Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

    Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Francis X. Bushman

Francis X. Bushman

Nomes Alternativos: Francis Xavier Bushman

0Número de Fãs

Nascimento: 10 de Janeiro de 1883 (83 years)

Falecimento: 23 de Agosto de 1966

Baltimore, Maryland - Estados Unidos da América

Francis Xavier Bushman (10 de janeiro de 1883 – 23 de agosto de 1966) foi um ator, cineasta e roteirista estadunidense da era do cinema mudo. Bushman apareceu em cerca de 200 filmes e trabalhou para estúdios como Essanay Studios, Vitagraph Studios e Metro Pictures Corporation.

Bushman nasceu em Baltimore, Maryland. e foi educado no Ammendale College, Maryland. Quando jovem, entrou para o Clube Atlético de Maryland, onde desenvolveu seu físico musculoso e citava Eugen Sandow como uma das suas influências. Trabalhou como um modelo para escultores em Nova York, muitas vezes posando nu para os alunos de arte. Bushman, como muitos de seus contemporâneos, iniciou sua carreira no teatro. Ele estava atuando no Essanay Studios em Chicago, Illinois, quando foi reconhecido por suas características físicas.

Em 1902, Bushman casou com Josephine Fladung, uma modista, e no início de sua carreira, já tinha cinco filhos. Em 1918, Bushman se tornou o centro de um escândalo nacional, quando se tornou público seu relacionamento amororso com a colega de atuação, Beverly Bayne. Sua esposa pediu o divórcio, e três dias após o divórcio se concretizar, ele casou secretamente com Bayne; posteriormente tiveram um filho, Richard Stansbury Bayne, que se suicidou em 1957. Bushman e os estúdios onde trabalhava, Essanay e Metro, haviam guardado o segredo do casamento, temendo que isso afetasse sua popularidade. Ele casou quatro vezes: com Josephine Fladung Duval (1902-1918), Beverly Bayne (1918-1925), Norma Emily Atkin (1933-1956) e Iva Millicient Richardson (1956-1966), com quem viveu até sua morte.

Sua estreia no cinema foi no filme His Friend's Wife, em 1911, pelo Essanay Studios, em Chicago. Em 1915, assinou contrato com a Metro. Nos anos 1920, Bushman contratou Harry Reichenbach como seu agente. Quando Bushman soube que faria o papel de um escravo no filme Ben-Hur, de 1925, Reichenbach teve uma idéia para aumentar sua liquidez. Ele levou Bushman para encontrar alguns executivos do estúdio na estação ferroviária e deixou cair moedas de um centavo de seu bolso, pelas ruas. As pessoas os seguiam, pegando as moedas, e os executivos tiveram a impressão de que Bushman era muito popular, lançando-o como Messala na produção. Bushman estava preocupado com o fato de que a interpretação de um vilão prejudicaria sua carreira, e pediu conselhos a William S. Hart (com quem tinha atuado no palco durante anos), sobre se devia ou não pegar o papel. Hart disse: “Pegue-o! A sua é a melhor parte na peça”. Ao contrário de Ramón Novarro, a estrela do filme, Bushman sabia como conduzir uma biga. Quando Ben Hur foi refeito em 1959, Charlton Heston teve que aprender a habilidade e brincou: “o único homem em Hollywood que pode conduzir uma biga é Francis X. Bushman – e ele é muito velho!”. Bushman era dezesseis anos mais velho que Novarro, apesar de seus personagens terem passado a infância juntos. Esse papel pode ter elevado a carreira de Bushman ao estrelato, exceto pelo fato de, alegadamente, estar na lista negra de Louis B. Mayer do estúdio Metro Goldwyn Mayer. Os historiadores de cinema escrevem que, quando Mayer visitou Bushman em casa, o manobrista, por não conhecê-lo, recusou-lhe a entrada, e isso foi considerado um insulto para Mayer.

