Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > madeixa_persequini
31 years (BRA)
Usuário desde Maio de 2010
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Aprendendo...

Se alguem não concordar com alguma opinião minha sobre algum filme, por favor fale comigo, acho que isso seria o auge do Filmow. Só não me fale mal de Poderoso Chefão...

Geólogo, viciado em mineral, aquarismo , cerveja de verdade e cinema (ñ. necessariamente nessa ordem).

Últimas opiniões enviadas

  • Henrique Cerqueira Persequini

    Ana (Egrei), uma estudante de psicologia, é contratada como babá pela matriarca de uma família que vive em um casarão isolado no meio das montanhas de Petrópolis. Ela é deixada sozinha com as crianças e o vigilante Augusto (Gomes); logo começa a receber insistentes telefonemas ameaçadores durante a noite e nota que existe algo de perturbador na casa. “O Anjo da Noite” é um filme único. Nos aspectos da direção, é impressionante como Khouri consegue nos passar tanto com tão pouco. Basta um plano detalhe em um olhar de Ana para nos sentirmos representados subjetivamente na cena. Já que, assim como a protagonista, não sabemos se há realmente uma presença maligna na casa, se é tudo fruto da imaginação e do cansaço ou se é a própria casa a fonte do medo. Há um momento que o vigia Augusto diz: "Eu só não gosto é da casa… É bonita, mas não é amiga da gente”. A fotografia do italiano Antonio Meliande (imortalizado posteriormente nas Pornochanchadas) é bela e funcional, imprimindo, mesmo em locações externas, planos claustrofóbicos e angustiantes ‒ vide o constante enquadramento do teto da casa pela visão de Ana. “O Anjo da Noite” é um clássico esquecido do horror nacional, uma pérola que merece ser relembrada e vista.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Henrique Cerqueira Persequini

    O “documentário” nos mostra quando Nev Schulman finalmente vai conhecer a sua namorada virtual, Megan, que conheceu pelo Facebook. Particularmente, sempre desejei ver um filme de terror que fosse verdadeiramente um documentário. Aqui, “Catfish” chega bem perto. De estrutura bastante simples, quase rudimentar, o filme nunca se preocupa por parecer amador ou improvisado. Os artifícios acabam funcionando perfeitamente para o que é proposto, passando um constante clima de descoberta e surpresa, muitas vezes assustador. Dessa forma, nos identificamos quase que instantaneamente com o protagonista, compartilhando de suas ansiedades e medos. Ao longo do filme, vamos descobrindo os fatos juntos a Nev, até chegarmos ao clímax do filme, que, apesar de previsível, impressiona pela forma como trabalha o seu desfecho, distanciando-se de uma visão moralista, não querendo julgar ou constranger os seus personagens, mas sim explicá-los. Assim, o filme mostra suas angústias mais íntimas e suas motivações profundas. “Catfish” é um filme atual que consegue vencer as barreiras dos tradicionais mockumentary, já que, por se tratar de uma trama tão realista e delicada, pouco importa se é uma história verídica ou não.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Henrique Cerqueira Persequini

    Após a sua morte, um homem (Casey Affleck) retorna a sua casa e a de sua esposa (Rooney Mara). Desviando de uma aparência fantasmagórica esperada, este carrega um clássico lençol, que se arrasta junto a ele. Aqui, altera-se também a perspectiva usual de filmes sobrenaturais: acompanhamos o ponto de vista do que escapa ao humano, de quem é levado, em silêncio, rumo ao esquecimento. O medo, em “A Ghost Story”, é existencialista, do tempo menor da vida humana. A solidão e a angústia de quem vai ao lado da tristeza e lamento de quem fica: o luto em, literalmente, diferentes planos. Abordando as dificuldades que temos de aceitar o fim, as mudanças, o filme reflete sobre a efemeridade que nos é imposta pela existência, enquanto insiste a esperança de encontrarmos algo que se lembre de nós.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Ale Brito
    Ale Brito

    Sim, bastante! Certeza que tirarei ótimas dicas pelos seus filmes vistos e avaliados hahah

  • Ale Brito
    Ale Brito

    Oi, Henrique! Tudo sim e contigo?

  • Filmow
    Filmow

    O Oscar 2017 está logo aí e teremos o nosso tradicional BOLÃO DO OSCAR FILMOW!

    Serão 3 vencedores no Bolão com prêmios da loja Chico Rei para os três participantes que mais acertarem nas categorias da premiação. (O 1º lugar vai ganhar um kit da Chico Rei com 01 camiseta + 01 caneca + 01 almofada; o 2º lugar 01 camiseta da Chico Rei; e o 3º lugar 01 almofada da Chico Rei.)

    Vem participar da brincadeira com a gente, acesse https://filmow.com/bolao-do-oscar/ para votar.
    Boa sorte! :)

    * Lembrando que faremos uma transmissão ao vivo via Facebook e Youtube da Casa Filmow na noite da cerimônia, dia 26 de fevereiro. Confirme presença no evento https://www.facebook.com/events/250416102068445/