filmow.com/usuario/julia-seraphim/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > julia-seraphim
25 years, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro (BRA)
Usuária desde Janeiro de 2012
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Últimas opiniões enviadas

  • Julia

    A inocência pura e não capitalista é representada nesse longa que retrata de uma forma bem contundente a saga dos sobreviventes da Chacina (e não da Guerra porque não houve defesa) do Sudão de 1983. A pergunta que me vem no começo do filme é: A religião não deveria trazer paz?
    Em um vilarejo com pouquíssimos recursos primários, desde a juventude, os Garotos Perdidos do Sudão são acostumados a uma realidade trágica, a única que conhecem e vivenciam diariamente. Para eles o mundo é apenas aquilo e nada mais. Buscando a Vida e não a Morte se tornam crianças nômades e sobrevivem do jeito mais duro possível, vemos isso na cena em que bebem urina e quando andam até o Quênia em busca de segurança.
    Rodeados pela Guerra e pela insegurança, após milhares de quilômetros percorridos, encontram ajuda e esperança num abrigo de refugiados. E é a partir da chegada aos Estados Unidos, capital do capitalismo, que notamos o como é forte a dicotomia de valores. Há uma miscelânea de pensamentos fortemente presente. Sem conhecimento da cultura capitalista descobrem a Coca-Cola, a Colgate e o McDonalds ao chegar nos EUA. E no mercado são apresentados ao disperdício.
    Eles se divertem com coisas tão simples (como olhar para o céu e contar piadas) e possuem uma relação interpessoal que ninguém mais possui por ter sido violada ao longo do tempo pela tecnologia. Claramente mostrado na cena do telefone em que os meninos aguardam na janela a responsável pelos empregos enquanto ela está telefonando para anunciar a sua chegada, sempre recorrendo a tecnologia. A união deles não deixa que o Capitalismo interfira em seus valores. Enquanto eles possuem Vilas na África, nos EUA cada um tem uma casa. No Sudão a mulher possui um marido, e caso não, é sustentada pelos filhos, enquanto nos Estados Unidos há uma igualdade conquistada onde a mulher pode trabalhar e viver sozinha a partir do seu sustento, assim como os homens.
    Esse filme possui uma história emocionante e que deve ser mostrada a todos, com um grande elenco, destacado pela Reese Witherspoon, um forte roteiro e uma bela fotografia.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Filmow
    Filmow

    O Oscar 2017 está logo aí e teremos o nosso tradicional BOLÃO DO OSCAR FILMOW!

    Serão 3 vencedores no Bolão com prêmios da loja Chico Rei para os três participantes que mais acertarem nas categorias da premiação. (O 1º lugar vai ganhar um kit da Chico Rei com 01 camiseta + 01 caneca + 01 almofada; o 2º lugar 01 camiseta da Chico Rei; e o 3º lugar 01 almofada da Chico Rei.)

    Vem participar da brincadeira com a gente, acesse https://filmow.com/bolao-do-oscar/ para votar.
    Boa sorte! :)

    * Lembrando que faremos uma transmissão ao vivo via Facebook e Youtube da Casa Filmow na noite da cerimônia, dia 26 de fevereiro. Confirme presença no evento https://www.facebook.com/events/250416102068445/

  • j
    j

    e ai

  • Filmow
    Filmow

    Julia,

    Como o filme Return to Sender (http://filmow.com/return-to-sender-t111254/) ainda não está sendo exibido comercialmente, o sistema removeu a sua indicação “já vi”. Caso você tenha assistido à obra em alguma mostra ou festival, por favor, confirme data e local no formulário abaixo para reabilitar a sua marcação.

    Esta medida está sendo tomada para zelar pela veracidade e credibilidade do conteúdo publicado no Filmow, reforçando a relação de confiança entre o site e seus usuários.

    Obrigado pela colaboração.
    Equipe Filmow