filmow.com/usuario/guilhermecd/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > guilhermecd
(BRA)
Usuário desde Julho de 2012
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Apenas um amante das artes, da história, das línguas e das ciências.

"Art attracts us only by what it reveals of our most secret self." - Jean-Luc Godard
"I am all full of goodbye poetry in a body aching to write about new beginnings." - Emma Bleker
"The urge to destroy is also a creative urge." - Mikhail Bakunin
"Art is a lie that enables us to realise the truth." - Pablo Picasso
"Take me on long walks and to warm coffee shops." - Ming D. Liu
"We travel for romance, we travel for architecture, and we travel to be lost." - Ray Bradbury
"We never stop loving silently those we once loved out loud." - Marina Abramovic
"I am drunk with the wine of me, intoxicating of my own being." - Muriel Strode
"My melancholy is the most faithful sweetheart I have had." - Søren Kierkegaard
"My love, I fear the silence of your hands." - Mahmoud Darwish

- tumblr: www.phosphor-us.tumblr.com
- last.fm: http://www.lastfm.com.br/user/Silv3reyes

Últimas opiniões enviadas

  • Guilherme

    Tive a oportunidade de assistir ao documentário antes de seu lançamento oficial e ainda ter espaço para debate dentro da universidade com os diretores. Acho que o aspecto mais interessante do filme é a abordagem do diálogo. Seja em Cuba, como a próprio Yoani expressa, ou aqui no Brasil, pelos embates de opiniões entre os manifestantes que se evidenciaram durante todo o filme. É triste e incômodo ver que, seja você direitista ou esquerdista, o posicionamento extremista de qualquer lado acaba por gerar não silêncio ou censura, mas um ruído tão absurdo que o diálogo perde espaço. O embate político acaba não por ser reprimido, mas ináudível num meio tão caótio como o abordado pelo filme e que Yoani viveu em sua viagem aqui no Brasil.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Guilherme

    Tenho visto inúmeras opiniões, algumas de admiração e outras de desgosto. Eu sinceramente não gostei do filme no geral e fiquei me questionando por um bom tempo o porquê disso sendo que há quem o ache brilhante. Li vários comentários em diversas fontes e acabei optando por me expressar também.

    É um filme de forte conteúdo poético. Achei belo em certos momentos, principalmente em algumas frases (algumas já citadas em comentários abaixo). Eu infelizmente não li a obra de Jean Genet e talvez seja outro agravante, mas realmente dá para notar que o filme mantém um certo espírito literário reforçado pelas frases e pelos recursos estéticos usados.

    A atuação de Brad Davis é muito boa. Eis um ator excelente e, devo dizer, lindíssimo. Uma perdição ver ele sem camisa tantas vezes, haha. Franco Nero também estava excelente. A canção que se utiliza da frase Oscar Wilde cantada por Jeanne Moerau também é adorável.

    O filme trabalha muito a estética. Vejo na iluminação uma forte tendência expressionista, com cores fortes e, por vezes, incômodas a mim (reitero, a mim). Nunca fui grande fã de teatro, e talvez por isso também não tenha gostado dos demais recursos nos cenários e também nos diálogos, narração e monólogos. Mas veja que não é apenas por isso que não gosto do filme. Assisti a obra Dogville de Lars von Trier e acho-a fantástica, sendo que se utiliza também de recursos teatrais. Mas nesse filme me senti incomodado esteticamente, pela iluminação e pelos cenários que criaram uma atmosfera quase onírica (pendendo entre surrealismo e expressionismo).

    Outra coisa que achei péssima foram as conexões entre as personagens. Parecia tudo tão falso. Todas as relações são inverossímeis. Talvez para bloquear a identificação de quem assiste e mantê-lo apenas como espectador. Talvez porque é parte do caráter expressionista. Mas, enfim, não colou. Parece irreal e soa como se fosse uma gafe de roteiro, por mais que seja intencional.

