Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Luise Rainer
21Número de Fãs

Nascimento: 12 de Janeiro de 1910 (104 years)

Falecimento: 30 de Dezembro de 2014

Düsseldorf - Alemanha

Luise Rainer (Düsseldorf, 12 de janeiro de 1910 — Londres, 30 de dezembro de 2014) foi uma premiada atriz teuto-americana, vencedora de dois prêmios Oscar, na categoria Melhor atriz, por suas performances em Ziegfeld, o criador de estrelas ("The Great Ziegfeld", 1936) e Terra dos deuses ("The Good Earth", 1937). Em 1999 ela foi nomeada uma das 500 grandes lendas do cinema pelo American Film Institute.

Nascida na Alemanha, passou parte de sua infância e juventude em Viena, na Áustria, o que justifica o fato de, quando nos anos de seu apogeu, ter ficado conhecida como "The Viennese Teardrop" (A lágrima vienense), especialmente em razão de sua intensa habilidade dramática. Prevista a virar uma "nova Greta Garbo", Rainer tornou-se a primeira atriz a vencer dois Oscars e a primeira também a tê-los ganho em anos consecutivos, além de ter sido a atriz que mais viveu após ter sido premiada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas com um Oscar, e também a única alemã a vencer o prêmio.

Ela, no entanto, abandonou Hollywood em pleno auge devido a sua relutância em manter-se numa carreira dominada pelos chefes dos grandes estúdios. Rainer chegou a ser considerada para o papel principal em A dama das camélias ("Camille", 1936), que acabou sendo interpretado por Garbo - de quem logo ela arrebataria o Oscar, tendo sido considerada também para o papel de Scarlett O'Hara em E o vento levou ("Gone with the Wind", 1939), que coube à Vivien Leigh; além disso, Federico Fellini, que nos anos 1960 esteve interessado em promover um retorno da atriz às telas, escrevera para ela uma cena em A doce vida ("La dolce vita", 1960) que acabou nunca sendo filmada.

Embora naturalizada cidadã dos Estados Unidos, Rainer passou a viver entre o Reino Unido e a Suíça a partir de meados dos anos 1940. Em 1989 fixou-se definitivamente na Inglaterra, na cidade de Londres, capital do Reino Unido, lá permanecendo até o dia de sua morte, em 30 de dezembro de 2014, aos 104 anos, em decorrência de uma pneumonia. Por sua contribuição à indústria do cinema, ela recebeu uma estrela na Calçada da Fama, que encontra-se localizada no número 6300 da Hollywood Boulevard.

Ela viveu, até o dia de sua morte, em Eaton Square, na cidade de Londres, num apartamento onde uma vez residiu Vivien Leigh, outra bicampeã do Oscar. Das atrizes premiadas pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas durante a década de 30 ela foi a única a ter vivido até a década de 2010, sendo também a atriz que mais viveu após ganhar um Oscar - 77 anos após sua primeira vitória e 76 após a segunda -, seguida pelas irmãs Joan Fontaine e Olivia de Havilland - Fontaine, nascida em 1917, foi premiada em 1942 e viveu mais 71 anos após sua vitória sobre o prêmio, falecendo em 2013 aos 96 anos; já De Havilland, nascida em 1916, foi premiada em 1947 e 1950, sendo, assim como Rainer, uma bicampeã do Oscar, e, com a morte de Rainer, passa a ser a mais antiga atriz hollywoodiana viva nos dias de hoje, juntamente com o ator Kirk Douglas, nascido em 1916.

Filha: Francesca Knittel-Bowyer
Cônjuge: Robert Knittel (de 1945 a 1989), Clifford Odets (de 1937 a 1940)