Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Agnes Ayres

Agnes Ayres

Nomes Alternativos: Agnes Eyre Henkel

7Número de Fãs

Nascimento: 4 de Abril de 1898 (42 years)

Falecimento: 25 de Dezembro de 1940

Carbondale, Illinois, USA - Estados Unidos da América

Agnes Ayres {Carbondale (Illinois), 4 de abril de 1898 – 25 de dezembro de 1940) foi uma atriz estadunidense que fez sucesso durante o cinema mudo.

Nascida como Agnes Eyre Henkel, iniciou sua carreira em 1914 com a participação como figurante do Essanay Studios. Mudou-se em seguida para Nova York para seguir a carreira de atriz, quando Alice Joyce reparou na semelhança física entre as duas e foi por ela indicada para interpretar sua irmã na película Richard the Brazen (1917). Sua carreira ganhou impulso, contudo, quando o fundador da Paramount Pictures, Jesse Lasky, se interessou por ela, e deu-lhe um papel num filme sobre a Guerra Civil, de 1920 e fez com que integrasse várias produções de Cecil B. DeMille.[1] Neste período Ayres logo se divorciou do capitão Frank P. Schuker, com quem havia se casado durante a I Guerra Mundial, e começou um romance com o patrão, Lasky.[2]

Em 1921 Ayres atingiu o estrelato, ao interpretar Lady Diana Mayo, uma herdeira inglesa, contracenando com o "amante latino" Rodolfo Valentino no filme The Sheik, e reprisou o papel na sequência de 1926, Son of the Sheik. Após o sucesso de The Sheik, teve papeis importantes em outros filmes, como The Affairs of Anatol (1921) estrelado por Wallace Reid, Forbidden Fruit (1921), e no épico de Cecil B. DeMille The Ten Commandments (1923).

Neste último ano sua carreira começou a declinar, com o fim de seu relacionamento com Lasky. Casou-se então com o diplomata mexicano, Manuel S. Reachi, em 1924. O casal teve uma filha, antes de se divorciar, em 1927.[3]

Com a Crise de 1929 Ayres perdeu toda sua fortuna e propriedades. Também neste ano apareceu no seu último papel relevante, em The Donovan Affair, estrelado por Jack Holt. Para sobreviver, abandonou o cinema e passou a atuar no vaudeville. Em 1936 tentou retornar para os filmes, mas somente conseguiu pequenos papeis, muitos dos quais sem créditos, até que resolveu aposentar-se, no ano seguinte.[3]

Após sua aposentadoria, Ayres ficou deprimida e acabou por ser internada num sanatório. Ela também perdeu a guarda de sua filha para seu ex-marido, Manuel S. Reachi, em 1939.[3]

Morreu de acidente vascular cerebral, no natal de 1940, em casa, aos 42 anos de idade.[4]

Figura como uma das estrelas na Calçada da Fama de Hollywood.