Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > retrofit
27 years (BRA)
Usuário desde Outubro de 2011
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

" People ask the question... what's a RocknRolla? And I tell 'em - it's not about drums, drugs, and hospital drips, oh no. There's more there than that, my friend. We all like a bit of the good life - some the money, some the drugs, other the sex game, the glamour, or the fame. But a RocknRolla, oh, he's different. Why? Because a real RocknRolla wants the fucking lot. " - Archie (RocknRolla)

Últimas opiniões enviadas

  • João Flávio

    Os Incríveis 2 é uma continuação bem fraca. O roteiro é muito preguiçoso. A maior evidência desse problema é a mediocridade do vilão. As suas motivações são basicamente uma reciclagem das do Síndrome (vilão do primeiro filme).

    Outras evidências, por exemplo, são o clímax bem decepcionante e cheio de soluções fáceis e sem criatividade para os problemas e o surgimento de novos heróis, os quais geram muito pouco conteúdo e motivação para o desenvolvimento da narrativa.

    O roteiro tenta contornar esses problemas com muita comédia, usando principalmente o Zezé como instrumento de humor, cujas cenas são hilárias.

    Apesar da Mulher-Elástica mover o caráter heroico do longa, o verdadeiro protagonista do filme é o Senhor Incrível. É o único personagem cuja trama tem desenvolvimento, é o único que, de fato, apresenta mudança de caráter. Ele começou como um homem vaidoso por holofotes da mídia e com inveja da carreira da heroica esposa para terminar como um homem mais maduro e responsável, descobrindo que a luz do holofote da sua família é a mais importante.

    Para um filme que esperou quatorze anos para ser produzido, o resultado ficou muito inferior ao do seu antecessor.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • João Flávio

    É incrível como esse curta consegue mexer tanto com as nossas emoções. E, dá pra extrair muitas reflexões dele. O final é reconfortante e maravilhoso demais!

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • João Flávio

    Pantera Negra é um dos filmes mais diferentes da Marvel, porém suas diferenças estão basicamente no visual e na trilha sonora, que exploram muito bem a mesclagem da estética tribal africana com a de uma cidade futurista altamente tecnológica.

    Se o visual é um ponto positivo, esse também é um ponto negativo. Os efeitos especiais, em algumas horas, parecem inacabados, principalmente quando T'challa está vestindo seu traje. Wakanda oscila entre algo belo de se ver e algo bastante poluído por tanto efeito. Essa plasticidade desassocia a nossa conexão com aquele mundo. As cenas de ação, infelizmente, abusam dos cortes rápidos, ou dos ambientes escuros. Facilmente conseguimos nos perder do que está ocorrendo em tela.

    Michael B. Jordan interpreta o vilão mais interessante do universo Marvel até agora. Consegue dar muita profundidade para seu personagem e para as suas motivações. É incrível o carisma que esse ator tem. Eu creio que ele deveria estar no papel do Pantera Negra. Chadwick Boseman entrega um protagonista bom, mas é ofuscado pelo Jordan e pela Danai Gurira cuja personagem tem uma presença de tela marcante.

    O enredo, claro, é a estrutura saturada que já vimos várias e várias vezes - e vamos continuar vendo - e tem algumas conveniências forçadas, mas o roteiro é bem amarrado e moderado nas piadas.

    Resumidamente, Pantera Negra é um bom filme.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Nenhum recado para João Flávio.