Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Marcelo Tas

Marcelo Tas

Nomes Alternativos: Marcelo Tristão Athayde de Souza

94Número de Fãs

Nascimento: 10 de Novembro de 1959 (58 years)

Ituverava, São Paulo - Brasil

Nascido em 1959, Marcelo Tristão Athayde de Souza foi repórter, ator, apresentador, roteirista e diretor de diversos programas de televisão e rádio.

Formou-se em Engenharia Civil na USP em 1983. Ainda em neste ano iniciou sua carreira na televisão no programa 23ª hora, uma mixagem de reportagens e vídeos produzido pelo jornalista Goulart de Andrade na TV Gazeta de São Paulo. Goulart convidou a produtora Olhar Eletrônico, da qual faziam parte Marcelo Tas, Fernando Meirelles, Tonico Ramos e Marcelo Machado, entre outros, para preencher parte do seu programa, após conhecê-los em um dos festivais Vídeo Brasil, do Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo. Em 1984, apresentou na mesma emissora o programa Crig-Rá endereçado aos jovens com reportagens e videos clips (inclusive com apresentações de vídeos da MTV estadunidense, então desconhecida no Brasil) com o seu personagem Bob Mc Jack. Ficou conhecido pelo seu personagem humorístico Ernesto Varela, um repórter fictício que ironizava personalidades políticas da época da abertura, dirigindo-lhes perguntas desconcertantes. Ficou célebre e entrou para a história com a sua pergunta direta a Paulo Maluf que, surpreso, virou as costas e deixou a sala em que estavam:

"Muitas pessoas não gostam do senhor, dizem que o senhor é corrupto. É verdade isso, deputado?".

Durante a Copa do Mundo de 1986, quando participava da cobertura pelo "pool" de emissoras formado pelo SBT e Record fez uma entrevista ácida com o então dirigente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e deputado federal Nabi Abi Chedid que ganhou bastante repercussão.

Também foram marcantes suas participações nos programas Video Show na Rede Globo (entre abril e agosto de 1987, onde ficou conhecido como "Cabeça Branca" (uma referência ao personagem da televisão inglesa chamado Max Headroom), Vitrine na TV Cultura, e Saca-Rolha, ao lado de Lobão e Mariana Weickert na Rede 21 e posteriormente na PlayTV bem como sua atuação como diretor e roteirista de programas premiados internacionalmente, como o Rá-Tim-Bum (onde interpretava o estereotipado Professor Tibúrcio) e o Castelo Rá-Tim-Bum (Telekid, que respondia sempre o "porque sim não é resposta") . Escreveu ainda o roteiro para o Programa Legal e coordenou a criação de 1.140 edições do Telecurso 2000.

É graduado em engenharia civil pela Escola Politécnica da USP, em 1982. Iniciou o curso de graduação em rádio e TV pela Escola de Comunicação e Artes da USP em 1980, mas não o concluiu. Tem curso de Aperfeiçoamento Profissional em Cinema e Televisão e em Multimídia e Novas Tecnologias pelo Fulbright Scholarship Program na Tish School of Arts da Universidade de Nova Iorque, realizados entre 1987 e 1988.

Tas já foi colunista do jornal O Estado de S. Paulo (caderno "Link", 2004-2005). A partir de março de 2008, tornou-se apresentador do programa CQC, na Band, ao lado de Rafinha Bastos e Marco Luque, o que lhe rendeu maior projeção nacional na década de 2000. O programa, que segue uma linha de perguntas humorísticas sobre questões políticas fez relembrar Ernesto Varela, seu antigo personagem. Marcelo também tem o seu próprio blog, o Blog do Tas, iniciado em agosto de 2003 no UOL e transferido para o portal Terra em outubro de 2010.

Em novembro de 2009 Tas lançou um livro, intitulado Nunca antes na história deste país. O livro é baseado nas frases mais polêmicas e engraçadas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, principalmente durante o período em que exerce a presidência da República (de 2003 até 2009, quando da publicação do livro).

Em 31 de dezembro de 2009 estreou no canal pago Cartoon Network seu novo programa intitulado Plantão do Tas, uma espécie de telejornal só que com notícias fictícias e voltado ao público infantil.

Em 28 de março de 2011, uma polêmica envolvendo a cantora Preta Gil e o deputado federal Jair Bolsonaro foi ao ar no CQC. Na semana seguinte, Tas revelou que sua filha Luiza é lésbica durante a exibição do programa, demonstrando que não concordava com o comentário depreciativo do deputado, pois isso não fazia com que tivesse vergonha ou menos amor por ela.