Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Warren Beatty

Warren Beatty

Nomes Alternativos: Henry Warren Beatty

152Número de Fãs

Nascimento: 30 de Março de 1937 (79 years)

Richmond, Virginia - Estados Unidos da América

É um ator, produtor, diretor e roteirista do cinema norte-americano, irmão mais novo da premiada atriz Shirley MacLaine, casado com a também atriz Annette Bening e um dos grandes nomes da indústria cinematográfica de Hollywood dos últimos quarenta anos.

Warren nasceu na Virgínia, filho de pais professores que se mudaram para a cidade de Arlington durante a sua adolescência e onde ele se tornou um astro de futebol americano local. Encorajado pela irmã mais velha, que então começava a se estabelecer na carreira de atriz, Warren deixou o futebol para se dedicar às artes, conseguindo um emprego de assistente de palco durante as férias de verão num teatro de Washington D.C., o que lhe deu a primeira oportunidade de travar contato com alguns atores e diretores famosos.

Após uma estréia nas telas num filme para televisão em 1959, ele teve sua primeira oportunidade no cinema pelas mãos do diretor Elia Kazan no filme Clamor do Sexo, contracenando com Natalie Wood, um drama marcado pela tensão sexual e psicológica que envolvia o casal protagonista e lançava Beatty como um ator da nova safra de Hollywood com grande apelo junto ao público feminino.

Durante os próximos seis anos, ele faria alguns filmes de relativa importância, até produzir e atuar naquele que seria um divisor de águas na linguagem cinematográfica de Hollywood e o estabeleceria como um personagem inovador e respeitado do cinema americano.

Bonnie & Clyde: Uma Rajada de Balas é o filme geralmente lembrado como a pedra fundamental de uma nova geração de jovens atores, diretores e produtores de cinema - chamada de Nova Hollywood – que possibilitou o surgimento de cineastas como Francis Ford Coppola, Martin Scorsese, George Lucas e Steven Spielberg entre outros, com uma nova visão cinematográfica, até então inexistente no cinema americano.

Receoso de ser rotulado como um realizador tímido e sem personalidade e ainda sofrendo como o fracasso da comédia O que É que Há Gatinha?, onde, como produtor, foi manobrado por Woody Allen e depois forçado a deixar a produção, Warren produziu Bonnie & Clyde numa situação de desespero de afirmação pessoal e como uma maneira de ter o controle total de todo projeto onde estivesse envolvido. Como produtor e idealizador do filme, ele contratou dois roteiristas novatos e o jovem diretor Arthur Penn para levar às telas a história do casal de foras-da-lei que nos anos 20 aterrorizou o interior dos Estados Unidos com assaltos a bancos e assassinatos e se tornaram famosos nacionalmente através da imprensa. Controlou todas as etapas da produção, inclusive a escolha do elenco, roteiro e a montagem final do filme, como faria pelo resto da carreira, como diretor/produtor ou só como produtor.

Com sua combinação de humor, violência, sexo e assustador realismo, o filme foi um campeão de bilheteria saudado como inovador pela crítica e indicado para dez oscars da Academia, marcando, junto com Sem Destino de Dennis Hopper, o início de uma nova era em Hollywood, onde os estúdios passaram a dar mais liberdade aos diretores para que fizessem seus filmes de acordo com visões próprias em vez de um seguirem um estereótipo cinematográfico pré-determinado pela indústria.

É geralmente aceito pelos historiadores de cinema, que se não fosse por ele e sua visão idiossincrática de Bonnie & Clyde, que resultou num estrondoso sucesso, os estúdios nunca permitiriam que os novos diretores surgidos no começo da década seguinte, como Coppola e Scorsese, fizessem os filmes que os tornariam famosos e a estagnação da indústria do cinema americano nos anos 60 continuaria pela década seguinte.

Estabelecido entre os grandes de Hollywood, a partir daí Beatty estrelaria, produziria ou dirigiria uma série de sucessos seguidos, como os dramas Onde os Homens São Homens e A Trama e as comédias Shampoo e O Céu Pode Esperar, de 1978, refilmagem do filme homônimo de 1941, seu maior sucesso de bilheteria dos anos 70 como produtor, que lhe seu as condições financeiras para filmar Reds em 1981, épico sobre a vida do revolucionário jornalista comunista americano John Reed durante a Revolução Russa de 1917 que criou a União Soviética. O filme ganhou quatro oscars e deu a ele o prêmio de melhor diretor.

Depois do fracasso comercial e de crítica de Ishtar, de 1987, Beatty voltou às manchetes com seus dois sucessos dos anos 90, a transposição para as telas dos quadrinhos de Dick Tracy, cercado de amigos astros como Al Pacino e Dustin Hoffman, além da cantora Madonna e Bugsy, um drama de gangsters onde conheceu sua futura esposa.

Com O Céu Pode Esperar e Reds, Beatty igualou-se a Orson Welles com o único profissional do cinema americano a ser indicado ao Oscar no mesmo ano como ator, diretor, produtor e roteirista, sendo que ele teve estas indicações por duas vezes, em 1978 e 1981 e Welles foi assim honrado apenas por sua obra-prima Cidadão Kane.
Warren Beatty sempre foi considerado o maior conquistador de Hollywood, famoso tanto por seu trabalho no cinema quanto por sua vida de playboy e por suas conquistas amorosas. Dezenas de atrizes, praticamente todas com quem co-estrelou filmes, cantoras e modelos já tiveram relacionamentos com ele como Natalie Wood, Faye Dunaway, Candice Bergen, Isabelle Adjani, Julie Christie, Madonna, Goldie Hawn, Diana Ross, Jane Fonda, Catherine Deneuve e Carly Simon, cujo hit de sucesso dos anos 70, You’re So Vain (Você é Tão Vaidoso), muitos acreditam ser dedicada a ele, embora ela não confirme nem negue.

Até os 55 anos ele se manteve um homem de muitas mulheres e solteirão convicto, quando então conheceu Annette Bening, a atriz com quem co-estrelou Bugsy em 1992 e com quem finalmente se casaria, mantendo uma relação estável há quinze anos e que já produziu quatro filhos.

Em janeiro de 2007, ele receberia uma de suas maiores honrarias ao ser premiado pela exigente Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood, responsável pela entrega do Globo de Ouro, com o prêmio especial Cecil B. DeMille em homenagem ao conjunto de sua carreira.