Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

filmow.com/usuario/_letmesee/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > _letmesee
26 years (BRA)
Usuária desde Abril de 2010
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Últimas opiniões enviadas

  • Grasi

    Acho que foi minha temporada preferida até agora.
    Nessa temporada vemos um crescimento enorme das personagens e da relação delas. Amo muito Lynette e Bree, mas um dos pontos altos foram os plots da Gabby e da Edie.

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    meu episódio preferido é o do supermercado, mas a cena da Edie se despindo na frente do Carlos me emocionou muito

    Sigo com minhas meninas <3

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Grasi

    Nós temos outros filmes, lésbicos inclusive, que exploram comunidades fechadas e/ou religião, vide Saving Face, por exemplo, que nem de longe tem o tom pesado e claustrofóbico de Disobedience. Por isso não concordei quando vi muitos comentários falando de como o filme não é sobre a religião ou como ele virou "dramalhão cheio de clichês". A própria condução do Sebastian, nos levando pelas caminhadas na rua cheias de planos fechados nos faz nos sentir como a Esti e como a Ronit, cada uma a sua maneira afetada pelo peso daquela vida.

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    Já sobre o relacionamento das duas, de cara fica claro que a Ronit não mantém o mesmo amor que a Esti, ainda mais por ter visto o mundo, se relacionado com outras pessoas... o que eu senti mesmo é que a volta da Ronit serviu pra reavivar aquele sentimento da juventude, a nostalgia das descobertas e aí a Esti caiu de cabeça de novo em algo que sempre foi a vida dela, mas que ela não conseguiu assumir depois da partida da Ronit e da depressão. Então sim, a Ronit ainda é um pouco leviana com esses sentimentos, por isso a pergunta "vamos comigo para NYC?" demora tanto a acontecer. O Dovid pra mim luta o tempo todo com o homem da religião e o garoto que tinha duas melhores amigas, pois a volta da Ronit também traz pra ele os mesmos sentimentos. Pra mim, não fica claro se a Esti vai continuar casada ou morando na comunidade não, tem uma fala no táxi onde a Ronit pergunta se a Esti vai dizer pra ela onde está. Eu prefiro acreditar que ela vai sair de lá, haha
    Enfim, achei tudo muito "justo", bem conduzido e muito real. Conseguia me por no lugar das personagens a cada cena. Senti também bem demarcada a dualidade da religião, pois não houve nenhum tipo de "redenção" a não ser do Dovid mesmo que resolveu ceder ao garoto dentro dele e deixar as coisas seguirem seu rumo. Achei competente e lindo de várias formas. Quero ver novamente.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Grasi

    Sem muita condição de escrever sobre o filme logo após ter visto, só consigo pensar no quanto as Rachels e o Nivola foram maravilhosos. Que trio.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Larissa G. Pierry
    Larissa G. Pierry

    Sim, Viamão é muito grande mesmo, mas parece ter vários problemas parecidos, apesar de em BEM MAIOR escala. Não adianta, sempre pode piorar né, tu olha pro lado e os outros tem problemas que tu não tem e vice-versa, sei lá, o sistema público tá foda pq as pessoas se apropriam dele achando que tão em casa e podem fazer o que bem entendem, tão cagando pra políticas públicas, é só pra se sustentar mesmo, não há um projeto de trabalho ou de vida.
    E tipo, vê só, comparando o modus operandi de 2 CRAS no mesmo estado, é completamente diferente!! Eu sei que não precisa ser exatamente igual à política, é apenas uma diretriz, mas sei lá, parece que tu fica meio que perdida no meio desse jogo de poder e politicagem...ainda se fosse: "vamos fazer dessa forma pois beneficia mais o nosso usuário", jura.
    Aqui por exemplo, minha grande questão é que eu e a colega AS não deveríamos coordenar grupos de faixas etárias diferentes TODAS as semanas do SCFV, e sim deveria ter um orientador social para isso. mas esse cargo não existe no município, então se a gente sugere trabalhar de outra forma é visto com muita desconfiança, como se não quiséssemos trabalhar, "sempre foi feito assim, pq mudar agora?"
    Sobre o carro pra fazer VD, não, o Conselho Tutelar é tipo o único que tem um carro só pra eles, sei que é prerrogativa e tal, mas mesmo numa cidade tão pequena, o transporte na prefeitura é mega concorrido hahaha, conseguimos se agendar com no minimo 1 semana de antecedência, mas sim, estamos pensando em ir até as pessoas pra preencher os prontuários. Colocamos isso pra secretária da política e ela não nos liberou, com o argumento de que nesse dia da semana (que planejamos deixar pra preencher os prontuários) ainda podíamos encaixar mais horários de grupos.
    Então tipo, é muito frustrante pq só o que querem de nós é produtividade e fotos pra colocar no site da prefeitura, não estão interessados em qualidade ou propósito do trabalho. Meu medo tbm é até quando vão ir esses grupos, entende, eu sei que os grupos do SCFV em tese são forevis, mas não sei como é quando eles são coordenados por uma psico e uma assistente social. Tipo, cara, a gente poderia estar fazendo muito mais do que apenar ter todo o nosso tempo englobado apenas fazendo grupos com pessoas que nem são o público-alvo do CRAS, podíamos estar realmente fazendo acompanhamentos familiares, sei lá. Tô só reclamando tbm, mas tá sendo tudo muito enriquecedor, de uma forma bosta, tipo, "tá eu não vou ser assim", pra mim tá sendo especialmente importante pq eu tava com ranço da profissão antes de vir pra cá, quase fiquei em SM fazendo Jornalismo, mas aí agora eu to dando um novo significado, porra, a Psicologia pode ser extremamente subversiva e resistente em locais como esse, e eu pretendo ser exatamente isso. tô aqui pra incomodar USUHSHA.

