Você está em
  1. > Home
  2. > Listas
  3. > HORROR NO CINEMA BRASILEIRO
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em avaliações em comum

HORROR NO CINEMA BRASILEIRO

Em parceria com a Heco Produções, a Cinemateca apresenta, entre os dias 19 de julho e 18 de agosto, a retrospectiva HORROR NO CINEMA BRASILEIRO. Com curadoria de Eugenio Puppo, a mostra reúne uma seleção de títulos representativos de um gênero narrativo que dificilmente associamos à história de nosso cinema. Desconhecido do grande público, o cinema de horror no Brasil está inevitavelmente ligado à personagem de Zé do Caixão, e às várias obras-primas de José Mojica Marins, seu criador. A cinematografia brasileira, no entanto, flerta com a narrativa fantástica desde as décadas de 1930 e 1940, momento em que diretores inserem elementos típicos do gênero ao enredo de comédias musicais como O jovem tataravô (1936), de Lulu de Barros, ou Fantasma por acaso (1946), de Moacyr Fenelon. Na década de 1950, cineastas paulistas, influenciados pelo sucesso de Rebeca, a mulher inesquecível (1940), de Hitchcock, investem na criação de melodramas sombrios, marcados por uma atmosfera sobrenatural e por fortes papéis femininos como Meu destino é pecar (1952), de Manuel Peluffo. Mas a primeira produção a se declarar abertamente um “filme de horror brasileiro” foi À meia-noite levarei sua alma, de José Mojica Marins, lançada em 1964. Nas décadas seguintes, o gênero encontrará espaço em filmes populares realizados na Boca do Lixo, em São Paulo, combinando-se a outras formas narrativas como o policial, a ficção científica, a comédia erótica, o suspense e o pornô. Sem abranger a totalidade de filmes do gênero realizados no Brasil, universo considerável e enriquecido por produções recentes de longa e curta-metragem, a retrospectiva, composta por 24 filmes, é uma oportunidade imperdível para os curiosos da história do cinema brasileiro e para os amantes do cinema de horror.

Dentre os destaque da programação, encontram-se, entre outros, as comédias O jovem tataravô, de Lulu de Barros, e Fantasma por acaso, de Moacyr Fenelon; Veneno (1952), de Gianni Pons, drama de ciúme estrelado por Anselmo Duarte, Paulo Autran e Ziembinski; O anjo da noite (1974) e As filhas do fogo (1979), de Walter Hugo Khouri, um dos mestres do cinema paulista, autor do clássico Noite vazia; Enigma para demônios (1974) e A mulher do desejo (1975), de Carlos Hugo Christensen, diretor de origem argentina radicado no Rio de Janeiro; As noites de Iemanjá (1971), de Maurice Capovilla, com Joana Fomm e Sérgio Hingst, e Proezas de satanás na vila de leva-e-traz, de Paulo Gil Soares, grande vencedor do Festival de Brasília de 1967. Principal celeiro do horror brasileiro, a Boca marca presença com O castelo das taras (1982), de Julius Belvedere, mistura inusitada de Marquês de Sade, drogas, sodomia e loucura; Excitação (1977), de Jean Garrett, espécie de Poltergeist brasileiro, realizado antes de Spielberg; e A reencarnação do sexo (1981), de Luiz Castellini, com a musa da Boca Patrícia Scalvi. Mestre do horror, Mojica comparece com dois filmes, o clássico Esta noite encarnarei no teu cadáver (1967), e como diretor de um dos episódios do longa Trilogia de terror (1968). Completam a retrospectiva O lobisomem (1974), de Elyseu Visconti, marco do cinema udigrudi brasileiro, com o veterano ator Wilson Grey; As sete vampiras (1986), “chanchada hitchcockiana” de Ivan Cardoso; e O maníaco do parque (2002-2009), de Alex Prado, filme na vida do criminoso que sacudiu a capital paulista nos anos 1990.

FICHAS TÉCNICAS E SINOPSES

O anjo da noite, de Walter Hugo Khouri
São Paulo, 1974, 35mm, cor, 84’
Selma Egrei, Eliezer Gomes, Lilian Lemmertz, Pedro Coelho
Jovem estudante é contratada para cuidar dos filhos de um casal, dono de uma misteriosa mansão em Petrópolis. Na primeira noite de trabalho, sua tranquilidade começa a ser perturbada por telefonemas ameaçadores. Música do maestro tropicalista Rogério Duprat. Montagem de Mauro Alice.
Não indicado para menores de 16 anos
sáb 03.08 19h00 | sáb 10.08 21h00 | dom 11.08 18h00

O castelo das taras, de Julius Belvedere
São Paulo, 1982, 35mm, cor, 90’
Esmeralda Barros, Dorival Coutinho, Margareth Souto, Ely Silva
Ao lado de uma professora, três estudantes universitárias refugiam-se num castelo para fazer pesquisas sobre ciências ocultas. Lá chegando, a diabólica preceptora invoca no corpo de um pastor protestante o espírito do Marquês de Sade. A partir daí, as alunas são submetidas a experimentos envolvendo alucinógenos, sodomia e loucura.
Não indicado para menores de 18 anos
sáb 27.07 21h00 | sex 16.08 19h00

Enigma para demônios, de Carlos Hugo Christensen
Rio de Janeiro, 1974, 35mm, cor, 99’
Monique Lafond, Luiz Fernando Ianelli, Palmira Barbosa, Rodolfo Arena
Vinda de Buenos Aires, herdeira de uma fortuna regressa para Minas Gerais a fim de encontrar a família de sua mãe, que acabou de morrer. Lá chegando, vai visitar o túmulo materno. A partir daí, é assolada por estranhos telefonemas. Baseado no conto Flor, telefone, moça, de Carlos Drummond de Andrade, o filme contou com a colaboração do escritor Orígenes Lessa, que assina os diálogos do roteiro. Nascido na Argentina em 1914, Carlos Hugo Christensen chegou ao Brasil em meados dos anos 1950, depois de ser perseguido pela ditadura peronista. Após um breve regresso à sua terra natal, instalou-se definitivamente no Brasil, onde rodou uma trilogia dedicada à cidade do Rio de Janeiro – Meus amores no Rio (1958), Esse Rio que eu amo (1961) e Crônica da cidade amada (1965). Depois de Enigma para demônios, voltou aos temas fantásticos em A mulher do desejo (1976), baseado em texto do escritor Nathaniel Hawthorne.
Não indicado para menores de 16 anos
dom 28.07 20h00 | qua 07.08 19h00

Esta noite encarnarei no teu cadáver, de José Mojica Marins
São Paulo, 1967, 35mm, pb/cor, 107’
José Mojica Marins, Roque Rodrigues, Nádia Tell, William Morgan, Nivaldo de Lima
Zé do Caixão continua na busca obsessiva da mulher ideal, capaz de gerar o filho perfeito. Auxiliado pelo fiel criado Bruno, ele rapta seis belas moças e as submete às mais terríveis torturas. Porém, ele acaba matando uma mulher grávida e, atormentado pela culpa da morte de uma criança inocente, sofre pesadelo no qual é levado para um inferno gelado.
Não indicado para menores de 18 anos
sáb 20.07 21h00 | sáb 27.07 19h00

Excitação, de Jean Garrett
São Paulo, 1977, 35mm, cor, 87’
Kate Hansen, Flávio Galvão, Betty Saddy, Zilda Mayo
Engenheiro eletrônico, aficcionado por cibernética, quer se livrar da mulher pois pretende ficar com sua amante, viúva de um exsócio numa empresa de computação. Para enlouquecer a esposa, ele conta com a ajuda de um computador diabólico que movimenta os eletrodomésticos da casa. Roteiro de Ody Fraga e Jean Garrett. Fotografia de Carlos Reichenbach.
Não indicado para menores de 18 anos
sex 19.07 21h00 | qui 08.08 19h00

Excitação diabólica, de John Doo
São Paulo, 1982, 35mm, cor, 86’
Wanda Cosmos, Aldine Muller, Zaira Bueno, Silvia Gless
Grupo de motoqueiros metidos a machão tira onda com uma velha prostituta. Pouco depois, os três malandros são vítimas de pesadelos nos quais a mulher, que tem poderes sobrenaturais, consegue se vingar da violência que sofreu, atirando-os à loucura e à morte. Fotografia de Cláudio Portioli. Do mesmo autor de Ninfas diabólicas.
Não indicado para menores de 18 anos
qui 25.07 19h00

Fantasma por acaso, de Moacyr Fenelon
Rio de Janeiro, 1946, 35mm, pb, 104’ | Exibição em beta digital
Oscarito, Mário Brasini, Vanda Lacerda, Mary Gonçalves
Empregado de um escritório de uma empresa de aviação morre atropelado. No céu, se encontra com o espírito do pai do seu patrão e recebe a oportunidade de voltar à terra para ajudar seu chefe, envolvido em confusões amorosas. Comédia musical da Atlântida, com fotografia de Edgar Brasil.
Livre
dom 21.07 20h00 | sex 26.07 18h30

As filhas do fogo, de Walter Hugo Khouri
São Paulo, 1979, 35mm, cor, 95’
Paola Morra, Karin Rodrigues, Rosina Malbouisson, Serafim Gonzalez, Selma Egrei
Moça chega para visitar uma amiga que vive em casarão no campo, onde acabam conhecendo mulher mais velha que vive na vizinhança. Esta lhes revela que costuma gravar vozes de pessoas mortas e mostra a uma delas alguns de seus registros em áudio, deixando-a assustada. Impressionante história de fantasmas, com momentos ao mesmo tempo apavorantes e sutis.
Não indicado para menores de 16 anos
sáb 10.08 19h00 | sáb 17.08 19h00

Joelma 23º andar, de Clery Cunha
São Paulo, 1980, 35mm, cor, 98’
Beth Goulart, Liana Duval, Marly de Fátima, Carlos Marques
Jovem sensitiva consegue trabalho num dos escritórios do edifício Joelma. Baseado no livro Somos seis, de Chico Xavier, que também faz uma participação especial no filme. Fotografia de Cláudio Portiolli. Exibição em nova cópia 35mm.
não indicado para menores de 14 anos
qua 31.07 19h00

O jovem tataravô, de Luiz de Barros
Rio de Janeiro, 1936, 35mm, pb, 77'
Marcel Klass, Dulce Weytingh, Darcy Cazarré, Carlos Frias
Homem adquire uma misteriosa caixa de segredos, que o ensina a invocar espíritos. Ao lado de amigos e parentes, ele prepara um ritual para invocar a alma de seu tataravô, morto em 1832, aos 35 anos, vítima de um afogamento. Em traje de banho, o defunto regressa ao mundo dos vivos. Mais avançado que seus parentes de 1930, o tataravô trata de conquistar as mulheres à sua volta. Comédia de costumes dirigida por um dos mais importantes realizadores da história do cinema brasileiro, Luiz “Lulu” de Barro (1893-1981). Produção dos estúdios Cinédia. Fotografia de Edgar Brasil e Alberto Botelho. Baseada na peça O tataravô (1926), de Gilberto de Andrade.
Não indicado para menores de 10 anos
dom 21.07 18h00 | sex 02.08 18h30

O lobisomem, de Elyseu Visconti
Rio de Janeiro, 1974, 35mm, cor, 75’
Wilson Grey, Suzana de Moraes, Paulo Villaça, Jack de Castro
Milionário habita um sinistro chalé, onde acontecimentos estranhos se desenrolam. Criatura maldita, ele se transforma em lobisomem e preside uma seita de sangue, cujos adeptos se espalham pelos arredores. Segundo longa-metragem de Visconti, fotografado por ele e pelo cineasta Rogério Sganzerla.
Não indicado para menores de 16 anos
dom 18.08 20h00

O maníaco do parque, de Alex Prado
São Paulo, 2002-2009, vídeo digital, cor, 74’ | Exibição em beta digital
Cláudio Mello, Claudio Paulo, Cleber Armeloni, Daiane Brito
Atormentado por assombrações, desilusões amorosas e por terríveis memórias de infância, um jovem se transforma em assassino de mulheres. Baseado na verdadeira história de Francisco de Assis Pereira, “o maníaco do parque”, o filme se valeu de um dos mais famosos casos policiais brasileiros dos anos 1990, alvo de extensa cobertura da mídia. Diretor veterano da Boca do Lixo, Alex Prado dirigiu clássicos do faroeste brasileiro como Gregório 38 e Sangue em Santa Maria. Inédito nas salas de cinema, O maníaco do parque é seu filme mais recente.
Não indicado para menores de 18 anos
qui 01.08 21h00 | qua 14.08 21h00

Meu destino é pecar, de Manuel Peluffo
São Paulo, 1952, 35mm, pb, 72’
Antonieta Morineau, Alexandre Carlos, Ziláh Maria, Rubens de Queiróz
Jovem se casa com um viúvo, mesmo sem estar apaixonada por ele. Passa a morar com sua família e descobre que a antiga mulher do marido foi morta por cães. Aos poucos, ela começa a ficar atormentada com a suposta aparição do fantasma da morta. Primeiro filme adaptado de um texto de Nelson Rodrigues. Publicado nas páginas de O Jornal, em 1944, Meu destino é pecar é também o folhetim de estreia do escritor. Assinado sob o pseudônimo de Suzana Flag, foi um dos maiores sucessos de sua carreira e levantou a tiragem do então fragilizado O Jornal, de propriedade do magnata Assis Chateaubriand.
Não indicado para menores de 16 anos
qua 24.07 21h00

A mulher do desejo, de Carlos Hugo Christensen
Rio de Janeiro, 1975, 35mm, cor, 87’
José Mayer, Vera Fajardo, Palmira Barbosa, José Luiz Nunes
Por meio de um testamento, velho rico e solitário deixa seu antigo casarão em Ouro Preto ao sobrinho, que é casado com uma jovem. Os dois se mudam para a mansão e nela encontram um sombrio mordomo, que o testamento proíbe de dispensar. Certo dia, fatos estranhos começam a acontecer: enquanto a casa parece adquirir vida própria, a personalidade do rapaz sofre uma radical transformação, assimilando hábitos do tio morto. Exibição em nova cópia 35mm.
Não indicado para menores de 16 anos
dom 28.07 18h00 | qua 07.08 21h00

Ninfas diabólicas, de John Doo
São Paulo, 1978, 35mm, cor, 85’
Sérgio Hingst, Aldine Müller, Patrícia Scalvi, Selma Egrei
Pai de família respeitável é assediado por duas jovens estudantes quando segue em viagem de negócios para o litoral. Depois de pedir carona, elas o seduzem e o levam até uma praia deserta onde, inesperadamente, fatos estranhos e perturbadores começam a acontecer. Bruxaria, suspense, horror e fortes doses de erotismo marcam a estreia de John Doo na direção de cinema. O sucesso de bilheteria de Ninfas diabólicas impulsionou a carreira do cineasta na Boca, estimulando-o a escrever novos roteiros com temas fantásticos. O filme conta com fotografia de Ozualdo Candeias e música original do maestro tropicalista Rogério Duprat.
Não indicado para menores de 18 anos
sex 19.07 19h00 | qui 08.08 21h00

As noites de Iemanjá, de Maurice Capovilla
São Paulo, 1971, 35mm, cor, 84’
Joana Fomm, Sérgio Hingst, Newton Prado, Roberto Maia
Desprezada pelo marido, mulher vai ao litoral acompanhada do amante. Lá chegando, assiste aos ritos de Iemanjá. A partir daí, uma série de homens são misteriosamente mortos no lugar. Filme de encomenda realizado para a produtora Data Cinematográfica. Montagem de Mauro Alice.Autor de obras como O profeta da fome (1969), estrelado por José Mojica Marins, e Jogo da vida (1977), adaptação de um conto do escritor João Antônio, Capovilla também dirigiu documentários para o programa Globo Repórter nos anos 1970.
Não indicado para menores de 16 anos
dom 04.08 18h00 | qua 14.08 19h00

Proezas de satanás na vila de leva-e-traz, de Paulo Gil Soares
Rio de Janeiro, 1967, 35mm, pb, 100’
Jofre Soares, Isabella, Joel Barcelos, Zózimo Bulbul, Telma Reston
Uma pequena comunidade tem seu cotidiano abalado pela descoberta de poços de petróleo. Quando o padre leva a imagem da santa padroeira para a nova cidade, todos temem a chegada do Diabo. Quando um forasteiro surge no local, estranhos fenômenos passam a acontecer. Vencedor dos prêmios de melhor filme, argumento e música no Festival de Brasília de 1967.
Não indicado para menores de 12 anos
dom 04.08 20h00 | qui 15.08 18h30

A reencarnação do sexo, de Luiz Castellini
São Paulo, 1981, 35mm, cor, 88’
Patrícia Scalvi, Artur Rovedeer, Roberto Miranda, Roque Rodrigues
Pai de família não suporta o romance entre a filha e um empregado. Furioso, ele mata o rapaz numa emboscada. Após enterrar a cabeça do amante num vaso, durante um ritual macabro, a moça também morre. Tempos depois, o velho ciumento será atormentado pela presença de seus espíritos. Baseado no Decameron, de Giovanni Boccaccio. Fotografia de Claudio Portioli.
não indicado para menores de 16 anos
qui 25.07 21h00 | sex 09.08 18h30

As sete vampiras, de Ivan Cardoso
Rio de Janeiro, 1986, 35mm, cor/pb, 90’
Nicole Puzzi, Nuno Leal Maia, Zezé Macedo, Andréa Beltrão, Wilson Grey, Neuzinha Brizola
Depois de ver seu marido ser devorado por uma planta carnívora, a professora de dança Silvia se isola de todos em sua casa de campo. Só é convencida a abandonar seu retiro quando um velho amigo a convida para trabalhar numa boate, onde apresenta um balé intitulado "As sete vampiras". Mas o sucesso do espetáculo é interrompido por estranhos assassinatos. Terrir de Ivan Cardoso, com roteiro de Rubens F. Lucchetti, música de Júlio Medaglia e participações especiais de Lucélia Santos, John Herbert e Wilson Grey.
Não indicado para menores de 16 anos
sáb 20.07 19h00 | dom 18.08 18h00

O signo de escorpião, de Carlos Coimbra
Rio de Janeiro, 1974, 35mm, cor, 93’
Rodolfo Mayer, Maria Della Costa, Kate Lyra, Carlos Lyra, Wanda Kosmo
Um famoso astrólogo reúne, em sua ilha particular, doze pessoas de signos diferentes. Uma a uma, elas vão sendo misteriosamente assassinadas. Suspense com elementos esotéricos, roteirizado com assessoria do astrólogo Omar Cardoso. Fotografia de Antonio Meliande.
Não indicado para menores de 14 anos
qua 31.07 21h00

O sósia da morte, de João Ramiro Mello
Rio de Janeiro, 1975, 35mm, cor, 85’
Rubens de Falco, Tânia Scher, Françoise Fourton, Ary Fontoura
Professor casado mantém relacionamento casual com uma aluna. Sua vida corre tranquila até o momento em que um sósia passa a persegui-lo e a descontar cheques em seu nome. Desesperado, ele contrata um detetive para investigar o caso. Logo depois, o homem é assassinado e o professor se torna o principal suspeito do crime. Fotografia de Hélio Silva. Música de Milton Nascimento.
não indicado para menores de 16 anos
qui 01.08 19h00

Trilogia de terror, de José Mojica Marins, Ozualdo Candeias e Luiz Sérgio Person
São Paulo, 1968, 35mm, pb, 101’
Três episódios de horror. Em Pesadelo macabro, de José Mojica Marins, rapaz cataléptico é atormentado por pesadelos nos quais é enterrado vivo. Em O acordo, de Ozualdo Candeias, uma mulher faz um pacto com o demônio em troca do casamento da filha solteira. Em Procissão dos mortos, de Luiz Sérgio Person, um operário enfrenta guerrilheiros fantasmas que surgem à noite.
Não indicado para menores de 16 anos
dom 11.08 20h00 | sex 16.08 19h00

Veneno, de Gianni Pons
São Paulo, 1952, 35mm, pb, 80’
Anselmo Duarte, Leonora Amar, Paulo Autran, Zbigniew Ziembinski
Funcionário de uma indústria de vidros ama apaixonadamente sua esposa, que demonstra completa indiferença pelo marido. Conforme passa a desenvolver delírios homicidas em relação a ela, ele vai progressivamente confundindo sonho e realidade. Exibição em nova cópia 35mm.
não indicado para menores de 14 anos
qua 24.07 19h00

Lista editada há 2 anos

21 0

0%
Você já viu 0 dos 21 filmes desta lista.
  1. O Anjo da Noite (O Anjo da Noite)

    O Anjo da Noite

    4.0 12
  2. O Castelo das Taras (Castle of De Sade)

    O Castelo das Taras

    2.6 5
  3. Enigma Para Demônios (Enigma para Demônios)

    Enigma Para Demônios

    3.4 10
  4. Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver (Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver)

    Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver

    3.9 71
  5. Excitação (Excitação)

    Excitação

    3.5 18
  6. Excitação Diabólica (Excitação Diabólica)

    Excitação Diabólica

    3.5 0
  7. Fantasma por acaso (Fantasma por acaso)

    Fantasma por acaso

    4.2 0
  8. As Filhas do Fogo (As Filhas do Fogo)

    As Filhas do Fogo

    4.0 17
  9. Joelma 23º Andar (Joelma 23º Andar)

    Joelma 23º Andar

    3.3 49
  10. O Jovem Tataravô (O Jovem Tataravô)

    O Jovem Tataravô

    3.2 1
  11. O Lobisomem: O Terror da Meia-Noite (O Lobisomem: O Terror da Meia-Noite)

    O Lobisomem: O Terror da Meia-Noite

    2.5 1
  12. Meu Destino é Pecar (Meu Destino é Pecar)

    Meu Destino é Pecar

    3.4 3
  13. A Mulher do Desejo (A Casa das Sombras)

    A Mulher do Desejo

    3.5 12
  14. Ninfas Diabólicas (Ninfas Diabólicas)

    Ninfas Diabólicas

    3.1 6
  15. Noites de Iemanjá (Noites de Iemanjá)

    Noites de Iemanjá

    2.7 2
  16. Proezas de Satanás na Vila de Leva-e-Traz (Proezas de Satanás na Vila de Leva-e-Traz)

    Proezas de Satanás na Vila de Leva-e-Traz

    4.2 4
  17. A Reencarnação do Sexo (A Reencarnação do Sexo)

    A Reencarnação do Sexo

    3.2 12
  18. As Sete Vampiras (As Sete Vampiras)

    As Sete Vampiras

    2.9 27
  19. O Signo de Escorpião (O Signo de Escorpião)

    O Signo de Escorpião

    3.1 2
  20. O Sósia da Morte (O Sósia da Morte)

    O Sósia da Morte

    3.0 0
  21. Trilogia de Terror (Trilogia de Terror)

    Trilogia de Terror

    3.4 18

Comentar: