A Grande Liquidação

Der Große Ausverkauf

Dirigido por:
Média geral 4.0
baseado em 1 votos
Sua avaliação:
salvando
94 minutos

A privatização e seus efeitos na sociedade são ilustrados pelo destino de diversos indivíduos em diferentes partes do globo. Filmado em quatro continentes, o documentário destrincha os efeitos absurdos da privatização da água (na Bolívia), eletricidade (África do Sul), da saúde (Filipinas) e, talvez o mais espantoso, do sistema ferroviário britânico (Reino Unido). A privatização – para Minda em Manila, Bongani em Soweto, e Simon em Brighton, é mais que uma noção abstrata. É a ameaçadora realidade com a qual têm de lidar diariamente. O roteiro episódico examina as conseqüências da privatização – geralmente impostas por instituições como o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional – na vida das pessoas. Minda, por exemplo, está desesperada para conseguir dinheiro para a hemodiálise que seu filho precisa fazer duas vezes por semana, pois nas Filipinas a saúde foi inteiramente privatizada, e os pobres não têm mais qualquer acesso. Bongani e seu grupo de guerrilheiros elétricos viajam pelo gueto de onde vêm na África do Sul e restauram ilegalmente a energia elétrica nas casas de pessoas pobres demais para pagar as taxas que as companhias privatizadas cobram. E Simon relata com humor suas aventuras como condutor de trem, primeiramente da British Rail e depois de incontáveis outras firmas que vieram e foram com intensa regularidade. A vitória dos cidadãos de Cochabamba, na Bolívia, contra uma poderosa corporação norte-americana que tentou controlar o fornecimento de água no município adiciona uma nota de esperança ao filme. As tramas intercaladas contrastam com depoimentos dos responsáveis pelas privatizações e comentários do Prêmio Nobel Joseph Stiglitz, que abandonou a raia dos que impõem para lutar pelos perdedores.

Estreia Brasil:
2007
Outras datas

Elenco de A Grande Liquidação

Nenhum.
Denunciar algo errado
Trailers
  • Nenhum trailer cadastrado.
Fotos
  • Nenhuma foto cadastrada.

Comentar: