Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > pedro230
22 years, Maceió (BRA)
Usuário desde Julho de 2010
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

"Assassinado por um prato de sopa"

https://twitter.com/predoevcs

Últimas opiniões enviadas

  • Pedro Correia

    Eu acho que é um daqueles filmes que te fazem pensar de forma diferente com relação ao cinema. Não é aquele filme que vai te entregar os sentimentos, não vai te entregar os detalhes sobre tudo, você não vai ser onisciente, o filme não é sobre você, é sobre tudo menos você, enquanto espectador.

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    Um bom exemplo disso são as lacunas entre as passagens do tempo: seja pelo que acontece com o cara da parte da cadeira, seja com a mãe dele e sobre se ela realmente se prostituiu, como ela largou o vício, o que ela faz no asilo, seja sobre a morte de Juan e etc.

    É normal nós sermos colocados em uma posição desconfortável por não termos o conhecimento de tudo que acontece na história, mais desconfortável que isso só o fato de ficarmos com o nó na garganta durante o filme inteiro por perceber tudo que acontece ao redor do protagonista (até porque, Moonlight é um filme calado, é um filme que só fala quando explode, é um filme que nos faz sofrer no silêncio, assim como Chiron sofre).
    Acho que é o filme mais intimista que o debate sobre marginalização requer. Assim como Boyhood, é um filme que talvez seja monótono para algumas pessoas por ser real, o intuito não é ser um filme fácil, a vida não é fácil, a vida é da forma como esses dois filmes mostram: monótona e imprevisível. Por esses motivos Moonlight é sincero, e cada cena não se propõe a ser mais que simplesmente sincera.

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    Algumas cenas perfeitas, na minha opinião, foram como Chiron, mesmo se mostrando um cara crescido e forte parece vulnerável quando fala que Kevin foi "o único cara que tocou ele", como ele se mostra vulnerável quando chora com a mãe, a forma como, mesmo ele estando totalmente diferente, ainda é a mesma pessoa, a cena da cadeira que você sabe que ele foi determinado a fazer algo a respeito de tudo que vinha acontecendo e fodam-se as consequências. Por último, as duas cenas com o Mahershala Ali, tanto a da praia quando a sobre "o que é 'boiola'?".

    PS: nada do que eu fale vai passar a sutileza que o filme tem. É como se ele fosse tão simples e falasse com tão pouco que não se consegue passar para outras pessoas com palavras o quão pesado ele é mesmo que seja tão minimalista (inclusive por isso eu decidi falar algo sobre ele mas passei um bom tempo sem saber o que dizer).

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.