Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Bernardo Bertolucci
1732Número de Fãs

Nascimento: 16 de Março de 1940 (77 years)

Parma, Emilia-Romagna - Itália

Filho do poeta, crítico de cinema e professor Attilio Bertolucci e irmão mais velho do também diretor Giuseppe Bertolucci, Bernardo Bertolucci começou a carreira cinematográfica com dois curtas-metragens amadores em 1959 e 1960. Ele se iniciou na literatura com o livro "Em Busca do Mistério", que ganhou o Prêmio Viareggio, um dos mais importantes prêmios literários da Itália.

Em 1961, Bernardo Bertolucci largou os estudos de literatura moderna na Universidade de Roma após trabalhar como assistente de direção no filme "Accattone", de Pier Paolo Pasolini. No set de filmagens conheceu a atriz Adriana Asti, que se tornaria sua companheira. Em 1962, dirigiu "La commare secca", mas obteve reconhecimento com seu segundo filme, "Antes da revolução", em que já demonstrava seu estilo político e comprometido com seu tempo. Em 1967, escreveu o roteiro de 'Era uma vez no oeste, o melhor filme de Sérgio Leone.
Já nos Estados Unidos, dirigiu "O conformista" (1970), que chegou a ser indicado para o Oscar de melhor roteiro. Em 1972, a sua primeira obra-prima, "O último tango em Paris", escandalizou meio mundo e deu a Bertolucci mais uma chance de concorrer ao Oscar, desta vez como diretor. Depois de fazer "1900", um filme monumental e muito ambicioso, Bertolucci partiu para o drama intimista em "La Luna".
Poucos cineastas demonstram tanta versatilidade, mantendo sempre sua marca autoral. Em 1987, consagrou-se com "O último imperador", que recebeu nove Oscars, incluindo os de melhor filme e melhor diretor. Em "O céu que nos protege" (no Brasil), "Um chá no deserto" (em Portugal), nova obra-prima, rodado em 1990, em pleno deserto do Sahara, Bertolucci extraiu interpretações fantásticas de Debra Winger e John Malkovich.
Em 1993 "O Pequeno Buda", apesar do sucesso, tem como principal marca a lentidão narrativa. Em seguida, filmou "Beleza Roubada" (1996), com Liv Tyler, e "Assédio" (1998).
Seus últimos filmes falam de relacionamentos e sentimentos, são profundamente intimistas como "Beleza roubada" e "Assédio".
"Os sonhadores" (2003), enfoca três jovens estudantes de cinema em Paris que, com o pano de fundo das revoltas estudantis do Maio de 1968, se vêem atraídos intelectual e emocionalmente.
Bertolucci é um cineasta ousado, que gosta de movimentos de câmara sofisticados, roteiros inteligentes e não tem medo de experimentar, mesmo quando trabalha com grandes orçamentos. Está em plena atividade e certamente vai virar o século à procura de um novo "clássico" para a sua já ampla coleção.