Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Keisuke Kinoshita

Keisuke Kinoshita

Nomes Alternativos: 木下 恵介

22Número de Fãs

Nascimento: 5 de Dezembro de 1912 (86 years)

Falecimento: 30 de Dezembro de 1998

Hamamatsu, Shizuoka - Japão

Keisuke Kinoshita foi um diretor de cinema japonês. Embora menos conhecido internacionalmente do que seus companheiros Akira Kurosawa, Kenji Mizoguchi e Yasujiro Ozu, Kinoshita foi, todavia, uma figura famosa em seu país, amado pelo público e pela crítica, principalmente entre as décadas de 40 e 60. Ele foi muito prolífico, produzindo cerca de 42 filmes nos primeiros 23 anos de carreira. Sobre isso, explicou, “Não pude evitar. Idéias pros meus filmes sempre simplesmente pipocavam na minha cabeça igual pedaços de papel num cesto de lixo.”
Nasceu em Hamamatsu, Shizuoka, a meio caminho entre Tokyo e Kyoto, numa família que tinha uma mercearia. Kinoshita já era fã de cinema quando tinha oito anos. Prometendo se tornar um cineasta, ele foi, no entanto, confrontado com a oposição de seus pais. Quando estava no colégio, uma equipe de filmagem chegou a Hamamatsu para filmagens de um dia. Ele fez amizade com o ator Bando Junosuke quando este veio à sua mercearia. Bando mais tarde o ajudou a fugir para Kyoto, onde a maioria dos filmes eram feitos na época. Mas seu avô levou-o de volta para casa no dia seguinte.
Sua determinação de ser um cineasta finalmente fez seus pais deixarem-no seguir essa carreira e sua mãe ainda lhe garantiu a entrada no Estúdio Shochiku Kamata, onde Ozu, Mikio Naruse e outros diretores famosos trabalharam. Sem educação universitária, Kinoshita não tinha permissão para trabalhar como assistente de direção e teve que começar como fotógrafo, assim ele se candidatou para a Escola de Fotografia Oriental e formou-se antes de ser finalmente admitido no Shochiku. Lá, ele trabalhou pela primeira vez no laboratório de revelação de filmes e em seguida como assistente de câmera, sendo depois recomendado por Kōzaburō Yoshimura para ser diretor assistente. Em 1940, Kinoshita foi convocado para a guerra e foi para a China, mas retornou no ano seguinte devido à doença. Voltou a Shochiku e foi promovido a diretor em 1943, ano que também viu o surgimento de outro diretor, Akira Kurosawa, mas foi Kinoshita que ganhou o cobiçado “Prêmio Diretor Revelação”.
Ao longo de sua carreira, Keisuke Kinoshita fez muitos filmes que foram crítica e comercialmente bem sucedidos, dentre eles: “Osone-ke no Asa” (1946), “Karumen Kokyo ni Kaeru” (1951), “Nihon no Higeki” (1953), “Nijushi no Hitomi” (1954), “Yagiku no Gotoki Kimi Nariki” (1955), “Narayama Bushi kō” (1958, cujo remake de Shohei Imamura ganhou a Palma de Ouro em Cannes em 1983) e “Fuefukigawa” (1960).
Ele se recusava a ser limitado por gênero, técnica ou dogma. Se destacou em quase todos os gêneros: comédia, tragédia, dramas sociais, filmes de época. Gravou todos os filmes em locação ou em um set de uma só casa. Perseguia um severo realismo fotográfico com o método “long take, long-shot” e foi igualmente longe em direção da estilização, com cortes rápidos, câmeras em tilt, técnica de palco Kabuki e até mesmo pintura medieval.
Foi o mestre de outro grande diretor japonês, Masaki Kobayashi.