filmow.com/usuario/tonypp/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > tonypp
Recife (BRA)
Usuário desde Agosto de 2010
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

http://wearetime.blogspot.com.br/

--------------------------------------------------------------------------------

Por algum motivo que eu também não sei qual é, acabei indo a um debate sobre filmes. Pulando detalhes desnecessários para o texto, lá estava eu na platéia, em alguma poltrona aleatória. Logo de cara, já percebi que a vestimenta do público presente tinha lá suas semelhanças estéticas. Cachecol, muitas estampas xadrez nas roupas, trench coats, óculos de armações grossas, calças torando, chapéus, etc.

Nada contra as peças, o que me incomodou mesmo foi ver todo mundo vestido do mesmo jeito para um evento que aparentemente não carecia de nenhuma, digamos, cerimônia. Então você começa a teorizar se aquilo seria um encontro de amigos, um flash mob, ou, sabe-se lá, uma seita.

Passado meu momento de ingenuidade e ignorância, lógico que me caiu a ficha que eu estava em um nicho pseudo-cult.

Intrigado com aquela reunião de clones, continuei a observar. Eis que surge o absurdo: um deles saca subitamente uma cuia de chimarrão. E esse chimarrão começa a viajar pelo auditório, de mão em mão e boca em boca. E todos faziam questão de tomar, como se fosse um ato quase religioso. Centenas deles. Neste instante, você já começa a procurar por câmeras escondidas, por pontos nos ouvidos (seriam atores?) e até mesmo pelo Sérgio Malandro surgindo de trás das cortinas gritando que é uma pegadinha. Mas era tudo real.

A forçação de barra pra ser diferente, alternativo, cult, indie, ou sejá lá como você chama, faz as pessoas agirem como se seguissem uma cartilha. Alguma tábua de mandamentos que você deve seguir para ser um pseudo-intelectual. E esse ato do chimarrão passando de beiças em beiças desconhecidas, para mim, é a simbologia suprema deste movimento. Confirmo isso porque foi tudo muito artificial.

Os símbolos estão em todos os lugares: café da Starbucks é mais um exemplo. Eu respeito quem toma porque gosta. Mas tornou-se mais um artefato pseudo-cult-mamãe-quero-ser-nerd. Quantos personagens não tomarão conta das praças de alimentação discutindo "O Fabuloso Destino de Amélie Poulain"? São estes mesmos personagens que gostam de tomar capuccino na Fnac, passear de cachecol ao meio-dia no cerrado e usar óculos Wayfarer. Não tenho absolutamente NADA contra roupas com textura xadrez. O problema é que essa galera parece um tabuleiro de jogos ambulante. Dá pra jogar ludo, xadrez, damas. Sério, não sabem medir a dosagem das coisas. Quando não é o xadrez, então usam roupas de camiseterias alternativas, com nomes fazendo sátiras a filmes, diretores e bandas.

Ah, os filmes. Um pseudo-cult é um exímio fã do cinema francês. Mesmo que ele tenha assistido apenas o já citado "O fabuloso destino de Amélie Poulain", vai arrotar nas rodas que conhece vários outros filmes. Mesmo que tenha decorado essa lista no www.imdb.com. Não se prendendo só ao francês, vale lembrar que um pseudo-cult gosta de todos os filmes do Almodóvar, sendo o filme de fato bom ou ruim.

Na discografia, podemos achar desde Belle & Sebastian até Cansei de Ser Sexy (sim, CSS tem um significado quase que subversivo para eles). Não ouvem somente o "popular", evidentemente. São fãs de carteirinha da cena underground-indie de Brasília, gostando de bandas com nomes geralmente sem significado algum, como por exemplo "O Mosquisto de Godah no Pântano da Luxúria" (ok, eu inventei o nome, mas não vai demorar muito para surgir uma banda indie por aí com alcunha semelhante).

Certamente suas participações nas redes sociais também são de intrigar: álbuns com fotos vintage, trechos de músicas, diálogos de filmes e comunidades criadas pelo "Gordo Nerd" (caso desconheça tal figura, pesquise no Orkut).

