Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

filmow.com/usuario/victordamiao/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > victordamiao
28 years Alvorada - (BRA)
Usuário desde Dezembro de 2015
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Iniciantes ainda no mundo dos cinemas, mas estou me aprofundando cada vez mais como cinéfilo. Quero assistir todos os tipos de filmes possíveis existentes. Não importando qual seja.
Irei sempre fazer uma crítica sobre os filmes que eu ver, e também categorizar ele em alguma lista eheh

Meu site pessoal:
http://www.compendionerd.com.br

Últimas opiniões enviadas

  • Victor Damião

    Algum dia, pode haver um filme melhor feito sobre Winston Churchill. Mas, por enquanto, esse é o melhor esforço até o momento! É excelente. Gary Oldman sensacional como sempre. Se não fosse pelos créditos, ninguém saberia que Churchill estava sendo interpretado por Oldman.

    Este filme não é apenas um fascinante relato de um dos momentos mais importantes da Segunda Guerra Mundial, mas também é um drama emocionante que vai além de ser uma simples biografia, trazendo humor, energia e paixão a todos os momentos. Com uma impressionante performance central de Gary Oldman, direção confiante e apaixonada de Joe Wright, e um roteiro brilhante do começo ao fim, "O Destino de Uma Nação" é um filme simplesmente excepcional.

    Ao contar uma história tão conhecida como a de Winston Churchill e a Segunda Guerra Mundial, ser ao mesmo tempo excitante e historicamente preciso nem sempre é fácil, mas é aí que entra o drama histórico de "O Destino de Uma Nação".

    Sim, fala da extrema intensidade dos primeiros dias da guerra, das manobras políticas em Westminster, quando Churchill foi nomeado primeiro-ministro, e da ameaça muito real e iminente de que a queda da Grã-Bretanha poderia muito bem significar o fim da liberdade da amada civilização ocidental, que são absolutamente fascinantes de assistir, mas são partes da história que você já conhece muito bem.

    É por isso que a decisão do filme de trazer um brilhante senso de humor e uma forte paixão pelos procedimentos é tão eficaz. A importância dos eventos sendo retratados na tela nunca é subestimada, e de fato existem alguns momentos muito intensos e emocionalmente poderosos, mas há muito mais em "O Destino de Uma Nação" do que apenas história, algo que tornou ele um marco para 2017.

    Acima de tudo, o que mais me impressionou no filme foi o fato de ter humor no momento certo. Não é de modo algum uma comédia, mas este não é um drama histórico pomposo e seco, mas um que se alegra em apontar as excentricidades em seu personagem principal, excentricidades que são, sem dúvida, uma parte da razão pela qual Churchill é tão louvado e respeitado até os dias de hoje.

    Enquanto o filme elogia o espírito de buldogue de Churchill em lutar contra os nazistas, está sempre ansioso para mostrá-lo em uma luz um pouco mais brilhante, quase como se ele fosse um homem que topou com o trabalho mais importante da história por coincidência. Nisso, há tantas cenas genuinamente hilariantes quanto a personalidade peculiar de Churchill se choca com os políticos mais tensos de Westminster, uma parte do filme que eu senti não só tornou tudo mais divertido, mas ajudou a dar ao filme uma energia incrivelmente refrescante, permitindo eu ver Churchill de uma forma pessoal e muito mais relacionável do que apenas uma figura histórica de um livro didático.

    Além de ser francamente hilariante em alguns pontos, há uma verdadeira paixão por trás da representação do filme das horas mais sombrias da guerra. Com Churchill sendo forçado a abrir negociações de paz com Hitler, o filme faz um trabalho incrível inspirando você a um ponto de febre, apoiando totalmente o espírito de buldogue de Churchill para lutar e defender a liberdade até o último momento, mostrando o conflito interno que ele sofre ao longo do filme é um ponto focal tão fascinante.

    Este é um filme indubitavelmente patriótico, e coloca muitos elogios no gosto de Churchill, mas isso não significa que seja excessivamente malandro. Pode haver o caso em que os britânicos assistindo ao filme vão sentir mais emoção da sua incrível paixão, mas eu ainda sinto que a maior parte disso vem de quão bem o personagem de Churchill é desenvolvido por toda parte, de um homem velho desajeitado, resmungão, amável a um líder verdadeiramente honesto e com princípios.

