filmow.com/usuario/nazaa/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > nazaa
26 years, Criciúma/ SC (BRA)
Usuário desde Fevereiro de 2011
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Últimas opiniões enviadas

  • Nazil

    Terminei o filme com aquela sensação de soco no estômago. "Espero que a obra alcance o máximo de pessoas", pensei comigo. Na minha ingenuidade, imaginei que o filme seria capaz de gerar um mínimo de empatia a determinados brasileiros. Ledo engano.

    Basta um rolamento de comentários nessa página pra notar o poço de ignorância e falta de empatia com o próximo em que estamos nos afundando.

    Incrível como eles nem disfarçam. Alguém comentou algo como "semelhanças com o momento atual do país" e teve como resposta um "aceita que dói menos, dona mortadela".

    Outro usuário está respondendo a todos os comentários (provavelmente não trabalha), insistindo na tese de que "os negros é que são mais racistas" (uma evidente falácia), crente de que isso é o aval definitivo para que ele mesmo, um branco, possa ser racista em paz. Refutado por qualquer um que tenha neurônios, a primeira resposta é uma ofensa - "viadinho" para os homens, "sapa" para as mulheres.

    O cidadão, sem citar fontes, alega que alguns bairros americanos ocupados por negros não permitem a entrada de brancos. Como se isso fosse uma grande ofensa a ele próprio, já que, não tenho qualquer dúvidas, esses bairros devem ser super desenvolvidos e um grande atrativo para turistas, e não periferias negligenciadas pelo Estado, que os negros foram obrigados a ocupar por causa de... bem... racismo.

    Esquece-se ele que até 1930, nem menos de um século, os EUA tinha leis que permitia que negros fossem proibidos de adquirir imóvel em determinadas regiões mais desenvolvidas. Esquece-se ele de que, até hoje, as especulações imobiliárias nos EUA levam em conta a presença de negros na vizinhança para precificar as casas. Isso sem citar os séculos de opressão que levaram a esse quadro. Mas né, na cabeça do cidadão, o racismo vem do negro que não permite que brancos entrem em sua periferia. Uma piada.
    (https : / / www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/01/160110_eua_segregacao_fn)

    Outro argumento poderosíssimo do cidadão é o de que "os negros em seus 99%, quando ficam ricos e famosos se casam logo com uma loirinha dos olhos azuis". De onde surgiu isso? Porque o que me vem à mente primeiro é o Lázaro Ramos casado com a Thais Araujo, o Obama casado com a Michelle, o Will Smith casado com a Jada Pinkett e o Jay-Z casado com a Beyoncé.

    Como eu imagino que o cidadão refere-se ao pequeno mundo de jogadores de futebol negros, vai aqui uma dica: esse é um estereótipo falacioso e diz muito mais sobre a incapacidade do cara de conquistar mulheres loiras de olhos azuis do que sobre o racismo. Aliás, recordo que o Denzel Washington, ativista negro, ficou 20 anos sem dar um único beijo em uma mulher branca nos filmes que fez, porque não quis alimentar esse estereótipo prejudicial.
    (http : / / todosnegrosdomundo.com.br/denzel-washington-recusou-beijos-de-atrizes-brancas-revelados-aqui-os-reais-motivos/)

    No fim das contas, o que é mais engraçado acaba sendo o rancor que esse tipo de pessoa guarda do filme por tocar numa ferida que ele não queria que fosse tocada: seu privilégio como branco. Até mesmo os comentários que se limitam a analisar somente o aspecto técnico do filme, fazem questão de responder que é "só um filmeco de ficção". O cara chega ao cúmulo de querer inventar furos de roteiro para justificar sua opinião.

    Mas acontece que, pro seu desespero, o filme dialoga muito mais com a realidade do que com a ficção. Inclusive é baseado em fatos reais. E o furo que o cidadão aponta - "um negro estar lá em uma reunião da Klan" - na verdade aconteceu (de verdade). Está no livro que inspirou o filme (livro que não é uma obra de ficção) e o verdadeiro Ron Stallworth contou em entrevista ao New York Post que até mesmo a cena em que ele tira uma foto com o David Duke é verdadeira.
    (https : / / nypost.com/2018/06/02/that-time-a-black-cop-went-undercover-with-the-kkk/)
    (http : / / www.historyvshollywood.com/reelfaces/blackkklansman/)

    Ou seja, para o cidadão, o grande furo do filme acaba sendo ele ter adaptado uma cena real. Risos.

    Um grande abraço e me desculpem demais usuários do filmow se dei muito palco para palhaço.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Nazil

    Beleza, a palhaça troca todos os amigos que a acolheram - incluindo o marido - pela carreira profissional e depois de esculachar o cara por nove anos, chegando a dizer que nunca o amaria e que nunca dariam certo, percebe que era o cara da vida dela, só porque o viu feliz com a esposa. Final cocozento. Aposto minhas fichas que foi ela que botou veneno na comida da mother (PLOT TWIST!!!!).

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Arthur
    Arthur

    Nazil

    Marcou o filme:
    Invasão à Londres
    como: Quero Ver

    nao
    nao
    apenas nao

  • Louise
    Louise

    hahahaha, ai nazil -.-

  • Johnatan Neuls Pasta
    Johnatan Neuls Pasta

    Haha boa! boyhood acho que pelo menos o Linklater leva de melhor diretor pela trabalheira né? Whiplash achei animal tb, roteiro foda, vontade de aprender bateria hauahuah. A teoria de tudo mt bom tb, trilha sonora de chorar hahah. Ah nao sei pra qual torcer, oscar esse ano ta demais.

Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.