filmow.com/usuario/asianddaria/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > asianddaria
20 years São Paulo - (BRA)
Usuária desde Março de 2013
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

"It is too easy being monsters. Let us try to be human".
https://www.tvtime.com/en/user/1620212/profile

Últimas opiniões enviadas

  • Priscilla

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    De início, eu pensei em como o William era incrível, e em qual deveria ser a crítica dentro da série, que seria de talvez julgarmos as pessoas sem conhecer, mesmo que seja por serem misóginas e cometerem atos ruins, que talvez existam pessoas boas que pensam assim por não terem alguém que as ensine que isso é falta de caráter (e, nessa parte, ainda penso assim, assim como o porquê dele ter quebrado a garrafa na cabeça daquele garoto. Deu pra entender).
    Mas por outro lado, eu comecei a analisar a Noora. Como ela se sentia culpada pela maneira dela pensar, e em como ele parecia sempre certo, não só pelas coisas que dizia, mas também como dizia (de uma maneira que nem a Sana enxergou problema nisso). Mesmo que fosse uma coisa ruim, a justificativa pra ação dele parecia sempre certa (e isso ela desvendou bem naquela discussão quando ele disse que ia embora). E ainda assim eu comecei a pensar em qual era a real crítica dentro da série, se era realmente essa do primeiro parágrafo, ou se era que mesmo uma pessoa empoderada e independente como a Noora poderia entrar em um relacionamento abusivo.
    Isso pareceu bem claro quando ela começou a receber sermões que normalmente era ela que dava, assim como quando pensou que ela tinha sido estuprada, ela ficou sem saber o que fazer. Não foi só isso que mexeu com a cabeça dela, a relação dela com o William já vinha fazendo ela duvidar de si mesma há um tempo. Duvidar do que ela acreditava, do que ela pensava. Pensar que a moral dela era só uma fachada. Pensar que ela era uma hipócrita, mesmo sabendo que não era. Ela pensou tanto que era, que começou a se tornar uma. Ela não quis doar as roupas quando o Eskild pediu, achou ruim quando o William disse que ia doar 20% pros refugiados. Era como se ela se importasse mais pelos motivos das pessoas fazerem isso do que com a causa em si. Ela até mesmo começou a explicar suas ideias com frases repetidas e robóticas, como se precisasse decorar o que ela mesma pensava.
    Essa é a tática genial da série: é muito sutil. É a resposta pra pergunta "como tantas mulheres entram em um relacionamento abusivo sem perceber?"
    Pensem bem, ainda mais quem achou demais aquela cena da primeira temporada que ela chamou a atenção dele por ter humilhado a Vilde, ele conseguiu fazer ela sentir culpada até por isso.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Nenhum recado para Priscilla.

Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.