filmow.com/usuario/erickcoelho_/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > erickcoelho_
25 years (BRA)
Usuário desde Julho de 2011
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Últimas opiniões enviadas

  • Érick Coelho

    Como fã, fiquei chateado de não terem entrevistado ninguém do Slowdive, mas entendo que, para a narrativa, eles talvez fossem irrelevantes pra chegar ao ponto da história onde eles queriam. Só achei mancada terem praticamente ignorado totalmente a existência da banda e outras da cena shoegaze, como o Adorable, o Medicine (que ainda podia entrar no ponto da expansão americana) que naquele contexto foram sim relevantes no Reino Unido.

    Já, terem subestimado totalmente o Loveless, achei um furo inaceitável. Esperava tratamento no mínimo igual ao do Screamadelica. Você termina o documentário achando que ele foi só mais um álbum, de só mais uma banda da Creation. Apenas tocando levemente no ponto de que ele teria sido o responsável por falir a gravadora, mas sem dar total dimensão de toda a mística que ele carrega. Os dois ANOS de gravação em vez dos cinco DIAS previstos inicialmente, as dezenas de estúdios, engenheiros de som e produtores diferentes contratados até a banda (Kevin Shields) se sentir satisfeita, um dos estúdios confiscando todos os equipamentos da banda porque a Creation não tinha mais como pagar, o perfeccionismo (genialidade? rs) do Shields que o levou a "loucura" e ao isolamento (numa vibe bem Brian Wilson mesmo) na tentativa de gravar um sucessor para o Loveless, que demorou 22 anos para ser lançado. Enfim, tinha que ter mais Kevin Shields, tá pouco.

    Por outro lado, o roteiro é tão bem escrito que, mesmo não ligando para o Oasis, até eu fiquei empolgado quando eles explodem e com o superconcerto em Knebworth. Só achei desnecessário -não é possível que em 2010 o Oasis ainda arrastasse tanto público assim- o destaque e a voz que dão ao Noel Gallagher e o messianismo com que falam do Oasis. Além de por vezes darem a impressão de que o Oasis era o clímax da obra e não

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    a auto-destruição do Allan McGee

    .

    No mais, achei o documentário sensacional. Não conhecia muito da história de muitas das bandas citadas e da gravadora, mas o roteiro bem amarrado e a narrativa bem construída, fizeram parecer que o trabalho de pesquisa foi bom. Entrevistas bem conduzidas e entrevistados afiados intercalados com cenas de arquivo incríveis (e numa qualidade espantosa!) dão o tom. Tudo tão acessível e catchy quanto uma música do Boo Radleys e empolgante como um show do Ride. Aliás, outro ponto alto do documentário é a trilha sonora majestosa, mas isso já era de se esperar, né.

    Ah, e tem na Netflix US!

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • S.
    S.

    SEU MERDA, ME DEVOLVE MINHA COXINHAAAAAAAAAAAAAA!
    ps: te odeio ♥
    :*

  • Filmow
    Filmow

    O Oscar 2017 está logo aí e teremos o nosso tradicional BOLÃO DO OSCAR FILMOW!

    Serão 3 vencedores no Bolão com prêmios da loja Chico Rei para os três participantes que mais acertarem nas categorias da premiação. (O 1º lugar vai ganhar um kit da Chico Rei com 01 camiseta + 01 caneca + 01 almofada; o 2º lugar 01 camiseta da Chico Rei; e o 3º lugar 01 almofada da Chico Rei.)

    Vem participar da brincadeira com a gente, acesse https://filmow.com/bolao-do-oscar/ para votar.
    Boa sorte! :)

    * Lembrando que faremos uma transmissão ao vivo via Facebook e Youtube da Casa Filmow na noite da cerimônia, dia 26 de fevereiro. Confirme presença no evento https://www.facebook.com/events/250416102068445/

  • Beatriz Fontes
    Beatriz Fontes

    Sim!

Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.