No auge de sua carreira, Bushman foi anunciado como o homem mais bonito do mundo. Ele também era conhecido como “o rei da Photoplay” ou “o Rei dos filmes”, apelido mais tarde usado para Clark Gable. Durante esse tempo, ele casou-se com Bayne e viveu com ela em sua propriedade de Maryland, Bushmoor, com aproximadamente trinta cães de estimação e (alegadamente) a maior coleção particular de pássaros canoros no mundo.

Bushman teve grandes salários durante sua carreira cinematográfica e doou a sua casa e o terreno sobre o qual ela ficava no Hollywood Boulevard para Sid Grauman, que erigiu ali o seu famoso Chinese Theater. Sua fortuna, porém, foi exterminada no Crash da Bolsa de 1929, e sua carreira como uma estrela de cinema havia chegado ao fim. Bushman passou a ganhar a vida com pequenos papéis em filmes e com algumas pequenas empresas.

Depois que sua carreira cinematográfica tinha desvanecido, Bushman deixou sua marca na rádio CBS de radiodifusão numa longa série dramática intitulada Those We Love, que decorreu entre 1938 e 1945, e Bushman desempenhou o papel de John Marshall, o pai dos gêmeos (interpretados por Richard Cromwell e Nan Grey). Robert Cummings completava o elenco.

Em seus últimos anos, ele atuou na [televisão]], em pequenos papéis em séries, tais como Peter Gunn, Make Room for Daddy, The Many Loves of Dobie Gillis e Dr. Kildare. Em 1956, Bushman apareceu em um episódio de Burns and Allen (#73) interpretando a si mesmo. Atuou também em Perry Mason, em dois episódios de 1960: Lawrence King em "The Case of the Flighty Father" e Courtney Jeffers em "The Case of the Nine Dolls". Bushman fez também dois filmes de ficção científica, 12 to the Moon (1960) produzido pela Columbia Pictures e The Phantom Planet produzido pela American International Pictures (1961).

Francis X. Bushman morreu de ataque cardíaco, em Pacific Palisades, Califórnia, a 23 de agosto de 1966, e foi sepultado no Forest Lawn Memorial Park, em Glendale. Um pouco apropriadamente, uma das suas últimas aparições na televisão (filmadas apenas semanas antes de sua morte) tinha sido como um colecionador de cinema mudo, ameaçado pelo Charada na série Batman. Bushman e seu co-star em The Grip of the Yukon, Neil Hamilton, aparecem juntos no episódio – sua primeira reunião em 38 anos.

Após sua morte, um episódio de |Voyage to the Bottom of the Sea com Bushman intepretando Old Man, foi lançado em outubro de 1966. Foi sua última atuação nas telas.

Por sua contribuição para o cinema, Bushman tem uma estrela na Calçada da Fama, no 1651 Vine St.

Seu filho Ralph Everly Bushman (1903–1978) fez carreira no cinema entre as décadas de 1920 e 1940, atuando em mais de 40 filmes. Muitas vezes foi anunciado como Francis X. Bushman, Jr. Outro filho, Bruce Bushman, foi diretor de arte e designer para Walt Disney, no Walt Disney Animation Studios.

Sua neta Barbara Bushman Quine casou com o ator Harry Morgan. Na quarta temporada de M*A*S*H, no episódio The Interview, o personagem interpretado por Harry Morgan, Coronel Potter, refere-se aos gloriosos dias da cavalaria como "... os dias de Douglas Fairbanks e Francis X. Bushman". Um neto, Pat Conway (1931–1981), filho do diretor Jack Conway e da filha de Bushman, Virginia, estrelou na série de western da ABC, Tombstone Territory.
Muito do trabalho de cinema mudo de Bushman foi perdido devido aos estragos da decomposição dos filmes. Além de Messala em Ben-Hur, ele não é muito conhecido em outros papéis do cinema mudo.

Filhos: Francis X. Bushman, Jr., Lenore Bushman, Bruce Bushman, Virginia Bushman
Cônjuge: Iva Millicient Richardson (de 1956 a 1966), Norma Emily Atkin (de 1933 a 1956), Beverly Bayne (de 1918 a 1925), Josephine Fladine Duval (de 1902 a 1918)
Neto / Neta: Pat Conway, Barbara Bushman