Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Julian Assange
20Número de Fãs

Nascimento: 3 de Julho de 1971 (46 years)

Townsville - Austrália

Julian Paul Assange é um jornalista, escritor e ciberativista australiano. É um dos nove membros do conselho consultivo do WikiLeaks, um wiki de denúncias e vazamento de informações. É também o principal porta-voz do website.
Assange estudou matemática e física, foi programador e hacker, antes de se tornar porta-voz e editor-chefe do WikiLeaks. Fundou o WikiLeaks em 2006 e faz parte do seu conselho consultivo. Politicamente, Assange se define como libertário, afirmando que “Eu sou um grande fã de Ron Paul. (…) A família Paul são os mais fortes apoiadores da luta contra o ataque dos EUA ao WikiLeaks e a mim. (…) A única esperança atualmente na política são os libertários.”
Por seu trabalho no Wikileaks ganhou outros prêmios, como o Sam Adams Award e o Index on Censorship do The Economist em 2008, além de ter sido considerado o “homem do ano” pelo jornal francês Le Monde em 2010. Neste ano, após o vazamento da vasta massa de documentos sobre possíveis crimes de guerra cometidos na Guerra do Afeganistão e na Guerra do Iraque pelo Exército dos Estados Unidos, sua fama cresceu. Em 2011 foi incluído na lista da revista Time como um dos 100 mais influentes do planeta.
Em 30 de novembro, foi acusado de estupro e abuso sexual na Suécia e a Interpol o colocou em sua lista de procurados.
No dia 7 de dezembro, em Londres, Assange apresentou-se à Polícia Metropolitana e negou a veracidade das acusações contra ele, sendo liberado nove dias depois.Em 31 de maio de 2012, a corte suprema do Reino Unido anunciou sua decisão a favor da extradição de Julian Assange para a Suécia.
Assange perdeu a cidadania sueca e temia que, tão logo chegasse à Suécia, seria extraditado para os Estados Unidos e processado por espionagem, fraude e abuso de computadores. A Suécia tem um amplo acordo de extradição com os EUA.O fundador do WikiLeaks já havia admitido a possibilidade de vir a ser assassinado numa prisão norte-americana, na hipótese de ser extraditado para os Estados Unidos, por isso, o chanceler do Equador, Ricardo Patiño, disse, em entrevista à BBC, que seu governo pediu à Suécia “que garantisse que Assange não seria extraditado para os Estados Unidos”. Segundo ele, “há declarações de autoridades dos EUA (…) que mostram que ele (Assange) deve ser considerado como um inimigo não armado, como um objeto a destruir. É evidente em uma grande lista de casos concretos que o objetivo é levar Assange e condená-lo.”
No caso de extradição para os EUA, Assange enfrentará pelo menos a prisão perpétua, dizem especialistas, lembrando a história do suposto informante do WikiLeaks, o soldado Bradley Manning.Manning, que está preso na base naval de Quantico, foi mantido nu, em isolamento, impedido de dormir, sob iluminação direta e vigilância de câmeras 24 horas por dia. Trata-se do que a CIA chama de “tortura sem contato” (no-touch torture).
Mas, apesar de ter sido permanentemente monitorado, no dia 19 de junho de 2012, Assange conseguiu entrar na embaixada do Equador em Londres, onde pediu (e obteve) asilo político.O governo do Reino Unido ameaçou, por carta, invadir a embaixada, nos seguintes termos: "É preciso adverti-los de que há base legal, no Reino Unido – a Lei sobre Instalações Diplomáticas e Consulares, de 1987 (Diplomatic and Consular Premises Act) – autorizando-nos a agir para prender o Sr. Assange, nas instalações da embaixada. Esperamos sinceramente não chegar a tal ponto, mas se vocês não foram capazes de resolver o assunto da presença do Sr. Assange em suas instalações, há uma opção aberta para nós".O governo britânico também afirmou que não daria salvo-conduto ao australiano para sair da embaixada,o que pode eternizar a sua permanência no prédio – considerado território equatoriano, segundo a lei internacional.Representantes do governo equatoriano informaram que prete
ndiam apelar para a Corte Penal Internacional, se o Reino Unido não permitisse que Julian Assange deixasse livremente o país.