    Finalmente, temos que falar sobre o desempenho de Gary Oldman, o que é incrível. Por um lado, graças, claro, em parte às equipes de maquiagem e fantasia, é bem impossível dizer que você está assistindo Gary Oldman neste filme. Mas ele não se parece nada com Oldman, e muito mais com Churchill, mas tudo a respeito do desempenho de Oldman, desde os menores detalhes sobre Churchill à sua fantástica paixão e energia na tela, atrai cada vez mais para o momento e cria um retrato excepcionalmente convincente do grande homem e da situação em torno dele, que eu fiquei encantado.

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    Melhor cena do filme para mim é quando o aristocrático Churchill vai para o metrô de Londres para uma amostra da opinião pública. Mesmo com as memórias do impasse nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial ainda em suas memórias, como estão nos vários membros do Gabinete, como Conde Halifax, eles não querem desistir e aquele frase poderosa "Nós Nunca nos Renderemos" chega a te fazer tremer de emoção.

    No geral, eu absolutamente amei "O Destino de Uma Nação". É um drama histórico indubitavelmente fascinante sobre um ponto de virada crucial na história global, mas mais do que isso, é cheio de energia incrível do início ao fim, com humor incrível e ainda apropriado ao longo combinado com uma paixão patriótica deslumbrante, criando um estilo genuinamente excitante fazendo filme divertido.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Victor Damião

    John Wick: Um Novo Dia para Matar é um digno sucessor do primeiro filme, ele expande o universo, dando-lhe uma visão para o interior do mundo dos assassinos e mantém a insanidade das sequências de ação do primeiro filme.

    Keanu Reeves que, como de costume, se compromete a 100% com as sequências de ação (apenas assista aos vídeos de treinamento dele no youtube).

    John Wick superou as expectativas em 2014 com um enredo simples, Vingança. Deixou muitas portas abertas para uma continuação, e o Capítulo 2 realmente impressionou. Keanu Reeves é perfeito para este papel, e ele foi cercado por um excelente elenco de apoio (Ian Mcshane, Ruby Rose, Common, Lance Reddick, Laurence Fishbourne).

    Chad Stahelski sabe como fazer um filme de ação ser importante. Cada cena foi significativa. Cada personagem foi importante. Eu quase podia sentir cada soco e tomar cada tiro foi um frenesi do inicio ao fim. Stahelski usou uma combinação perfeita de iluminação e uma ótima pontuação para suas cenas de ação francamente brutais.

    O John Wick: Um Novo Dia Para Matar estava quase exclusivamente focado no mundo dos 'assassinos' do Continental e não desapontou. Foi incrível ver como esses super assassinos, podem se misturar à sociedade com tanta facilidade, como na questão na parte dos mendigos. Eu gosto de como esta sociedade tem duas regras muito importantes e não negociáveis ​​que parecem sempre manter as coisas em ordem.

    Este é um filme maravilhoso, onde as mortes foram feitas tão brutalmente com muitas cenas sangrentas. Também me lembra dos vários filmes dos anos 80. Se você já viu o original de John Wick (que eu espero que você tenha visto antes de ver este), então você ficará surpreso com esta seqüência. Foi mais sangrento, mais combativo, mais assassinos tentando matar John e mais tempo correndo. O que posso dizer é que esta é uma versão ainda melhor do que o filme original.

    Todas as cenas de luta foram coreografadas maravilhosamente de acordo com a minha opinião. As cenas de tiro de armas foram totalmente legais. Eu amei todos eles e não houve cenas de luta que levaram muito tempo para terminar. O retrato de Keanu Reeves de um assassino aposentado que não teve outra escolha a não ser voltar foi realmente perfeito. Havia também alguns personagens secundários do filme original que apareceram nesta sequência e também um novo personagem interpretado por Laurence Fishburne, que eu acredito que vai desempenhar um papel importante na sequência deste filme.

    Para aqueles de vocês que querem desfrutar de um filme de ação puro com Keanu Reeves como a estrela principal, você apreciar este filme. Não se esqueça de assistir primeiro ao filme original para entender o enredo. Mas para aqueles que não gostam desse tipo de filme (ou não suportam as cenas de luta sangrentas), este filme pode não ser adequado para você.

    Esses tipos de filmes raramente são conhecidos por seu valor artístico, mas John Wick: Um Novo Dia Para Matar define o padrão muito alto, não apenas em sua ação, mas também no design e no trabalho de câmera. Isto é puro entretenimento e não poderia ter vindo em melhor hora. Aqueles que querem fazer uma pausa em assistir filmes de heróis que é a moda do momento, este filme é exatamente o que você está procurando.

