Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

filmow.com/usuario/ricardoescreve/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > ricardoescreve
41 years
Usuário desde Agosto de 2015
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Últimas opiniões enviadas

  • Ricardo

    Too Late é um filme policial pequeno e imperfeito, mas realizado com paixão. Um tanto artificial na ambição do diretor estreante Dennis Hauck em reinventar a roda. O filme é dividido em cinco atos, e cada ato foi rodado em um take de vinte e poucos minutos. Isso mesmo! O que nem sempre dá certo, fica forçado, a técnica pela técnica. Mas Too Late tem qualidades. John Hawkes arrasa com sua versão neo noir de Philip Marlowe. Seu Mel Sampson é um detetive particular incorruptível (mas cheio de falhas) numa Los Angeles suja. A estrutura não cronológica garante boas surpresas, mesmo que torne os furos de roteiro mais evidentes. Os diálogos são muito tarantinescos, mas o elenco competente consegue torná-los mais interessantes.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Ricardo

    A Ganha-Pão é uma joia escondida no catálogo da Netflix. Uma animação de 2017, ao mesmo tempo, brutal e encantadora. No Afeganistão dominado pelo Talibã, Pavana é uma garota de 12 anos que precisa sobreviver num regime que oprime as mulheres e censura a liberdade de expressão. As mulheres devem ficar em casa e apenas sair na companhia dos maridos, irmãos e filhos. As punições para as desobedientes são severas. Quando seu pai, um ex-professor e atualmente vendedor de rua, é preso por esconder livros proibidos, Pavana, a mãe e a irmã mais velha se encontram numa situação dramática. Até comprar comida sozinhas se torna um risco. Então Pavana decide cortar os cabelos e se vestir de garoto. E um novo mundo se abre para ela. Com muitas possibilidades e perigos maiores. Esta é uma animação belíssima, com um senso de fábula criativo e profundo. Um conto de afirmação contra a crueldade e as injustiças do mundo real.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Ricardo

    Se você vai assistir a You Were Never Really Here pensando em se divertir com mais um filme de ação, pode dar meia volta. A diretora e roteirista escocesa Lynne Ramsay pega todos os clichês dos filmes policiais e joga pela janela. Ela evita glamourizar o derramamento de sangue e mostra que outros tipos de violência podem ser mais cruéis.

    Mais do que qualquer outra coisa, esse filme curto e tenso é um estudo da personalidade perturbada de seu protagonista, o ex-soldado, ex-agente do FBI e agora matador de aluguel Joe, numa interpretação soberba de Joaquin Phoenix. Contudo, You Were Never Really Here não é uma daquelas produções independentes preguiçosas que se concentram apenas na performance de um grande ator ou atriz. O filme é tecnicamente perfeito e as soluções narrativas, visuais e sonoras orquestradas por Ramsay são a outra força dessa espécie de conto de fadas, ao mesmo tempo, tocante e brutal.

    A todo momento há uma variação entre cenas delicadas, de interações humanas afetuosas, com a mais pura violência, seja física, psicológica ou simbólica. A narrativa é um quebra-cabeça, um jogo proposto pela diretora para fazer o espectador pensar. Há peças faltando e cabe a nós preenchê-las.

    Montagem e fotografia são elusivas, sugerem mais do que mostram. O som é outro personagem. A trilha sonora do guitarrista do Radiohead Jonny Greewood soube captar muito bem a atmosfera oscilante com cordas, percussão e batidas eletrônicas, compondo uma música ora suave, onírica, ora nervosa, em clima de pesadelo. A edição de som é incrível ao transformar cada som captado (programas de televisão, pessoas falando, veículos passando, a natureza, barulhos da cidade, tiros) em mais um elemento dramático.

    Para quem se apaixonar pelo filme, recomendo a leitura da novela de mesmo nome, escrita por Jonathan Ames. É um interessante complemento para conhecer melhor o passado e as motivações dos personagens. O filme não é adaptação tão fiel. Inclusive, considero este mais um raro caso em que o filme é melhor do que o livro. O final elaborado por Ramsay é o último tampa na cara dessa obra-prima.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Filmow
    Filmow

    O Oscar 2017 está logo aí e teremos o nosso tradicional BOLÃO DO OSCAR FILMOW!

    Serão 3 vencedores no Bolão com prêmios da loja Chico Rei para os três participantes que mais acertarem nas categorias da premiação. (O 1º lugar vai ganhar um kit da Chico Rei com 01 camiseta + 01 caneca + 01 almofada; o 2º lugar 01 camiseta da Chico Rei; e o 3º lugar 01 almofada da Chico Rei.)

    Vem participar da brincadeira com a gente, acesse https://filmow.com/bolao-do-oscar/ para votar.
    Boa sorte! :)

    * Lembrando que faremos uma transmissão ao vivo via Facebook e Youtube da Casa Filmow na noite da cerimônia, dia 26 de fevereiro. Confirme presença no evento https://www.facebook.com/events/250416102068445/