filmow.com/usuario/sem_registro/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > sem_registro
(BRA)
Usuário desde Maio de 2011
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

"Não é demonstração de saúde ser bem ajustado a uma sociedade profundamente doente." - Zeitgeist Addendum
-
"O Homem só será livre quando o último rei for enforcado nas tripas do último padre." - Denis Diderot
-
“There is a fear about sex in motion pictures, as if sex would undermine morality.” - Paul Verhoeven

Últimas opiniões enviadas

  • Jonathan Silva

    STYLE OVER SUBSTANCE

    Nunca gostei desse wanna be Tarantino que atende por Robert Rodriguez. Seus filmes alternam entre um nível constrangedor de ruim (a franquia "Pequenos Espiões") a, no máximo, medianos (nível no qual localizo "El Mariachi" e seu melhor filme, "Um Drink no Inferno"). O primeiro "Sin City", de 2005, está no segundo grupo. Vi faz tempo, quando o 'hype' do longa era alto e fiquei sabendo que tinha uma cena do próprio Tarantino, de quem Rodriguez é amigo pessoal. Mas, apesar de alguns bons momentos, achei aquele longa meio 'style over substance', isto é, muito investimento em pagar de visualmente descolado sem grande conteúdo.

    Essa impressão ficou ainda mais clara agora, com essa sequência tardia lançada quase uma década depois do primeiro. Só que desta vez, parti pra experiência com um diferencial: li na íntegra toda a série de quadrinhos escrita e desenhada por Frank Miller, que aqui co-dirige com Rodriguez. E adivinhem qual é a melhor história no formato original do universo de Basin City? Justamente "A Dama Fatal" - que resolveram adaptar só depois do sucesso do primeiro longa.

    Por isso mesmo é tão lamentável que uma saga tão boa tenha sido desperdiçada nesse pastel de vendo 'poser'. O desenrolar surpreendente do reencontro de Dwight (agora vivido pro Josh Brolin, em performance discreta e meio apagada) e Ava (Eva Green, talentosa) merecia uma encarnação melhor na tela grande e, sobretudo, um filme só pra essa história. Nesse roteiro que tenta rechear os 100 minutos com outras narrativas, indo e voltando nelas e deixando a "Dama Fatal" como um segundo ato quase avulso, a história foi diluída e o clímax tem pouco impacto. Ainda mais porque as outras duas tramas (aparentemente inventadas diretamente pras telas, não lembro delas nos quadrinhos) com Joseph Gordon-Levitt e Jessica Alba são fracas e pouco trabalhadas, embora ado garoto tenha um bom final. Sequer dá pra culpar Rodriguez por essas incursões, já que a adaptação e as novidades do roteiro ficaram por conta do próprio Miller.

    Visualmente tenta emular de forma artificial e posada o esplendor pastiche-noir das HQs. Os efeitos em CGI são mal acabados e os recursos de edição querendo se assemelhar com os minimalismo de alguns traços em preto e branco de Miller são tosquíssimos, me lembrou a medonha edição do "Hulk" do Ang Lee querendo ser mais quadrinho que cinema. Outra coisa que me chamou a atenção foi o 'pudor' no trato com sexualidade e nudez feminina, as quais são gloriosas e abundantes na arte visual de Miller. Pra quê essa timidez toda? Um monte de sombras pra ocultar pele à mostra num filme de censura elevada! Sem falar no banho de Photoshop que as meninas ganharam, totalmente desnecessário e claramente mal finalizado (principalmente nos seios).

    Fora que, se as mulheres dos quadrinhos eram de biotipo voluptuoso e 'potrancudas', aqui são atrizes hollywoodianas que seguem aquele corpo de padrão passarela, ou seja, muito magras. Pra mim, que aprecio mulher com mais carne (até porque quem gosta de osso é cachorro) e silhueta violão, essa beleza esquelética e essa silhueta de tábua de passar roupa que desfilam no filme não causam o impacto de furor sexual que o roteiro sugere. Exceção seja feita à magnética femme fatale de Eva Green, em que pese ela própria ser também uma das magrelas, mas cujo inegável 'sex appeal' e o jeitão convincente de ser uma deusa na cama (principalmente por conta do olhar da parisiense, algo com poucos paralelos no cinema) compensam a falta de, digamos, mais curvas, além de ser uma atriz competente e adequada para o papel de Ava.

    Pena que, no saldo final, "Sin City 2" seja só uma filminho poser, mal editado e desencontrado narrativamente, além de ter uma direção de elenco fraca e recursos visuais estranhos e pouco convincentes. Prefiram os quadrinhos.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Filmow
    Filmow

    O Oscar 2017 está logo aí e teremos o nosso tradicional BOLÃO DO OSCAR FILMOW!

    Serão 3 vencedores no Bolão com prêmios da loja Chico Rei para os três participantes que mais acertarem nas categorias da premiação. (O 1º lugar vai ganhar um kit da Chico Rei com 01 camiseta + 01 caneca + 01 almofada; o 2º lugar 01 camiseta da Chico Rei; e o 3º lugar 01 almofada da Chico Rei.)

    Vem participar da brincadeira com a gente, acesse https://filmow.com/bolao-do-oscar/ para votar.
    Boa sorte! :)

    * Lembrando que faremos uma transmissão ao vivo via Facebook e Youtube da Casa Filmow na noite da cerimônia, dia 26 de fevereiro. Confirme presença no evento https://www.facebook.com/events/250416102068445/

  • Azizam Parvane
    Azizam Parvane

    Olá, tudo bem?
    Nossa! Adoro os seus comentários. Você é um dos poucos que nota o lobby nojento e sionista em Hollywood. Bem, fora a sua lista. Chega nem perto da minha. E lendo alguns comentários seus sobre indicados ao Oscar, mais uma vez me convenço que a única categoria que de fato merece ser conferida, é a de melhor filme em língua estrangeira.

  • Mariane
    Mariane

    Obrigada Jonathan.