filmow.com/usuario/araisa/
    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > araisa
31 years
Usuária desde Dezembro de 2013
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

" Mas só vivemos uma vez. A vida é tão leve. É como um contorno que nunca podemos preencher ou corrigir para melhorá-lo. É assustador."
Tomas (Daniel Day-Lewis), em "A Insustentável Leveza do Ser"

Últimas opiniões enviadas

  • Raisa

    Não entrarei no mérito ético e moral das atitudes do Cheney.

    Mas, que personalidade! Fiquei fascinada pelo equilíbrio mental dele, pela frieza na crise, pela racionalidade e pela capacidade de auto projeção em meio ao caos.

    Outro aspecto importante, é o fato de que ele sustenta seu discurso (nada humanitário) e não o floreia com palavras bonitas ou eufemismos. Precisa ter culhõoes pra se manter firme frente à tantas opiniões ruins ao seu respeito. Psicológico invejável.

    Achei o roteiro honesto no quesito de que souberam separar o homem pessoal do homem político. É clara a postura do filme, no sentido de desaprovar as escolhas dele enquanto político e como isso marcou a história mundial de forma negativa. Mantiveram a imagem dele de bom pai e bom esposo.Não houve maniqueísmo. Em tempos de loucuras ideológicas, de ambos os lados, essa honestidade é louvável.

    Preciso ser clichê, também. Como uma vida pessoal equilibrada fez diferença. Um casal que vivia, de fato, companheirismo, foi capaz de mudar a história do mundo. Para o bem ou para o mal, fica a critério do expectador.

    A maquiagem está impecável e, ao meu ver, superou A Favorita.

    Sobre as atuações, elas dispensam comentários. Definitivamente, Bale e Adams são meus favoritos.

    A montagem do filme, a condução, o narrador, o tom de humor inteligente e sarcástico, fizeram as 2h serem agradáveis e rápidas.

    Não posso esquecer, também, das metáforas utilizadas e a narração que nos leva a reflexão: uma escolha é capaz de alterar toda a sua vida e desencadear um efeito dominó, muitas vezes sem possibilidade de calcular a extensão.

    Minha única crítica negativa vai para a indicação de Sam Rockwell como coadjuvante. Na minha humilde opinião, ele mal aparece. Essa indicação deveria ter ido para o Steve Carell.

    Por fim

    Comentário contando partes do filme. Mostrar.

    Genial a jogada do diretor em por um suposto final, no meio do filme, levando o expectador a pensar como a história teria sido mudada caso o Cheney tivesse dito não ao Bush filho.

    Enfim, era o único filme que eu estava ansiosa para ver e não me decepcionou!

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Nenhum recado para Raisa.

Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.