filmow.com/usuario/luks_von_seidle/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > luks_von_seidle
23 years Guarulhos - (BRA)
Usuário desde Dezembro de 2014
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Num misto de Salvatore com Alfredo, culminando com um Martín sem Wally. No fim das contas pode-se dizer que sou um Walter Mitty procurando um amigo para o fim do mundo e, quem sabe, no meio do caminho comer um Big Kahuna Burger e uns cannollis de sobremesa, antes de caminhar para o amargedom, percebendo que no fim a felicidade não se compra.

https://www.instagram.com/luks_von_seidle/

Últimas opiniões enviadas

  • Lucas

    Simplesmente a animação mais impactante e triste que já vi. Ela tira o seu chão de um jeito que é tão desumano quanto a trama do longa. Não dá para mensurar o que é assistir o Túmulo dos Vagalumes, é uma experiência que vivenciei muito pouco no cinema, talvez Cinema Paradiso seja o que mais perto chegou de despertar as emoções que este filme traz a tona.

    p.s.: Se você tem depressão não assista.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Lucas

    Embora não seja o mais perfeito dos filmes, nem das biografias, a película faz jus a Dalida; é grandioso como Dalida; é estontante como Dalida; emociona como Dalida. Não sei se pela semelhança quase sobrenatural ou pela atuação satisfatória de Sveva Alviti (é boa, mas é incomparável a encarnação de Édith Piaf que Marion Cotillard fez em filme similar) não houve um momento que eu não enxergasse Dalida ali com sua música e sua dor. O filme é muito corrido, abre mão de muitas coisas da biografia da diva, foca naquilo que é mais curioso e, por conseguinte, mais atrativo ao público de massa, mas nem por isso deixa de ser sensível e aborda com delicadeza tais momento, já os jogando a face nos primeiros segundos de narrativa.

    Deve ser pré-requisito sofre para ser uma diva, afinal de contas de Billie Holiday a Nina Simon, passando para Édith Piaf e Dalida a somatória de tristezas que a vida jogou nessas mulheres não é passível de ser computado e é quase impossível de ser mensurado por quem, como fã, só assiste de longe e com varias cenas a menos. E é o grande drama do amor que é o foco do filme, se é um bom parâmetro para uma biografia eu não posso dizer, mas que é o ponto que de fato ficou no imaginário do público a tal ponto de lhe render a alcunha de "mulher amaldiçoada" não há discussão (lembre que sua música tema, seu canto eternizado é "Je
    Suis Malade"), e é justamente na descaracterização dessa alcunha que o filme trabalha, afinal de contas ela não teve qualquer culpa no derradeiro destino dos homens que amou, a somatória de fato de problemas internos que levam pessoas a situações extremas e ela, no seu anseio de complemento, de se afastar ao máximo da solidadão no que ela mesma define como "medo do escuro", deu o azar do destino de esbarrar com pessoas que não sabiam lidar com seus próprios demônios e que fizeram com Dalida, ou melhor Iollanda, perdesse o controle sobre os seus próprios.

    Todavia é certo que a angustia que sua vida foi se tornando poderia ser melhor explorada, mais aprofunda, principalmente em relação a Luigi Tenco tomando mais que alguns minutos iniciais, mas se comparado a produção televisiva prévia a qualidade narrativa e de atuação extrapola o tangível. Da fotografia a forma como cada música se encaixa perfeitamente em cada cena, em cada momento da vida de Dalida é fora de discussão, e, honestamente, supera, em certos momentos, o filme inspiração (La Môme). O que faz chegar na seguinte conclusão, o filme não é sobre a diva Dalida e sim sobre a mulher por traz dos holofotes, Iollanda, e como ela convivia com o conflito de duas que abitam um único corpo, Dalida ali é coadjuvante, quase um Dr. Jekyll and Mr. Hyde (sem nomear as partes) que no fim é vencido por Iollanda que mesmo involuntariamente acaba por imortalizando Dalida.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Filmow
    Filmow

    O Oscar 2017 está logo aí e teremos o nosso tradicional BOLÃO DO OSCAR FILMOW!

    Serão 3 vencedores no Bolão com prêmios da loja Chico Rei para os três participantes que mais acertarem nas categorias da premiação. (O 1º lugar vai ganhar um kit da Chico Rei com 01 camiseta + 01 caneca + 01 almofada; o 2º lugar 01 camiseta da Chico Rei; e o 3º lugar 01 almofada da Chico Rei.)

    Vem participar da brincadeira com a gente, acesse https://filmow.com/bolao-do-oscar/ para votar.
    Boa sorte! :)

    * Lembrando que faremos uma transmissão ao vivo via Facebook e Youtube da Casa Filmow na noite da cerimônia, dia 26 de fevereiro. Confirme presença no evento https://www.facebook.com/events/250416102068445/

  • Filmow
    Filmow

    Lucas,

    Como o filme Black Mirror (3ª Temporada) (http://filmow.com/black-mirror-3a-temporada-t87263/) ainda não está sendo exibido comercialmente, o sistema removeu a sua indicação “já vi”. Caso você tenha assistido à obra em alguma mostra ou festival, por favor, confirme data e local no formulário abaixo para reabilitar a sua marcação.

    Esta medida está sendo tomada para zelar pela veracidade e credibilidade do conteúdo publicado no Filmow, reforçando a relação de confiança entre o site e seus usuários.

    Obrigado pela colaboração.
    Equipe Filmow

  • Filmow
    Filmow

    Lucas,

    Como o filme Jumanji (http://filmow.com/jumanji-t70517) ainda não está sendo exibido comercialmente, o sistema removeu a sua indicação “já vi”. Caso você tenha assistido à obra em alguma mostra ou festival, por favor, confirme data e local no formulário abaixo para reabilitar a sua marcação.

    Esta medida está sendo tomada para zelar pela veracidade e credibilidade do conteúdo publicado no Filmow, reforçando a relação de confiança entre o site e seus usuários.

    Obrigado pela colaboração.
    Equipe Filmow