Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Emmanuelle Riva

Emmanuelle Riva

Nomes Alternativos: Paulette Germaine Riva

402Número de Fãs

Nascimento: 24 de Fevereiro de 1927 (89 years)

Falecimento: 27 de Janeiro de 2017

Cheniménil, Vosges - França

Emmanuelle Riva, nome artístico de Paulette Germaine Riva (Cheniménil, Vosges 24 de fevereiro de 1927 — 27 de janeiro de 2017) foi uma atriz francesa, também conhecida como um dos símbolos do amor da Nouvelle vague. É conhecida por suas atuações nos filmes Hiroshima mon amour, Léon Morin, prêtre, Thérèse Desqueyroux e Amour. Em 2013, recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz Principal pela sua atuação em Amour. Foi a atriz mais idosa a receber uma indicação ao Oscar, nessa categoria.

Nasceu no vale do Vologne, no departamento dos Vosges, numa família operária de origem italiana (seu avô, Alfred Riva, era de Monvalle, Itália) . quando jovem, trabalhava como costureira. Grande leitora de obras teatrais, junta-se a um pequeno grupo amador de Remiremont. Convencida de sua aptidão artística e apesar da oposição da família, passa no concurso da École nationale supérieure des arts et techniques du théâtre (mais conhecida como école de la rue Blanche) e se transfere para Paris em 1953, com uma bolsa de estudos.

Seu papel mais conhecido foi como a protagonista (sem nome) de Hiroshima mon amour (1959), um dos filmes precursores da Nouvelle vague e um dos mais importantes da história do cinema. Durante as filmagens de Hiroshima mon amour, ela filmou na cidade de Hiroshima. Meio século mais tarde, as fotografias do filme foram expostas no Salão da Nikon e foram publicadas em livro na França e no Japão.

Riva também atuou em Adua e le compagne, Léon Morin, Prêtre, Desqueyroux Teresa (com o qual ganhou a Copa Volpi de melhor atriz no Festival de Veneza), Thomas l'imposteur, The Eyes, the Mouth, Trois couleurs: bleu (como a mãe de Juliette Binoche, a protagonista do filme), e Venus Beauty Institute.

Emmanuelle também era poetisa e publicou suas poesias em Juste derrière le sifflet des trains ( 1969, reeditado em 1976), Le Feu des miroirs (1975) e L'Otage du désir (1982).

Morreu em 27 de janeiro de 2017, aos 89 anos e tratava uma batalha contra o cancer ha alguns anos.