25 anos, UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS / Alegrete - RS (BRA)
Usuário desde Janeiro de 2012
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Amo filmes de paixão e devo ter assistido mais de 1500 filmes em toda minha vida até agora, e pretendo assistir mais.

Adoro filmes de fantasia e ficção científica, mas gosto de todos os gêneros.

Últimas opiniões enviadas

  • João Paulo

    Acabei de assistir e cara o filme até que é bom, começa um pouco apressado, mas depois consegue estabelecer um suspense bacana, tudo por causa da Halle Berry e a Abigail Breslin que conseguem segurar o filme bem e suas personagens até que convencem bem. O maior problema aqui vem no terceiro ato, acho que na vida real muito daquilo não aconteceria, mas o cinema sempre faz essas licenças narrativas que normalmente são absurdas, mas plausíveis, neste caso só achei um pouco absurdo, plausível não, mas vale lembrar que a função do filme não é se ater aos fatos reais, é entreter e neste caso Chamada de Emergência cumpre o papel direitinho. Recomendo.

    Obs:

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    A cena do cativeiro foi muito boa, tirando aquela reviravolta que eu citei, as cenas lá foram deixar apreensivo o tempo todo.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • João Paulo

    Filme intrigante e bem depressivo, e também um estudo da condição humana, acho que a intenção do filme é mostrar que as pessoas escondem suas maiores tristezas e frustrações dentro de si, e quando esse sentimento vem à tona normalmente vem da forma errada (na forma de suicídio ou algo tão radical quanto isso) numa tentativa de romper a "prisão" que imaginavam estar, dessa forma as três histórias contatadas em diferentes períodos que em algum momento se intercalam de forma até sutil tornam o filme ainda mais interessante. O roteiro aqui é a grande estrela, sabendo trazer um tom surrealista, diálogos ricos, e personagens instáveis e melancólicos. As performances sãos sensacionais, principalmente Julianne Moore, seguida por Nicole Kidman, Ed Harris e Meryl Streep. As Horas é um filme bem dirigido Stephen Daldry consegue construir uma narrativa que não soa atropelada ou confusa, é preciso pensar um pouco para perceber melhor o que está sendo mostrado, só assim você perceberá o quanto as histórias das três protagonistas são ricas cada uma a seu modo, como citei no começo a intenção de ambas era se libertar da vida monótoma ou das obrigações que possuíam, no final você tem a sensação de desfecho para as três, mesmo que para uma delas o desfecho venha de uma forma quase que chocante.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
    1 resposta
  • João Paulo

    Olha eu esperava um pouco mais desse filme, neste caso meu maior problema é com o fato do protagonista perder uma grana alta num site de aposta e ainda ter dinheiro para viajar para Costa Rica para tentar reaver a quantia de volta. Outro ponto fraco é que Justin Timberlake não convence muito como protagonista, tanto que no último ato com toda aquela reviravolta apesar de soar esperto foi bem esperada e pouco surpreendente. Ben Affleck quase convence como vilão e Gemma Arteton não fez muito além de parecer linda o tempo todo. Enfim Aposta Máxima poderia ser um filme intrigante e interessante senão ficasse preso tanto a fórmula de filmes deste tipo, não trazendo nenhuma novidade ou reviravolta interessante.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.