filmow.com/usuario/brunamartins54772/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > brunamartins54772
Belo Horizonte - (BRA)
Usuária desde Junho de 2014
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Últimas opiniões enviadas

  • Bruna

    É um bom filme! Possui uma excelente ambientação e muitos aspectos diferentes e inovadores que até então eu não tinha me deparado no cinema nacional, como o futuro distópico, a violência tarantinesca, e claro, um clima de western em pleno Nordeste brasileiro! As tensões, o suspense, a ação e a comédia funcionam muito bem. Se ele tivesse sido menos aclamado, talvez eu teria gostado mais. Mas pelas médias altíssimas nos sites de cinema e pela chuva de comentários positivos, esperava algo genial, e isso, sinceramente eu não encontrei aqui.

    Críticas à classe média brasileira que se acha branca e superior, ou à dominação americana/europeia já são coisas batidas que estamos carecas de ver. Esse tipo de crítica ainda é válida quando feita de forma sutil e sugestiva, mas nesse caso, temos uma caricatura expositiva. A mensagem de coletivismo, resistência, a homenagem às revoltas de Pernambuco e ao povo nordestino como um todo ficaram bem claras, e são sim muito pertinentes, porém não foram construídas de forma empolgante e emocionante, de maneira a envolver e a conversar com todos os públicos, algo que ao meu ver é um dos principais aspectos que caracterizam algo como genial: falar sobre um tema importante e fazer a mensagem tocar em quem jamais entenderia ou se importaria com o tema. Nesse aspecto, Bacurau me parece mais um filme de nicho, estrito a um certo público fechado que vai sempre bater palma para as mesmas coisas que até poderiam ser geniais há 30 ou 40 anos, mas que hoje exigem uma releitura acerca das novas realidades e perspectivas (fora das bolhas), inovação e criatividade. Eu espero isso, e principalmente, sei que o cinema nacional pode entregar mais.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Bruna

    Posso estar redondamente enganada, mas de acordo com a minha mais modesta percepção, esse filme não se trata e nem tem a intenção de fazer uma crítica social, aliás, eu até acho que essa linhagem de pensamento contribui muito para a narrativa de que o longa seria tóxico e poderia influenciar pessoas que também se sentem desajeitadas na sociedade. Afinal, se o filme trata acerca das injustiças e maldades do mundo, se rebelar insanamente como o Coringa seria justo, aceitável e até mesmo louvável, não?

    Pra mim, Joker, é "apenas" o filme do Joker. E digo isso entre aspas porque estamos falando a respeito de um dos melhores e mais icônicos personagens da nossa cultura popular, cuja fama vai muito além da esfera dos quadrinhos. E por esse mesmo motivo, fazer um filme sobre ele não seria "apenas" isso. É um personagem complexo, que carrega consigo várias camadas, várias temáticas e abertura para as mais diversas formas de abordagem. Acredito que seja por isso que tanta gente focou tanto nesses outros aspectos tratados no filme. E até compreendo esse tipo de interpretação, mas que ela é perigosa, isso é. Quem é fã do personagem, acompanha as HQs, as animações etc já percebeu que o Coringa não tem esse senso de moral e lógica politizada que as pessoas estão querendo atribuir a ele a partir desse filme. Coringa é caos, aleatoriedade, loucura pela loucura. E mesmo aqui, isso fica bem claro a medida que ele vai se transformando, até chegar no momento em que ele diz não acreditar em nada e que não estava representando nenhum ato político. Dali pra frente, se o filme tivesse mais 2 horas, no final teríamos um Coringa típico do qual já estamos habituados. Acontece que "Joker" é um filme de origem, e como todo filme de origem, ele busca significados e "justificativas" para o personagem ser o que é hoje, é uma construção.

    Coringa, além de todos os transtornos mentais, pode sim ser configurado como um sociopata. E como disse anteriormente, ele possui abertura às mais diversas formas de abordagem, e neste caso, temos aqui uma leitura autoral extremamente realista de uma cidade desigual, caótica e corrupta, sob a estrita perspectiva de um homem que possui problemas mentais graves, que já era conhecido como um vilão, mas que nos induz a enxergá-lo como anti-herói, e é exatamente por esse mesmo motivo que o filme é tão maravilhoso, porque funciona. Nos identificamos com ele, criamos empatia e compramos a ideia, mas é isso. Não se trata de uma crítica à desigualdade do mundo, nem de uma narrativa de como a sociedade corrompe as pessoas, ou uma visão romântica acerca da violência e da loucura. Ver o filme sob essa ótica é o que o torna tão polêmico, porque visto dessa forma, ele realmente pode abrir brecha para sentimentos misantropos e revoltosos, ou de que seria um filme vitimista e irresponsável.

    Joaquin Phoenix encarnou a melhor versão realista do Coringa que eu pudesse imaginar; magro, estranho, perdido, meio afeminado, melancólico, violento. Não tenho palavras pra descrever tamanha alegria que eu tive de ver um dos meus personagens preferidos ser retratado com tanto cuidado e dedicação assim, esse momento é único! É isso que a gente espera de você, DC, que trate com carinho seus personagens, pois eles valem como pedras preciosas para nós.

    Todd Phillips... O que dizer desse cara que mal conheço e já considero pakas?! Joaquin Phoenix dispensa comentários, depois disso tudo, Heath Ledger sorri em paz em algum lugar agora! <3

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Nenhum recado para Bruna.

Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.