Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Lina Wertmüller

Lina Wertmüller

Nomes Alternativos: Arcangela Felice Assunta Job Wertmüller von Elgg Espanol von Brauchich

32Número de Fãs

Nascimento: 14 de Agosto de 1926 (91 years)

Roma - Itália

Lina Wertmüller é uma cineasta italiana.

Em 1951, inscreveu-se nos cursos de direção da Accademia Pietro Scharoff. Logo depois de ter recebido o diploma, foi trabalhar no teatro com Garinei e Giovannini. Foi assistente de direção de Giorgio De Lullo.

Sempre como assistente de direção, colaborou com Federico Fellini em “Otto e mezzo” (1963). Ao mesmo tempo, trabalhava no rádio e dirigia filmes para a televisão (“Canzonissima”).

Estreou como diretora de cinema através de “I basilichi” (1963). Em 1965 dirigiu para o cinema a obra em episódios “Questa volta parliamo di uomini” e para a televisão “Il giornalino di Gian Burrasca”, uma bem sucedida adaptação do romance homônimo de Vamba.

Sucessivamente, assinou para cinema outros dezessete longa-metragens, dos quais merecem menção “Mimi metellurgico ferito nell'onore” (1972), “Film d'amore e d'anarchia” (1973), “Travolti da un insolito destino nell’azzurro mare d'agosto” (1974), “Pasqualino Settebellezze” (1975): interpretados pelo casal Giancarlo Giannini e Mariangela Melato e marcados por nuances grotescas, paradoxais, exageradas, as quais definem um estilo inconfundível de direção apreciado também no exterior.

Era esposa do cenógrafo cinematográfico e teatral Enrico Job. Também publicou vários romances, entre os quais “Essere o avere, ma per essere devo avere la testa di Alvise su un piatto d’argento” e “Avrei voluto uno zio esibizionista” (Arnoldo Mondadori editores). Em 1999, Wertmüller retornou à direção com “Ferdinando e Carolina”, uma versão figurativa do Século das Luzes, na qual o protagonista, então agonizante, relembra toda sua vida.

Em 2001 foi lançado “Francesca e Nunziata”, filme extraído do romance homônimo da escritora napolitana Maria Orsini Natale. O filme é ambientado em Procida, em Terra Murata, na sacristia da Abadia de San Michele, em Punta Pizzaco, na baía da Corricella.

Foi muito amiga de Jorge Amado e veio várias vezes ao Brasil para definir a produção de Tieta com Sophia Loren, mas Cacá Diegues filmou primeiro.