Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

filmow.com/usuario/dudaandrads/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > dudaandrads
21 years Canoas - (BRA)
Usuária desde Junho de 2018
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Últimas opiniões enviadas

  • Eduarda Andrade

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    "Owen: Estou com medo.
    Annie: Do quê?
    Owen: Opção B. Annie, a mesma coisa acontece sempre que conheço alguém, ou me aproximo de alguém. Eu estrago tudo. Vou ficar frustrado um dia e gritarei com você do nada sobre algo insignificante em que estou obcecado. E você vai parar de me ligar. E vai mudar o seu número e isso vai partir meu coração. É mais fácil se você não for real."

    Um dos muitos diálogos da série que te pegam de jeito. Na forma mais diferente possível eles conseguem fazer quase como uma terapia intensa com os protagonistas, nos fazendo mergulhar em cada episódio nos sentimentos e nas vontades dos dois, nos fazendo conhecer um pouco de cada a medida em que a série vai avançando. Entendemos os motivos que os levaram até lá e até conseguimos entender o porquê de os dois se conectarem de pronto. Sem contar as inúmeras referências cinematográficas, que vai de Senhor dos Anéis, passa pelos anos 40 e seus mafiosos e até temos um vislumbre de um filme sobre a 2ª Guerra Mundial e até um casal classe média residente de um subúrbio americano nos anos 80. Ótimas escolhas, que nos ajudam a entender muitos dos sentimentos e das escolhas feitas pelos dois. A Emma Stone foi maravilhosa, como sempre, conseguindo nos mostrar traços da Annie até mesmo nas outras 'personagens' na qual interpretava, nos fazendo entender as vontades e os traumas da personagem. Jonah Hill, ao meu ver, foi uma grata surpresa, nunca tinha visto um trabalho dele sem ser comédia e acho que ele acabou por se destacar mais nos episódios finais, mostrando toda a vulnerabilidade e insegurança que o Owen trazia desde infância - coisas que ocorreram por consequência da família manipuladora e que sobrevivia apenas de imagem. Juntos os dois tiveram uma química sem igual, fazendo com que a gente torcesse pela amizade dos dois do início ao fim. A série para alguns pode parecer sem ritmo algum, mas observando os detalhes, as cores e a fotografia, podemos perceber que tudo isso nos leva a personalidade dos personagens e aos seus sentimentos mais profundos. Não me decepcionou de forma alguma. Mais uma ótima produção da Netflix.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Eduarda Andrade

    "Men do not naturally not love. They learn not to."

    "Ned Weeks: I belong to a culture that includes Marcel Proust, Walt Whitman, Tennessee Williams, Alexander the Great, so many popes and cardinals you wouldn't believe. Mr. Green Beret, did you know that it was an openly gay Englishman who's responsible for winning World War II? His name's Alan Turing and he cracked the Germans' Enigma code. After the war was over, he committed suicide because he was so hounded for being gay. Why didn't they teach any of that in schools? A gay man is responsible for winning World War II! If they did, maybe he wouldn't have killed himself and you wouldn't be so terrified of who you are. That's how I want to be remembered. As one of the men who won the war."

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.