    Há quem diga que o filme é quase um ode à homossexualidade, mas eu não vi isso. Parece apenas um cais repleto de homens que acabam pendendo para a homossexualidade mais por perversão do que por emoção. É bem cru nesse sentido. E isso, em si, não é ruim. Mostra uma realidade sórdida de forma crua e caricata. Mas parece que não há sentimento, é apenas carnal. Foi caricaturado demasiadamente. Sei que é verossímil essa perversão e que muitos héteros têm vontade de experimentar mas são barrados por convenções sociais. Mas o filme é engrandecido por isso? Por que é retratada a vontade carnal dos homens? Por que é uma representação caricata de que há homens que têm desejo mas continuam se portando como machões e condenando qualquer comportamento homossexual? Não acho que o filme tenha trabalhado isso tão bem assim. Ficou muito abstrato e, na minha opinião (reitero, minha), ficou mal trabalhado e monótono. E também não entendi o personagem Querelle. Curtia ambos os sexos, com uma beleza quase nos padrões greco-romanos, mas nunca senti que ele se permitiu sentir o que sentia por homens mesmo com o decorrer do filme. Talvez novamente para ilustrar a força opressora sexual, mas, não sei, ficou tão confuso. Parece, novamente, uma gafe de roteiro. Soa como se não souberam construir as personagens representadas.

    É arte, é poético. Foi realmente marcante na expressão homossexual no cinema para a época. Há boas atuações. A obra de Warhol como uma das capas é brilhante. Mas, ao meu ver, é só isso. O conjunto não me agradou. Esteticamente foi incômodo. É inverossímil demais. É confuso. E digo, nem sempre o fato de um filme ter caráter poético o torna uma obra-prima.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Guilherme

    Como sempre, um filme de quadrinhos gerando opiniões controversas. Mas ainda assim vou me arriscar a opinar.

    Adorei o filme. Achei simplesmente demais. Um baita de um elenco (com o lindo, que eu amo e quero casar Andrew Garfield haha e, claro, a Emma Stone, a Sally Field, Jamie Foxx, Paul Giamatti, etc), efeitos espetaculares, trilha sonora que eu amei, roteiro excelente, um filme que soube trabalhar ação, romance, drama e ficção para contextualizar o quadrinho e envolver o público e, na minha opinião (não sou grande conhecedor, mas dentro do que conheço), é uma das melhores, se não a melhor, adaptação de Homem-Aranha aos cinemas.

    Há quem diga que ficou confuso por aflorarem outros personagens no decorrer da história, com o fato de o Electro parecer só um cara que perdeu a sanidade, de ter faltado ação pra darem lugar a história do Peter Parker... Mas, poxa, um filme bom não consiste em efeitos e lutas a cada cinco minutos. Esse filme é parte de um contexto maior. É uma adaptação dos quadrinhos e há, sim, uma trama, com romance e drama. O personagem (vale não só para o protagonista, mas todos os vilões que dão as caras agora também) tem uma vida e tudo o que acontece nela afeta a vida do herói por motivos óbvios, afinal, são a mesma pessoa. Sem dizer que o romance entre Peter e Gwen é lindo. Eu acho uma graça os dois juntos. Quanto à aparição das demais personagens e as revelações que apareceram, elas fundamentarão o que está por vir (a possível formação do Sexteto Sinistro). Enfim, há um contexto, entendam isso. E toda boa história, seja ficção ou ação, tem um bom drama e esse filme, sem dúvida, soube balancear tudo isso.

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    Apesar de já saber que a Gwen morreria (para minha infelicidade, porque achava que ambos formavam um casal tão fofo e amo a Emma Stone), eu ainda fiquei triste em vê-la caindo e o Peter tentando salvá-la enquanto duelava com o Duende Verde. A cena foi fiel aos quadrinhos, tirando o fato de o Duende não ser o Norman, mas sim Harry. É uma pena... Adorava a personagem e a atriz :( Enfim, suponho que agora virá a Mary Jane, é isso?

    E para aqueles que conhecem dos quadrinhos, poderiam me dizer se têm ideia de quem aparecerá no próximo filme? Vão mesmo formar o Sexteto Sinistro? E esse será composto pelo Duende Verde, Dr. Octopus, Abutre, o Rhyno (apesar que não sei se ele sobrevive ou não após a batalha que encerra esse filme) e quais os outros? Gostaria muito de saber (:

    Excelente filme. Essa adaptação do Homem-Aranha é uma das minhas prediletas da Marvel. Mal posso esperar para ver a sequência. Torço para que venha muita ação, drama e romance mais uma vez para me deixar maravilhado (sem contar que conto os dias para rever (meu lindo) Andrew Garfield nas telonas haha). Enfim, recomendo!

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.