Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

filmow.com/usuario/steelforce/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > steelforce
32 years
Usuário desde Agosto de 2014
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Últimas opiniões enviadas

  • SteelForce

    "O nada é a possibilidade própria do ser e sua única possibilidade. E
    mesmo esta possibilidade original só aparece no ato absoluto que a
    realiza. O nada, sendo nada de ser, só pode vir ao ser pelo próprio ser.
    Sem dúvida, vem ao ser por um ser singular, que é a realidade humana.
    Mas este ser se constitui como realidade humana na medida em que
    não passa do projeto original de seu próprio nada. A realidade humana
    é o ser, enquanto, no seu ser e por seu ser, fundamento único do nada
    no coração do ser". (Sartre)

    Guinnes para o filme com o maior número de temas de existencialismo (filosofia) tratados ao mesmo tempo. O roteiro é brilhante, os detalhes - e sim você precisa pausar a cada dois para absorver todos - é de uma complexidade incrível. No entanto, o filme peca pelo ritmo estranho. Acredito fortemente que foi proposital, mas ele não consegue a empatia com

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    nós

    .

    Como lí na crítica do Omelete, a escolha da personagem feminina como manic pixie dream girl (termo recém aprendido) me soou muito alem de um deliberação, ela tem papel preponderante na trama toda. É uma decisão bastante arriscada de tirar uma profundidade da personagem para fortalecer os contornos da história (não do personagem principal) e que acaba deixando o expectador ainda mais distante.

    O final que conclui corretamente a trama. Pouca coisa que assisti conclui tão dignamente assim. Mas eu fiquei com uma impressão que também propõe uma "brincadeira" com pintura/artes quando ele efetua cetos movimentos ao sol. Foi interpretação minha ou realmente existe essa referência, alem de sol, luz, fundo chapado, contorno à frente e principalmente amarelo? Por favor discorde.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • SteelForce

    Decepcionante. Pare por um momento e diga: o que eu levei de bom deste filme?

    Reflita os pontos:

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    + O uso da mistura de vários gêneros é bacana e você demora um longo tempo para ficar consciente disto, mas o final infantil sustenta a colcha de retalhos?
    + A objetificação da personagem feminina em que ela pode ser frágil quando necessitar, chorar quando não há uma grande conflito, dormir mesmo que já tenha feito por horas antes e fazer cara de vazia quando não for interessante que ela conflite com o personagem principal, é tão desnecessária, que do meu ponto de vista até coloca por terra todo o argumento do final explicado pelo personagem do Laurence Fishburne sobre a relação da soma entre humanos e extraterrestre. Estaria eu exagerando ou conheci poucas mulheres na vida?
    + Eu vejo Deus Ex Machina em todos os segmentos do filme. Você não?
    + Também não vejo a necessidade de colocar enigmas gratuitos que serão descartados com o final só pela graça de aumentar a confusão, ou teria?
    + Os flashbacks servem para que mesmo?

    Todas as idéias são incríveis e o filme realmente poderia figurar entre a elite da ficção, mas faltou cuidado. Tenho certeza que um bom roteirista poderia ter aproveitado todas estas idéias, descartado todo o dinheiro com CGI, helicópteros militares, explosões e outras frivolidades para entregar uma sequência consistente, que realmente queira explorar o sentimento humano. O que eu senti é que era uma sequência de poses, com as melhores caras e bocas que pudéssemos fazer. Ninguém se importou como isso ficaria na sequência. Só vamos juntar e ver no que dá. Ou faltou conhecimento para eu compreender isso?

    Você irá sentir alguns arrepios ou torcer pelo personagem principal em vários momentos,

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    mas a entrega abrupta do final é um golpe tão baixo que desqualifica tudo o que foi construído e torna as passagens de gêneros - que são soltas - ainda mais longes do que tudo aquilo representa.

    Eu poderia não ser tão genial e usar o "Emotions, I remember" do álbum Human Equation do Ayreon que concluiria com muito mais classe esse final, usando um recurso tão simples quanto e que abraçaria as transições malucas entre os gêneros.

    Ou deixar absolutamente entregue o final para a audiência se impressionar e achar um sentido, posando como o cara que conseguiu tentar tudo e fazer você explodir a cabeça com um final que ninguém imaginaria...

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.