João Ninguém

1936

João Ninguém

Dirigido por:
Média geral 4.0
baseado em 1 votos
Sua avaliação:
salvando

O nome do filme foi inspirado numa canção de Noel Rosa gravada em 1935, na qual dizia em seus versos: "Não é velho nem moço/Come bastante no almoço/Pra se esquecer do jantar". O personagem, chamado João Ninguém (interpretado pelo próprio diretor Mesquitinha), é um compositor humilde que compôs a valsa "Sonhos Azuis". Com a música pronta, pede a um amigo (Grande Otelo) para acompanhá-lo à casa da namorada no dia do aniversário dela, pois pretende oferecer a partitura de presente para a moça. No caminho, Mesquitinha decide subir um muro alto para pegar uma rosa, mas acaba caindo no quintal da casa. Sem poder sair, pede ao amigo que leve a rosa e a partitura à namorada dele. Mas Otelo é atropelado por um carro e desmaia. Um estranho que passava pelo local pega a partitura e lança a valsa como se fosse dele. "Sonhos Azuis" se torna um grande sucesso. E Mesquitinha, preso por invasão de domicílio, também sofrer para provar que a valsa era sua. Este foi o primeiro filme no qual se ouviu a voz de Grande Otelo no cinema.

Estreia Brasil:
1936
Outras datas
Denunciar algo errado
Trailers
  • Nenhum trailer cadastrado.
Fotos
  • Nenhuma foto cadastrada.

Comentar: