do mundo, a Cannabis, por razões de competição econômica (ironicamente, durante a 2º guerra foi necessário incentivar o plantio da planta por causa da qualidade da fibra para se fazer cordas, roupas e para-quedas), contra as indústrias do plástico, farmacêutica (antes de 1937, a maioria, se não todos os remédios possuam cannabis na sua composição), do papel e do algodão, mas principalmente, por razões RACISTAS, pois era hábito comum dos hispanos fumarem "Mary Juana", assim como os artistas negros e negros comum, foi uma "solução" sagaz, pois se não podiam prender e matar negros e hispanos por serem negros e hispanos, poderiam fazer isso pelos seus hábitos do dia-a-dia, hoje vemos o resultado dessa política claramente. Tudo isso através do poder do Estado, apenas porquê o Estado possuía essa ideia de como a população deveria ser e quem deveria ter direito de ter filhos, o resultado disso: Dezenas de milhares de pessoas foram esterilizadas a força por todo EUA. O Ford (sim, aquele Ford, o pai do consumismo, um dos motivos que quebrou os EUA em 1929) e os Nacionais-Socialistas admiravam tanto a ideia de Sanger, que adotaram em seus programas. As primeiras pessoas eliminadas pelo regime Nacional-Socialista não eram judeus, eram deficientes mentais, inválidos, et al. Eles invadiam hospitais e eliminavam tais pessoas. Até os dias de hoje, você encontrará sucursais da "Paternidade Planejada" em bairros negros na América. Em 2012, no vídeo de abertura da convenção democrática, havia o seguinte: "O Governo é a coisa a qual todos pertencemos". É uma inversão total de valores. O Governo pertence a Nós, nós não pertencemos ao Governo. Somos cidadães, e não subordinados. As instituições mediadoras, como os cientistas sociais chamam igrejas, sinagogas, sindicatos, família, amigos, são essas instituições que nos dão um norte, uma sensação de Ordem, de um lugar no mundo, porém, esse é o papel que o Estado está fazendo atualmente! Não preciso dizer o quão isso é perigoso. Logicamente, esse "progressivismo", nos afastam da ideia de liberdades individuais. Essa ideia de um Estado centralizador, como no caso do Brasil, são antípodas as ideias que fundaram os EUA, são opostas as ideias liberais clássicas que diz que o fruto do seu trabalho pertence a você, que nossos direitos naturais vem de Deus, da Razão e/ou da Moral, e não imposto a Força, por pura Técnica ou de um Governo, e de que somos cidadães e não subordinados. É claro que hoje em dia o Partido "Democrata" (a esquerda americana) repudiam essas coisas, exceto uma mulher chamada Hillary, que declarou abertamente sua admiração pela Sanger, além de dizer que há "muitas lições que podemos tirar de sua vida e da causa que ela iniciou".

    P.S.: Percebi que há diversos justiceiros sociais usando o exemplo do "Blackface" para cotejar com este filme. "Blackface", do filme O Cantor de Jazz (1927), é baseado na peça de um judeu chamado Samson Raphaelson, foi produzido pelos Irmãos Warner, quatro judeus emigrados da Polônia, de sobrenome Wansol ou Wonskolaser, o estúdio foi fundado em 1923, enfim, o tal "blackface" era um judeu (além do Al Jolson, o protagonista, também o ser, assim como os maquiadores, assim como o diretor, Alan Crosland, como a grande maioria dos diretores americanos até os dias de hoje, e de que seus filmes na época eram direcionados para a população judia americana) que cresceu numa família judia ortodoxa, e como ele se liberta da ortodoxia judaica? Bem, acho que dá pra imaginar... Ele lutava contra o etnocentrismo cultural de seu pai, um rabino Judeu, em seu sonho de ser tornar um cantor de Jazz, nicho cultural dominado pelos negros da época, ou seja, é literalmente um filme sobre a cultura e identidade judia, o filme inicia mostrando a herança do pai do Al Jolson, um Rabi e cantor de hinos da Sinagoga local, continuando a longa tradição da "raça" judaica (transliteração do que está no filme, não sei se os Judeus realmente se consideram uma etnia a parte, independente da melanina ou falta dela na pele). Acho que a maioria dos SJW brasileiros (idiotas úteis existem em todos os países) nem viram o filme, muito menos fazem pesquisa histórica, mas fazer o quê. Bem, o filme "As Branquelas" consegue ser mais racista que os filmes do "Blackface".

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Nenhum recado para Annatar.

Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.