Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

    Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Roberto Berliner
6Número de Fãs

Rio de Janeiro

Carioca, nascido em 1957, foi ator e diretor de teatro e formou-se em jornalismo pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro – Eco/UFRJ. Trabalhou por três anos no centro de documentação da TV Globo (1980-83) e em 1982 abriu a produtora Antevê. Um ano depois, editou Ovídio, vídeo de Joaquim Pedro de Andrade. Foi diretor de produção de Com licença, eu vou à luta (1986), de Lui Farias. Em 1988, dirigiu o documentário Angola. No ano seguinte, novamente na Rede Globo, dirigiu o programa semanal Juba e Lula. Entre os muitos videoclipes premiados que dirigiu, estão os de artistas como Paralamas do Sucesso, Skank, Lenine, Lobão, Pedro Luís e a Parede, Lulu Santos, Ney Matogrosso, e Gabriel O Pensador. Em 1992, assumiu a direção da TvZero, produtora de longas, curtas, videoclipes e filmes publicitários, onde está até hoje. Em 1993, dirigiu o documentário God For All. Em 1994, foi um dos quatro co-diretores de Murilo Salles no longa Todos os corações do mundo, sobre a Copa do Mundo daquele ano. Entre 1996 e 1997, dirigiu a série Free jazz, sobre diferentes tendências musicais no mundo. Em 1997, iniciou o projeto Som da rua, uma série de 50 mini-documentários sobre músicos de rua. No ano seguinte, dirigiu o curta documentário A pessoa é para o que nasce, vencedor de vários prêmios nacionais (É Tudo Verdade, Festival do Recife, Festival do Rio) e internacionais (Bilbao, São Francisco), e que deu origem ao longa-metragem homônimo, lançado em 2005, vencedor do prêmio de melhor filme no Cine Ceará. Em 2002, dirigiu o curta Afinação de interioridade. Em 2006, no 11º É tudo verdade, lançou o documentário Herbert de perto, co-dirigido com Pedro Bronz, sobre a vida do músico Herbert Vianna. Em 2007, lançou no festival do Rio o documentário Pindorama – a verdadeira história dos sete anões, que co-dirigiu com Lula Queiroga e Leo Crivellare. Iniciou tambéma preparação de A Senhora das Imagens, seu primeiro longa de ficção, baseado na vida da Dra. Nise da Silveira.