filmow.com/usuario/birovisky/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > birovisky
26 years, Matão-SP (BRA)
Usuário desde Fevereiro de 2016
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Últimas opiniões enviadas

  • Felipe

    Sem espaços e na íntegra: h t t p s : / /rezenhando . wordpress . com /2017/10/17/rezenha-critica-k-pax-2001/

    Voltando aquela positiva onda de excelentes filmes desta vez um que há anos, desde que comecei a assistir House of Cards prometia ver e nunca conseguia ou simplesmente esnobava, sabe-se Deus porquê, sabendo que era um filme cuja temática me cativa e sem contar que estamos falando de Kevin Spacey (que não é este Deus da dramaturgia, mas nestes filmes mais pirados ele se sobressai). Finalmente fui conferir e me arrependo arduamente de ter perdido no mínimo 15 anos sem ter assistido esta obra prima mais de uma vez, e quando falo obra prima não é apenas pela magistrosa atuação do “Presidente”, também por todas as nuances que o filme nos remete. Confiram a “rezenha” crítica de K-PAX: O Caminho da Luz.

    O nome não instiga nenhum marketing para si, tanto que a costumeira distribuição brasileira resolveu adicionar ao nome original os dizeres “O Caminho da Luz” que mais abaixo saberão o porquê e que neste caso tem toda a significância, diferente de muitos filmes com o título alterado ou traduzido por aí.

    O personagem de Kevin Spacey chama-se Prot, um homem misterioso, que vive dizendo ter vindo do planeta K-Pax, distante 1000 anos-luz da Terra. Por causa disto ele é internado em um hospício, onde conhece o Dr. Mark Powell (Jeff Bridges), um psiquiatra disposto a provar que ele na verdade sofre de um grave distúrbio de personalidade. Mas as descrições de Prot sobre como é a vida em seu planeta acabam encantando os demais pacientes do hospício, fazendo com que eles queiram ir com Prot quando ele diz que está próximo o dia em que deverá voltar ao seu planeta.

    O filme divaga sobre discussões bastante pertinentes, inclusive, tornou-se ainda mais atual em relação a data que o filme foi lançado. Quando se trata dos duvidosos e viciantes tratamentos psicológicos através de remédios, as discussões e situações contraditórias entre Prot e o psicologo Mark são um tapa com luva de pelíca na cara dos mais atentos ou também àqueles que acham que ainda estão vivos apenas à base de remédios inventando inúmeras desculpas esfarrapadas.

    Fora isso, o até então ganhador do Oscar de Melhor Ator já nos primeiros segundos mostra o quão foda é como personagem, sua chegada em meio a um feixe de luz com aqueles óculos vermelhos dão o toque de mistério, e em sua primeira expressão já nos prende, e isso destoa pelo filme todo. Porque além dos trejeitos de Prot, em vários momentos o personagem esteve sob hipnose e o ator muda drasticamente a interpretação, fora outros momentos igualmente incríveis, como a memorável cena onde Prot come as frutas na frente do psicologo, inesquecíveis.

    Relativiza a ideia de loucura, denunciando a institucionalização da mesma, com um final inspirado em Nietzsche e seu “Amor Fati” (Eterno Retorno).
    Maravilhoso: Inspirador, delicado, cheio de minúcias emocionantes para quem consegue perceber, principalmente na transição do segundo para o terceiro ato quando é entregue o que o telespectador mais ânsia, ali dependendo do seu estado de espírito pode até chorar, porque não?

    Além do ceticismo dos médicos e a constante provação que Prot os faz passar (de forma bem convincente por sinal) o filme entra de cabeça na ambientação do próprio hospício e os anseios dos que lá estão, até então sendo tratados a base de remédio apenas procrastinando seus distúrbios, sendo que quando surge um ser com tamanha elevação espiritual, apenas com uma boa conversa e entendendo de fato o que estas pessoas precisam “as cura”.

    Se analisarmos um pouco mais afundo conseguimos inclusive entender como nossa sociedade destroi os que até inconscientemente destacam-se, todos os que perturbam a ordem social com sua mera presença por mais elevado que seja o espírito desses como é o caso do protagonista da trama (vide Jesus Cristo também, mas aí poderia escrever uma “rezenha” exclusivamente sobre este tema. O filme nos faz questionar não só sobre se Prot é de fato um louco como também sobre a loucura institucionalizada em nossa sociedade tida como normal.

    É o tipo de filme que foi subestimado quando saiu, muito por conta do simplório e confuso nome, mas que nunca perderá a essência, e que tornou-se atemporal e com um dos melhores plot twisties (desfechos) do cinema deixando você por dias pensando e analisando várias teorias.

    Iria assistir de novo? Com certeza.

    Minha nota é 5/5.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Felipe

    Sem mais e sem mimimis - h t t p s : / / rezenhando . wordpress . com /2017/10/16/rezenha-critica-kingsman-o-circulo-dourado-2017/

    O filme teve duas grandes cartadas, o primeiro foi manter o mesmo ritmo frenético do anterior com aquela trilha sonora marcante e claro o que mais foi foda do anterior, um ator de peso como vilão, com um propósito que está em nossa cara nos noticiários do dia a dia… a periculosidade que isso pode ocasionar caindo em mãos erradas de algum megalomaníaco como é o caso de ambos, neste temos nada mais nada menos que Julianne Moore como vilã, toda caricata e exageradamente ensandecida de acordo com a proposta que esta alucinante aventura clama interpretando uma das maiores traficantes de drogas do mundo e que a partir da sua “logística perfeita” dissemina um vírus mortal sem cura pela humanidade, onde apenas ela tem o antídoto (quer coisa melhor que isso? Se fosse em outra franquia estaria fadado ao fracasso, não na ambientação de Kingsman!!!), sem contar a sua forma única e bizarra de penalizar seus funcionários desobedientes.

    A segunda cartada e a que acho que ninguém esperava foi além de brincar com os filmes de espionagem inglês e que deu muito certo no primeiro, foi trazer a cultura sulista norte americana com mais uma agência de espionagem secreta, a Statesman, localizada no sul dos Estados Unidos em Kentucky, com direito a todos os costumes e piadas prontas da região, inclusive da diferença entre os costumes ingleses e dos sulistas americanos, todas muito bem encaixadas fazendo todo mundo raxa o bico de rir no cinema. Algumas são piadas mais internas, principalmente envolvendo bebidas, que só bons degustadores das coisas boas da vida pegam no ar e dão risada! E nada me tira que usaram o Jack Daniels como exemplo e a cidade de Tenesse onde é fabricado hehehehe!

    O filme possui cenas de ação memoráveis tão boas quanto o primeiro, não tão melhores porque foram utilizados os mesmos recursos e o que diminui foi o fator surpresa do primeiro, neste quesito foi mais do mesmo, mas quem liga? Foram novamente muito bem dirigidas por Matthew Vaughn. Tanto que o filme já começou de uma forma que adoro, alucinante, numa correria ensandecida com uma sequência de tirar o fôlego.

    Outro fator memorável é terem incluído no filme Elton John. Cara foi a válvula de espape do filme, e isso sim foi um fator surpresa se é isso que nego fica utilizando de desculpinha. Sensacional… o bichinho estava com sangue no zóio no filme!

    Única coisa que incomodou foram os objetos ultra tecnológicos que inseriram, mas tratando-se de Kingsman é compreensível.

    E que elenco amigos, que elenco!

    Assim como a franquia John Wick (Confiram “rezenhas” aqui), disparado as melhores do gênero depois de muito tempo o gênero ação brucutu ficar esquecido no cenário Mainstream!

    Iria assistir de novo? Com certeza.

    Minha nota é 4/5.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Filmow
    Filmow

    O Oscar 2017 está logo aí e teremos o nosso tradicional BOLÃO DO OSCAR FILMOW!

    Serão 3 vencedores no Bolão com prêmios da loja Chico Rei para os três participantes que mais acertarem nas categorias da premiação. (O 1º lugar vai ganhar um kit da Chico Rei com 01 camiseta + 01 caneca + 01 almofada; o 2º lugar 01 camiseta da Chico Rei; e o 3º lugar 01 almofada da Chico Rei.)

    Vem participar da brincadeira com a gente, acesse https://filmow.com/bolao-do-oscar/ para votar.
    Boa sorte! :)

    * Lembrando que faremos uma transmissão ao vivo via Facebook e Youtube da Casa Filmow na noite da cerimônia, dia 26 de fevereiro. Confirme presença no evento https://www.facebook.com/events/250416102068445/

  • muriel
    muriel

    dai felipe, vi que você estava comentando que tem o filme "Ma Vie De Courgette" no stremio, sabe me dizer como esta o nome, pois não encontro com as versões dos titulos que tenho do filme.. valeu!!