Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Sebastião Vasconcelos

Sebastião Vasconcelos

Nomes Alternativos: Sebastião Vasconcelos Costa

31Número de Fãs

Nascimento: 21 de Maio de 1927 (86 years)

Falecimento: 15 de Julho de 2013

Pocinhos, Paraíba - Brasil

Iniciou carreira no Recife e, já no Rio de Janeiro, participou de importantes centros de produção teatral, tais como a Companhia Tônia-Celi-Autran e o Teatro Nacional de Comédia.

No Recife, participou da fundação do Teatro Universitário e atuou em seis espetáculos, com direção de Adauto Filho. Representou, também, em cerca de dez peças encenadas pelo Teatro de Amadores de Pernambuco, TAP, onde foi dirigido por Ziembinski, Gianni Ratto e Graça Mello, e pelo Teatro do Estudante de Pernambuco, TEP, dirigido por Hermilo Borba Filho.

Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1955 e recebeu convite de Adolfo Celi para integrar o elenco da recém-fundada Companhia Tônia-Celi-Autran, CTCA. Em "Otelo", de William Shakespeare, substituiu o ator que estreara no papel de Cássio. No espetáculo seguinte, fez o espanhol em "A Viúva Astuciosa", de Carlo Goldoni, e recebeu por esse trabalho seu primeiro prêmio, como ator coadjuvante, da Associação Brasileira de Críticos Teatrais, ABCT, em 1956. No ano seguinte, esteve em "As Guerras do Alecrim e da Manjerona", de Antônio José da Silva, o Judeu, com direção de Gianni Ratto, pelo Teatro Nacional de Comédia, TNC. No mesmo conjunto, integrou o elenco de "A Bela Madame Vargas", de Paulo Barreto, sendo dirigido por Armando Couto.

Em 1958 atuou em "Calúnia", de Lillian Hellman, direção Adolfo Celi, e em "Olho Mecânico", de A. C. Carvalho, direção de Benedito Corsi, ambas produções da CTCA. Em 1959, fez "A Beata Maria do Egito", de Rachel de Queiroz, uma das criticadas encenações do TNC, no papel do tenente-delegado, ao lado de Glauce Rocha, obteve o prêmio de melhor ator do Governo do Estado.

Em 1960, ainda no TNC, interpretou Koulyguine em "As Três Irmãs", de Anton Tchekhov, encenação de Ziembinski. Voltou à CTCA, em 1961, atuando em "Lisbela e o Prisioneiro", de Osman Lins, com direção de Celi e Carlos Kroeber e, já de retorno ao TNC em 1962, foi dirigido por José Renato, em "O Pagador de Promessas", de Dias Gomes. Em 1966, esteve ao lado de Cláudio Corrêa e Castro e Margarida Rey, em "Os Físicos", de Dürrenmatt, com direção de Ziembinski, numa produção de Oscar Ornstein.

Iniciou na televisão, também ao lado de Tônia Carrero e Paulo Autran, no Teatro da "TV Tupi". Anos mais tarde, estreou na TV Globo, em "O Matador", de Oduvaldo Vianna Filho.

Em 1977, interpretando, com Rubens Corrêa, "Os Emigrados", de Slawomir Mrozek, recebeu os prêmios Mambembe e Molière de melhor ator. Em 1982, reapareceu em "A Volta por Cima", de Domingos de Oliveira e Lenita Plonczynski, com direção de Domingos.

Em 2006, Sebastião Vasconcellos atuou na peça "Eles não Usam Blac-Tie" ao lado de Ana Lúcia Torre. Depois foi para a TV Record onde fez a novela "Caminhos do Coração" em 2007 e "Os Mutantes" em 2008.

Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.