Com tanta rotulação, o engraçado é saber que o tal termo indie, nas suas origens, é conhecido com o a ausência de estilo. E os que batiam no peito com orgulho por não se encaixar em nenhum estilo pré-fabricado, mal percebem que estão na mesma panela.

Por fim, antes de sofrer retaliações (e se sofrer, foda-se), eu não tenho implicância com as músicas, roupas, etc aqui citadas (mas continuo, sim, implicando com a calça-mamãe-fiz-cocô-saruel). O que eu acho medonho é a forma que forçam para fazer parte de um "elenco", criando uma lista de ações, um roteiro de como se deve vestir, falar, pensar, fingir e viver para passar a imagem de "alternativo" para os outros. Várias dessas pessoas aparentam encenar durante o dia inteiro. Até os assuntos soam forçados e artificiais. Eu tô no Show de Truman e não sei?

Últimas opiniões enviadas

  • tonypp

    "Over a half century ago, while I was still a child, I recall hearing a number of old people offer the following explanation for the great disasters that had befallen Russia: "Men have forgotten God; that's why all this has happened." Since then I have spent well-nigh 50 years working on the history of our revolution; in the process I have read hundreds of books, collected hundreds of personal testimonies, and have already contributed eight volumes of my own toward the effort of clearing away the rubble left by that upheaval. But if I were asked today to formulate as concisely as possible the main cause of the ruinous revolution that swallowed up some 60 million of our people, I could not put it more accurately than to repeat: "Men have forgotten God; that's why all this has happened."
    Aleksandr Solzhenitsyn

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • tonypp

    Monstruoso! Ainda é inacreditável pra mim, o quão corajoso foi toda ideologia comunista pra época: a união do povo, a glorificação do progresso (cientificismo), negação a Deus. Os camponeses rejeitando os antigos modos para um futuro esplêndido! Zemlya condensa uma propaganda numa história tão simples e tudo de uma forma bastante pomposa. Aos interessados, recomendaria a leitura dos livros "Pais e Filhos" do Ivan Turgueniev e "Demônios" do Dostoevsky, ambos relatam o contexto histórico-ideológico nas últimas décadas que precedem a revolução de 1917.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • tonypp

    Ótimo, há tempos que não via um filme recente como esse. As linhas finais do filme

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    falando sobre os fundadores da America, sobre o Obama, igualdade, "comunidade" haha, genial!

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Filmow
    Filmow

    O Oscar 2017 está logo aí e teremos o nosso tradicional BOLÃO DO OSCAR FILMOW!

    Serão 3 vencedores no Bolão com prêmios da loja Chico Rei para os três participantes que mais acertarem nas categorias da premiação. (O 1º lugar vai ganhar um kit da Chico Rei com 01 camiseta + 01 caneca + 01 almofada; o 2º lugar 01 camiseta da Chico Rei; e o 3º lugar 01 almofada da Chico Rei.)

    Vem participar da brincadeira com a gente, acesse https://filmow.com/bolao-do-oscar/ para votar.
    Boa sorte! :)

    * Lembrando que faremos uma transmissão ao vivo via Facebook e Youtube da Casa Filmow na noite da cerimônia, dia 26 de fevereiro. Confirme presença no evento https://www.facebook.com/events/250416102068445/

  • Francisco Paulo
    Francisco Paulo

    Analisando os seus favoritos, que por sinal gostei muito, tenho certeza que você vai gostar de ver, caso ainda não tenha visto, esse Estoniano (eu particularmente nunca tinha visto um filme desse País). Baixe, veja e depois me diz o que achou, valeu?

    http://consumindodownloads.blogspot.com.br/2014/02/mandariinid-tangerines-2013-estonia.html

    E outra coisa, me identifico muito com o pessoal Nordestino, tenho muitos amigos aqui no Rio de todo Nordeste, inclusive do Recife. Gosto bastante da cultura, da música, da culinária e da hospitalidade do Povo.
    Um abraço.
    Chiquinho.

  • Leon B.
    Leon B.

    Obrigado..!