Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

filmow.com/usuario/bathyry/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > bathyry
18 years Aracaju - (BRA)
Usuário desde Julho de 2015
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

"I've seen things you people wouldn't believe. Attack ships on fire off the shoulder of Orion. I watched C-beams glitter in the dark near the Tannhäuser Gate. All those moments will be lost in time, like tears in rain." (Blade Runner, 1982)

Lista de Filmes 10/10: https://filmow.com/listas/filmes-10-10-l94414/

Twitter: @bathyry
Facebook: https://www.facebook.com/thiago.dias.33449
Last.fm: http://www.last.fm/user/thyPPKERU
Letterboxd: https://letterboxd.com/bathyry/

Últimas opiniões enviadas

  • Thiago

    A ação humana pode ser calculada mas cria efeitos que estão muito além de nosso controle.

    Eu tenho um certo apreço por filmes que tratam de tragédias e que usam o acaso como elemento determinante e a forma que esse filme trabalha isso é bacana. Todas aquelas tramas se entrelaçando nada mais é do que acontece na vida real, pessoas se relacionam e essas relações vão se chocando umas com as outras até o ponto que nem dá mais para tomar conhecimento de como certo evento aconteceu.

    A policia obviamente nunca vai conseguir desvendar o que realmente aconteceu nesse emaranhando de coisas, e isso fica muito claro na cena final, o personagem do JK Simmons só quer encontrar uma solução qualquer para tudo aquilo e fechar o caso e o que sair ditará o que acontecerá com todos envolvidos. A ineficiência de usar lógicas objetivas em coisas tão subjetivas que os Irmãos Coen sempre trabalham.
    É tão trágico que se torna algo engraçado.

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    Ps: A cena em que o personagem do Brad Pitt leva o tiro na testa é muito similar a uma clássica cena de Veludo Azul de David Lynch. E acredito que o fato de ambos os filmes envolverem a relação do irreal com o real pode ter sido uma referência que ficou excelente.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Thiago

    E então saiu o esperado curta dirigido pelo Bruno Albuquerque, grande cara que acompanho a um bom tempo e vejo todo seu fascínio pelo sci-fi focado nessa pegada 'Cloverfieldiana' e isso se mostra evidente demais aqui.
    Toda a situação nos joga numa misteriosa investigação de viés científico, ciência essa que faz o papel do sobrenatural nesse tipo de obra. A barreira do que é "possível" é quebrada por algo que envolve física (entre outras coisas de exatas rs) talvez dando um senso maior de realidade e da nossa vulnerabilidade perante tais "leis naturais".

    Minha primeira impressão com o curta foi de confusão total, o que não impediu que eu pudesse apreciar bastante toda a parte técnica, embora eu ache a construção da situação de alguma forma meio estranha, eu ainda comprei toda a ideia que vai desde a iluminação irreal 'Suspiriana/Refniana' ás questão de dimensões paralelas e etc... É um trabalho super considerável e novo no nosso cenário brasileiro. Espero que muita gente assista!

    E agora vem o terreno perigoso e difícil, mas não menos legal. As teorias:

    Será que Reverberação é um filme de teoria objetiva? É o que me pareceu, ele segue um caminho bem direto, como se o roteirista estivesse determinado a criar um quebra-cabeça e você deve desvendar, seguindo um caminho mais Donnie Darko do que um caminho David Lynch.
    O que não impede que cada um tenha sua interpretação.

    Abaixo coloco minha interpretação, na verdade são mais reflexões que tive, pois não tenho algo totalmente fixo, mas vai lá:

    *SPOILER ALERT*
    - As coisas se iniciam e vemos César-vítima amarrado. Como tudo chegou até ali? Bom, acho que isso é facilmente respondido pelo sangue escorrendo de sua cabeça, certamente o César-executor o deu uma pancada na cabeça enquanto ele estava distraído e o amarrou ali e ficou esperando ele acordar fumando um cigarrinho na varanda. Coisa que qualquer um de nós preocupados com nosso destino faríamos, rs.

    - "Eu preciso explicar o que é que está acontecendo... E porque você está se vendo?"
    Quase um momento de humor negro essa parte haha
    Mas em seguida ele começa a dizer que pensou em outros lugares para fazer isso, mas não tem possibilidade sem interferência externa. O que mostra que ele se preocupa em não criar um paradoxo temporal e alterar os fatores que irão acontecer e que ele já conhece.
    Mas mesmo assim ele pergunta ao César-vítima se ele ainda trabalha de office-boy, o que talvez queira mostrar que ele ainda tem medo da incerteza de entrar numa dimensão onde tudo é diferente. Mas logo percebe que não.

    - "Daqui a 5 dias irão entregar um pacote que tem uma INFORMAÇÃO SIGILOSA que não pode chegar lá"
    Nesse momento as coisas começam a ficar ainda mais confusas para mim, eu comecei a brisar em ideias envolvendo Gato de Schrodinger. Poderia ser esses 2 a representações do gato vivo e morto? Isso ficou ainda mais evidente quando César-executor diz "VOCÊ NÃO TEM IDEIA DO QUE TEM ALI DENTRO" com bastante intensidade.
    E após o César-vítima perguntar "Mas o que aconteceu?" começam a acontecer interrupções bem estranhas, uma delas bem na mão do César-executor. O que simboliza uma interferência na realidade, talvez ele esteja com algum problema, se desfazendo igual McFly em Back to the Future por acontecer algo que o impeça de "surgir".

    - Então eles bolam um plano, que vem da mente de César-vítima para um problema que somente César-executor parece saber. Ele desamarra e parece que tudo ficará bem. Mas então ocorre a "traição" e o César-executor lança uma faca nas costas de César-vítima (outra coisa a se refletir é o fato de César-executor está com uma faca relativamente grande desde o ínicio) e diz que já haviam tentado isso sem sucesso. Então começa a desferir golpes sem parar até matar o César-vítima e tentar "De novo" em outra dimensão, como ele mesmo diz na frase que encerra o curta.

    O Executor é um homem com um problema que não consegue resolver. Sendo que ele já tentou isso várias vezes, então ele abusa de si mesmo em procura da solução. Seria isso uma alegoria? A procura da resposta para a incerteza colocada em pauta no Gato de Schrodinger, que ao abrir a caixa você descobre se o gato estar vivo ou morto e tem a resposta objetiva da existência lhe dando finalmente um sentido para a vida. Então fico pensando se não é sobre a representação desse conflito humano pela razão de existir.
    A verdade é que eu não sei, igual César.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.