    A aparência do filme está muito alinhada com a primeira. É bom, cores vibrantes que complementam a violência e o caos. O som é absolutamente incrível, com cada arma soando como deveria, em vez de usar a metralhadora ou o som da pistola, algo de que o original era culpado às vezes. As performances são incríveis, mesmo que Common esteja repassando seu personagem em Noite Sem Fim (2015) e até mesmo em seu guarda-roupa. E a direção das sequências de ação é além de impressionante. Este é um grande filme, que faz um bom trabalho em expandir o mundo desse cara chamado John Wick. Isso realmente se torna um mundo poluído e interessante que eu tenho certeza que todos nós vamos curtir pela terceira vez quando sair a sequência. O único problema que o filme pode ter depende do seu gosto em filmes de ação.

    Concluindo, o filme é fascinante, excitante e fantástico. O diálogo, a coreografia da luta, o modo como a história se move, o carisma dos personagens, todos e muito mais são combinados para entregar esta obra-prima. Um fluxo tão incrível, proporcionando uma fusão entre os anos 90 e o novo século, é como se os assassinos estivessem vivendo em outro mundo, com outra mentalidade, sem que as pessoas saibam deles.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Victor Damião

    Contada através de três etapas importantes da vida de Quíron; sendo o primeiro como um garoto apelidado de Little (Alex Hibbert), o segundo em sua adolescência, onde ele é referido como Chiron (Ashton Sanders) e o terceiro sendo em sua idade adulta, onde ele é conhecido como Black (Trevante Rhodes). Moonlight descreve sua jornada de autodescoberta e sexualidade enquanto crescia em um bairro agitado de Miami.

    Se alguém me perguntasse sobre o que o Moonlight é realmente, eu diria que, em essência, é um filme sobre ensinar uma criança a nadar, um jovem sentir a areia em sua pele e cozinhar uma refeição para um velho amigo. O diretor Berry Jenkins não tem medo de ser poético, de orientar seu filme para longe da narrativa convencional e oferecer ao seu público algo para se conectar à sua maneira, de como a câmera dele anda é sensivelmente magnífica, ele sabe quando fazer o corte e quando demorar mais alguns segundos naquela cena. Mas acima de tudo, sua capacidade de adicionar uma textura extra a cada cena é inspiradora, é mais do que apenas estilo por causa do estilo, é essencial para o argumento do filme.

    A cinematografia de James Laxton é visualmente imersiva, deixando você preso dentro da história do filme. Ele se move em um ritmo suave e acolhedor. A música, seja ela clássica ou hip-hop, assim como a sutil pontuação de Nicholas Britell, é perfeita e as cores são ricas e vivas.

    É estranho como os 3 atores, que interpretaram as versões infantil, adolescente e adulta de Chiron se comportaram e agiram, você quase acha que foi o mesmo ator que interpretou os três papéis. E Mahershala Ali estava espetacular foi merecedor de ser indicado ao Oscar daquele ano (2017).

    Moonlight muito mais que um filme sobre crescer gay, é sobre superar suas adversidades e, apesar de ser um produto do seu ambiente, descobrir quem você quer se tornar. A sua identidade leva tempo para descobrir, e isso é algo que qualquer um pode se relacionar.

    Por mais que eu gostasse do Moonlight, tenho que admitir que achei o final anticlimático. Existem muitos arcos de personagem que o filme deixou sem explicação que funcionavam na maior parte do tempo, mas eu esperava mais do final. No entanto, lembrei a mim mesmo que o cinema é uma forma de arte, e a melhor arte é deixada para o espectador interpretar. Com isso dito, Moonlight é um filme que todo mundo deveria ver para chegar a sua própria conclusão.

    Após eu processar este filme, eu comecei a gostar de como acabou e pelo meu ponto de vista um dos melhores filmes de 2016. Se você é fã de cinema como eu e aprecia uma atuação excepcional, uma ótima narrativa e uma bela cinematografia, recomendo que você assista Moonlight.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Senhor Ivan
    Senhor Ivan

    Faz bem.Isso é o que vale.

  • Senhor Ivan
    Senhor Ivan

    Sugiro que você curta minha página no Facebook.Lá sempre tem boas e rápidas indicações.

  • Senhor Ivan
    Senhor Ivan

    Seja bem-vindo,Damião.Vi que está se empenhando ao máximo no mundo do cinema.Boa sorte nessa sua caminhada.Ótimos comentários.
    Abraço!