Programa Bar Academia

1983

Programa Bar Academia

Dirigido por:
Média geral 4.9
baseado em 11 votos
Sua avaliação:
salvando

No dia 15 de outubro de 1983, a Rede Manchete completava quatro meses e dez dias no ar com o lançamento de uma série chamada “Bar Academia”. Criada e dirigida por Maurício Sherman, a atração nasceu com uma quantidade certa de apresentações: 40, exatamente o número de músicos que seriam homenageados pela série e que receberiam o apelido de “freqüentadores exclusivos”.
Cada um desses “freqüentadores” tinha o direito de convidar um outro músico para participar do seu programa, além de também escolher um “patrono”, que deveria ser um ícone da música brasileira já falecido e que tivesse influenciado fortemente a vida e o trabalho do convidado da vez. Confira a lista completa dos patronos do “Bar Academia”:
Noel Rosa, Ary Barroso, Lamartine Babo, Sinhô, Assis Valente, Ataulfo Alves, Pixinguinha, Antônio Maria, Adoniran Barbosa, Custódio Mesquita, Cartola, Wilson Batista, André Filho, Benedito Lacerda, Vinícius de Moraes, Geraldo Pereira, Paulo da Portela, Garoto, Vicente Paiva, Ismael Silva, Lupiscínio Rodrigues, Heitor dos Prazeres, Dolores Duran, Zequinha de Abreu, Chiquinha Gonzaga, Eduardo Nazareth, Luiz Reis, Haroldo Lobo, Joubert; de Carvalho, Vicente Celestino, Waldir Azevedo, Maysa, Miguel Gustavo, Donga, Jackson do Pandeiro, Silas de Oliveira, Jacob do Bandolin Monsueto, Alberto Ribeiro, Dona Ivone Lara e Humberto Teixeira.
A caricatura desses patronos, em tamanho real, compunha o cenário do “Bar Academia”, cujo elemento principal era uma mesa de botequim que ficava ao centro do palco. Seria em torno dela que se desenrolariam as conversas entre o músico homenageado e o apresentador da atração: o grande ator Walmor Chagas.
Chagas havia acabado de ter uma experiência bem-sucedida como animador no programa “Quem Sabe Sabe”, na TV Cultura, onde comandava uma grande gincana de perguntas e respostas entre estudantes universitários do Estado de São Paulo. O ator, ao mesmo tempo em que gravava o “Bar Academia” na Manchete, também se preparava para viver o vilão Horácio Ragner de “Eu Prometo”, então nova novela das dez da Rede Globo (a última novela de Janete Clair e que, até antes de entrar no ar, se chamava “O Homem Perfeito”). Ou seja: Walmor estava, ao mesmo tempo, com programas inéditos, no horário nobre da Globo e da Manchete.
A estréia foi com Chico Buarque, que teve Noel Rosa como patrono. Walmor Chagas abriu as portas do seu “Bar Academia” com as seguintes palavras: “Boa noite, meus amigos. Este é um momento muito especial para a música popular brasileira. Não importa de que tendência, desde que tenha manemolência; não importa de qual inspiração, desde que venha do coração. É para ela – a boa MPB – que nossas portas estarão sempre abertas. Porque este é o ‘Bar Academia’, onde só servimos coisas autênticas. Onde música falsificada não entra”.
Ângela Rô Rô foi a primeira mulher homenageada pelo programa. Sua patrona: Maysa.

Estreia Brasil:
15 de Outubro de 1983
Outras datas
Denunciar algo errado
Trailers

Comentar: