Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Felipe M. Guerra
75Número de Fãs

Nascimento: 7 de Setembro de 1979 (37 years)

Carlos Barbosa, RS, Brasil - Brasil

"Felipe M. Guerra é um dos mais interessantes cineastas independentes do Brasil hoje." (Revista Zingu!)

Fã ardoroso do chamado cinema trash e do cinema de horror, sem deixar de lado seu gosto por outros tipos de produção, Felipe é jornalista e escreve sobre cinema de horror para diversos sites (entre eles, Boca do Inferno, Zingu! e seu próprio blog, Filmes Para Doidos.

Ele chegou a estourar com suas produções de baixíssimo orçamento, que emulam os filmes juvenis, slashers, entre outros, sempre com muito humor, e criatividade. Seu primeiro longa-metragem, a comédia romântica "Patrícia Gennice", de 1998, foi inteiramente filmado em editado em VHS.

Logo depois, em 2001, Felipe fez seu filme mais famoso, "Entrei em Pânico ao Saber o que Vocês Fizeram na Sexta-feira 13 do Verão Passado", considerado um dos mais famosos títulos do cinema independente brasileiro. A obra ganhou reportagens em revistas e programas de TV.

Depois vieram o curta "Mistério na Colônia" (2003), com participação de Luciano Huck, o longa "Canibais & Solidão" (2006), e um novo curta, "Extrema Unção" (2010), que ganhou menção honrosa especial no CineFantasy, em São Paulo (Melhor Susto de Velhinha Fantasma). Também em 2010, co-dirigiu um videoclipe da banda gaúcha Damn Laser Vampires ao lado do diretor neo-zelandês David Blyth.

Em 2011, lançou a continuação do seu maior sucesso, "Entrei em Pânico... Parte 2 - A Hora da Volta da Vingança dos Jogos Mortais de Halloween", exibido com bastante sucesso em festivais brasileiros e estrangeiros (entre eles, Buenos Aires Rojo Sangre, na Argentina, Puerto Rico Horror Film Fest, em Porto Rico, e Macabro FIlm Festival, no México).

Em 2014 lançou seu quinto longa, "A Maldição do Sanguanel", um filme de horror dividido em quatro episódios envolvendo uma criatura do folclore ítalo-gaúcho (o Sanguanel), e também o curta "O Estripador da Rua Augusta", em parceria com a diretora Geisla Fernandes. Este último é o seu trabalho mais caro até o momento (custou R$ 7,5 mil, obtidos via financiamento coletivo), e é estrelado pela musa pornô Monica Mattos.

Dirigiu um dos episódios do longa/antologia "13 Histórias Estranhas", que reúne mais de uma dezena de cineastas brasileiros independentes e foi lançado em maio de 2015.

Em 2016 lança o documentário "FantastiCozzi", que escreveu e dirigiu, e que conta a história do seu ídolo e amigo, o cineasta italiano Luigi Cozzi.