filmow.com/usuario/dieguito/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > dieguito
Bagé - (BRA)
Usuário desde Setembro de 2010
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

'Todo homem é uma ilha. Eu sou Ibiza!' [Um Grande Garoto]

.

'Eu nunca frequentei a escola de cinema. Eu frequentei o cinema.' - Quentin Tarantino.

.

Status: Assistindo a menos filmes do que gostaria e tentando manter o número de favoritos na casa dos dois dígitos.

.

¿Dónde están los dislikes?

Últimas opiniões enviadas

  • Diego.

    Guarda algumas semelhanças com o Death Ship de 1980, mesmo não sendo considerado um remake deste. O fato é que as poucas qualidades e os muitos defeitos são praticamente os mesmos: ambos iniciam a viagem de forma empolgante e vão afundando desastrosamente à medida que a trama avança. Aliás, a sequência de abertura de Navio Fantasma é nada menos do que memorável, sinistra e merecedora de todos os elogios dentro do gênero. Gabriel Byrne e Julianna Margulies trazem alguma credibilidade, mas estão pouco à vontade em seus papéis. A ambientação é o que há de melhor no longa, mas a direção ruim acaba por atrapalhar qualquer tentativa de causar apreensão no público. O mistério todo não convence, o verdadeiro vilão da história é previsível (alguns minutos e você já sabe de quem se trata) e a última cena consegue a proeza de tornar o filme ainda mais descartável.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Diego.

    Falar da(s) inspiradíssima(s) performance(s) de James McAvoy é chover no molhado, já que o ator é praticamente uma unanimidade. Então, vamos às outras qualidades que o longa possui! O roteiro é muito inteligente, original e nada ali é aleatório. Fragmentado é intrigante do início ao fim que, aliás, não me decepcionou.

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    O surgimento d'A Besta foi surpreendente e deu aquele tom fantástico que tava faltando pra ser uma legítima obra do controverso diretor, por mais que pareça destoar num primeiro momento. A convivência com os animais do zoológico e o meio como fatores determinantes na evolução da 24ª identidade deram um toque de genialidade ao desfecho. E a referência ao cultuado Corpo Fechado entusiasma até mesmo quem não é fã de heróis, quadrinhos e possíveis elementos de um universo compartilhado.

    Um thriller divertido e muito bem construído que, apesar de ser entretenimento puro, cativa ainda mais por manter um dos pés na realidade.

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    Além do Transtorno Dissociativo de Identidade e distúrbios psicológicos em geral, a produção aborda diversos assuntos sempre pertinentes de serem discutidos como o poder da mente, a pedofilia e a empatia entre vítimas de abusos e traumas.

    Anya Taylor-Joy é promissora e a veterana Betty Buckley destaca-se como coadjuvante, mas nós sabemos quem domina aqui: o multifacetado protagonista e o grande contador de histórias que, felizmente, não perdeu sua capacidade de envolver o público. Shyamalan vive!

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Diego.

    São duas atuações poderosíssimas e complementares. De um lado, Anne Bancroft dá vida à personagem-título com precisão, autenticidade e sem excessos. Do outro está Patty Duke, numa das maiores interpretações infanto-juvenis de que se tem notícia. Fiquei totalmente impressionado com a garota e esse talento absurdo. Mas também me senti incomodado, aflito, tocado e, em certos momentos, me peguei rindo de nervoso tamanho o desafio que era para a professora em fazer Helen libertar-se das limitações e da falta de entendimento. A direção de Arthur Penn é firme e jamais renega a origem teatral da obra, onde a casa dos Keller é praticamente o único cenário que temos, os embates entre as protagonistas chegam a ser coreográficos e o texto é primoroso, com diálogos que ecoam na mente muito tempo após o término do filme. A sequência da sala de jantar desestabiliza qualquer um e o desfecho é inesquecível. A superproteção e despreparo da família com relação à deficiência de Helen é algo tão presente até hoje, o que faz de O Milagre de Anne Sullivan uma produção atemporal e de suma importância. Assistam!

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Felipe Leal Polo
    Felipe Leal Polo

    Obrigado!

  • Bianca Bonifácio
    Bianca Bonifácio

    Nossa, eu queria muuuito ter ido ver Fragmentado no cinema /:, vou ter que esperar para assistir agora.
    Eu terminei as series que queria muito ver, agora estou vendo aleatoriamente algumas quando da tempo só. Não assisti Twin Peaks ainda, mas pretendo!
    Ainda não vi Invocação 2 haha, perdi um pouco da paixão por terror/suspense. Só assisto quando alguem me faz assistir junto ou que seja muito comentado, tipo a bruxa (amei o filme)

  • Diego Soares
    Diego Soares

    E daí Diego, quanto tempo? Aqui esta tudo bem, espero tu também esteja bem. Que bom que tu tá conseguindo voltar a ver filmes no cinema, achei o La La Land muito bacana (acho que deveria ter levado no lugar do Moonlight) e achei o Fragmentado muito bom, assisti ele com o mínimo de informações (só tinha visto o trailer), e acabei me surpreendendo. Mês passado eu vi dois ótimos filmes no cinema, o Logan e o Kong-A ilha da caveira, gostei bastante dos dois. Espero que uma hora dessas consiga assistir o Breaking bad vale muito a pena. Também estou com vontade de rever o Twin Peaks antes de maio, mas o problema é sempre o tempo mesmo. Tudo de bom pra ti, bons filmes e um abração!