  • Larissa G. Pierry
    Larissa G. Pierry

    Bah, na UFSM tbm tem os coxinhas da TCC e o pessoal full-time humanas, querendo fazer roda de conversa 3x por semana hahahahha eu ri.
    Mas agora, dando uma atualizada na situação, saí do hotel (eeeee), tava absurdamente caro e né, é um hotel, não tem conforto nem uma cozinha, pqp. O que aconteceu foi que uma colega de CRAS me convidou pra dividir ap, ela já morava em um ap de 2 quartos, então só precisou reorganizar um pouco a casa e já tinha espaço pra mim, tá sendo muito de boas, ela é bem tranquila e o espaço é massa, pela primeira vez me sinto numa casa for realz nessa cidade. Então aquela ideia de ir e voltar pra SM todo dia não vai mais rolar, pelo menos por enquanto, tbm percebi q não ia conseguir aguentar a rotina, eu já venho morrendo 1x por semana por ter que acordar 5 e pouco pra pegar o bus as 6h30, então prefiro passar metade da semana em um lugar e metade noutro.
    Sim total, ter essa autonomia, financeira principalmente, é extremamente angustiante, mas é isso, tudo aqui tá acontecendo de forma tão natural, apesar de difícil (?) mas as coisas tão fluindo, essas decisões que eu to tomando nunca pensei que iriam rolar de forma tão rápida, é como se algumas situações nos forçassem a ser mais autônomas mesmo, tudo é um processo. Por exemplo, pra mim tem muito esse lance de ser introvertida, MAH NUNCA na vida me imaginei coordenando grupos ou falando pra um público maior do que sei lá, 2 pessoas, e agora tá sendo cada vez mais confortável esse lugar, consigo acordar de manhã e não desintegrar toda vez que eu sei que preciso coordenar um grupo...mas claro, sem os estágios na faculdade e principalmente sem a residência, não seria a mesma coisa.
    Cara, agora que tu falou faz sentido mesmo, mas pq diabos 2014 e 2015 foram o ano da teoria queer? hahaha questiono total hoje, parece algo tão fora da nossa realidade, tendo em vista todas as violações de direitos básicos que tão rolando agora #elenão.
    Meo, já pensei nessa ideia de TCC tbm, mas provavelmente com outro diretor, tipo David Lynch, muito pretensa tbm UHASHUSH.

  • Bruna
    Bruna

    Falta quanto pra você terminar a faculdade, loca? Pra qual cidade do RS tu vai??? Vem pra SC!
    "eu tava vendo só série e daí me deu um estalo que eu tinha que voltar a ver filmes" Eu tava muito assim! Antes eu não conseguia ver séries, achava perda de tempo, etc. Agora eu tenho esses lapsos. Fico vendo série direto, aí bum, volto aos filmes, ai bum, volto as series... auahuah Triste, antes eu via muito mais filmes =(
    Eu tava viajando!!! Conheci a Nova Zelândia <333 E mudei de curso da faculdade pela milésima vez... Um dia eu me formo.