filmow.com/usuario/horakhty/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > horakhty
26 years São Paulo - (BRA)
Usuário desde Janeiro de 2010
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Últimas opiniões enviadas

  • Kevin

    Excelente adaptação do livro! Ouso dizer que, em dados aspectos, soube refinar melhor a ironia e a crítica na situação tratada.

    O grande feito de "Ele Está de Volta" foi ter sabido estabelecer paralelos com a realidade dos dias de hoje, a exemplo da xenofobia à flor da pele em países europeus e América ou, trazendo inclusive ao âmbito do Brasil, o uso da "comédia" como meio para a propagação de preconceitos e de discursos de ódio.

    Não muito diferente é o que tem havido com diversas ~personalidades~ brasileiras, como políticos (Bolsonaro, Feliciano etc.) ou "humoristas" (Gentili)... de início, são tidas como engraçadas, patéticas. Isso acaba por difundi-las e, por fim, na aceitação por parcela significativa da sociedade.

    "Ele Está de Volta", filme ou livro, parece-me indispensável para a compreensão da nossa atual fase política. Recomendo a quem for.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Kevin

    UMA OBRA-PRIMA!!!

    Arriscaria dizer que este foi o filme nacional que mais me comoveu até hoje.

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    Como descrever a sutileza do sentimento de vitória de Val ao entrar na piscina dos patrões pela primeira vez?! Cena soberba!

    Acima de tudo,

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    "Que Horas Ela Volta?" marca por saber dialogar diretamente com seu espectador. Notei que, ao longo do filme, todos no cinema reagiam negativamente às participações de Jéssica. A sensação era de que a garota faria algum mal, ou que acabaria se relacionando às escondidas com Carlos, ou mesmo entrando no clichê da empregada doméstica que desvirgina o filho do patrão.

    Não era o caso. Jéssica estava longe de ser uma vilã. Era simplesmente alguém que buscava ser reconhecida por suas escolhas, opiniões, sonhos. Buscava tão somente igualdade. E essa postura firme nos colocou, de certa maneira, na exata posição de Fabinho ("Achei ela estranha" / "Por que?" / "Ah, ela é muito segura de si"), como se houvesse algum problema em alguém tão pobre ter tanta segurança nas suas convicções e nos seus projetos futuros.

    A crítica social aqui foi um tremendo soco no estômago... afinal, percebemos o quanto o preconceito ainda é arraigado em todos nós.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Nenhum recado para Kevin.

Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.