Os Guerreiros do Arco-Íris da Ilha Weiheke

2009

The Rainbow Warriors of Waiheke Island

Dirigido por:
Média geral 4.2
baseado em 2 votos
Sua avaliação:
salvando
L - Livre para todos os públicos 89 minutos

Os Guerreiros do Arco-íris da Ilha Waiheke é um filme sobre um grupo de pioneiros do Greenpeace. Cinco ativistas europeus, Susi, Rien, Martini, Henk e Hanne, e Bunny da Nova Zelândia, num determinado momento fizeram parte da tripulação do Rainbow Warrior e participaram de uma série de ações bem-sucedidas até que um ataque a bomba pôs um fim ao seu trabalho. Agora eles vivem juntos em Waiheke, uma pequena ilha da Nova Zelândia.

O tempo transcorrido os estimula a fazer um balanço: seus ideais ainda se mantêm e o que seu passado ativista conquistou para o mundo e para eles mesmos? “Foi como fazer parte de uma banda de Rock’n Roll.” Em 1978, um grupo de jovens comprou em Londres um barco de pesca velho para ir salvar as baleias, como parte do movimento Greenpeace. A embarcação navegou da Europa até a América para finalmente iniciar uma campanha no Pacífico contra os testes nucleares franceses. A missão Guerreiros do Arco-íris teve um fim trágico em 1985 quando o navio foi bombardeado pelo Serviço Secreto Francês, em Auckland, na Nova Zelândia. O fotógrafo Fernando Pereira morreu nesse ataque. Para os seis ativistas a bomba foi um momento decisivo em suas vidas. Susi, uma das compradoras do Rainbow Warrior, escreveu um livro sobre sua vida. Henk construiu seu próprio barco, a técnica Hanne retirou-se para uma aldeia ecológica, a taifeira Bunny tornou-se Diretora-Geral do Greenpeace Nova Zelândia, a organização que crescia. Martini, o orgulhoso navegador, tornou-se pai de família e tenta controlar sua fúria tomando pílulas. Rien, o cozinheiro de bordo, tenta sobreviver fazendo geleias.

Todos eles continuam, à sua maneira, a lutar pela preservação do mundo. “Se estão preparados para ir tão longe a fim de detê-los, para literalmente explodi-los na água, então vocês devem estar no caminho certo. Continuem o que estão fazendo!” Por coincidência ou não, essas seis pessoas acabaram juntas na Ilha Waiheke. Um lugar que, devido à sua população, também é chamado de “casa de repouso dos verdes esgotados” ou “Aldeia dos Aposentados do Greenpeace”. Os destroços do Rainbow Warrior foram afundados perto de Waiheke. Quando essas seis pessoas especiais contam a história do Rainbow Warrior, fica evidente que, com sua vida em Waiheke, eles ainda não deixaram realmente o navio. Eles eram jovens numa época em que estava na moda preocupar-se com o mundo, protestar contra a injustiça e lutar pelo meio ambiente. Eles envelheceram numa época que se tornou cada vez mais voltada para o mundo dos negócios, em que era importante ganhar dinheiro e na qual os ideais estavam ultrapassados. A bomba no seu navio os abalou profundamente. Agora eles estão se aposentando numa época em que retornou de repente a consciência da urgência de proteger a terra contra a exaustão provocada pelos homens. O grupo de Waiheke provou que tinha razão. Mas o que ganhou com isso? O filme inclui material de arquivo que nunca foi mostrado antes, dando vida a um momento da história moderna.

Estreia Mundial:
2009
Outras datas

Elenco de Os Guerreiros do Arco-Íris da Ilha Weiheke

Nenhum.
Denunciar algo errado

Comentar: