Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

    Você está em
  1. > Home
  2. > Usuários
  3. > rgiuliano
38 years Manaus - (BRA)
Usuário desde Maio de 2012
Grau de compatibilidade cinéfila
Baseado em 0 avaliações em comum

Sou curioso por natureza e pela natureza humana. Adoro me lançar em novas experiências, conhecer pessoas e suas realidades. Viajante etnográfico e minimalista por natureza!

Profissionalmente sou Especialista em Cultura Organizacional & Propósito, Designer da Experiência do Colaborador e Sorrisos!

Meu olhar sobre o mundo: https://www.instagram.com/rgiulianohs/

Para conversas sobre filmes: 041 9 9624 3242

Últimas opiniões enviadas

  • Rafael Giuliano

    Ok, se há uma crítica ao filme é pelo fato dele ser bastante óbvio. Diria até que o trailer entregou tudo. Salvo um toque ou outro da trama.

    De qualquer forma vale à pena pela interpretação de Mckenna Grace no papel de "Mary" e os diálogos (ainda que rápidos) dela com os demais personagens. A dinâmica de alternar entre a postura de uma criança superdotada e o comportamento meigo e inocente de uma criança "normal" são um deleite em diversas cenas.

    Gostei especialmente da maneira sutil como foram trabalhadas as cenas do tribunal, sem permitir que o filme se tornasse um estereótipo de John Grisham. Os dois advogados tiveram falas que não fugiram da essência do filme.

    Das reflexões do filme a lição mais fascinante é sobre as decisões que tomamos de maneira arbitrária, pensando no "melhor para o outro" mas que fazemos quase sempre ignorando este outro e seus próprios desejos. É fácil perceber como impomos nossa vontade e valores com a justificativa de se tratar da "melhor opção" ou da "decisão mais acertada".

    O final da história pode ser óbvia, mas a maneira como a "vilã" foi tratada até o final é outra lição à parte. Só que sobre esta lição só poderei conversar por mensagem direta com aqueles que tiverem assistido ao filme.

    Boa sessão!!! =D

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Rafael Giuliano

    Uma ideia original, com um toque de "Matrix" e dois ou três finais diferentes sobrepostos (rs).

    O filme é interessante e tem o potencial de provocar boas reflexões. A história coloca em xeque o propósito da protagonista diante do custo de sua realização, na clássica abordagem de como "os fins justificam os meios(?)".

    Em síntese, a narrativa é bem construída, mesmo com personagens às vezes rasos. É um filme que requer ser assistido com um olhar crítico, explorando os meandros da história para extrair as reflexões que infelizmente não são entregues de maneira "fácil" ou fluída nos diálogos.

    A postura da protagonista me fez pensar na forma como olhamos os outros que "orbitam" em torno de nós e nossos sonhos individuais. É fácil perder de vista os outros e a maneira como suas vidas são influenciadas por nossas ações e atitudes. Esta talvez seja uma das grandes lições do filme, mesmo que não faça necessariamente parte da proposta inicial.

    O fato de haverem dois ou três finais pode ser reflexo de uma produção assinada por cinco roteiristas. O que não tira o valor do debate que ele proporciona.

    Uma produção muito boa, com ares de independente, mas com entrega bem profissional.

    Para noites insones em que se deseja testar a capacidade de extrair mais do que a história parece oferecer superficialmente.

    Disponível no Netflix, ao menos neste dia 22/04/2018.

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Rafael Giuliano

    Sobre as belezas ocultas!

    Gosto de filmes que me fazem pensar… E adoro ainda mais aqueles cujas reflexões revelam mais sobre as belezas ocultas aos olhos desatentos do cotidiano. Assim foi para mim a experiência de assistir (e sentir) Collateral Beauty.

    Logo na primeira cena, a perspectiva sobre as três abstrações, abordando a relação entre o amor, o tempo e a morte pode até parecer revelar toda a trama do filme, mas a graça está em descobrir o real significado de cada uma dessas dimensões da vida humana. Pois certamente são elas que, de uma maneira ou de outra, definem nossa humanidade.

    O roteiro fala sobre como desejamos o amor, ansiamos por ter mais tempo e tememos a morte. Parece tudo muito simples, até que as experiências vividas por cada um dos personagens nos mostram novas formas de ver e viver cada uma dessas dimensões, potencializando nossa existência.

    Sobre o amor, me marcou a fala da personagem Aimee Moore, interpretada por Keira Knightley, quando ela diz que o amor estava presente tanto na alegria dos momentos juntos quanto no sentimento da dor provocado pela ausência. Afinal, idealizamos de tal forma o conceito de amor que mal o reconhecemos nas suas diversas manifestações. E é extraordinário perceber o quanto nos é possível amar…

    A ideia do tempo como um presente que não pode ser desperdiçado me fez pensar na maneira como vivo e compartilho minhas próprias experiências. Mesmo durante o filme me fez questionar se eu estava plenamente presente naquele momento, afinal aquela era uma chance única de ver o filme pela primeira vez.

    E a mensagem sobre a morte, por mais dura que possa parecer é ainda tão bela quanto as outras duas, pois sua existência é o que nos faz buscar incessantemente por um significado para a vida. Talvez devêssemos agradecer, de fato, pela certeza da morte.

    Ok, reflexões filosóficas à parte, a maneira como o roteiro é construindo, revelando as conexões entre os personagens, suas histórias e lições é absolutamente simples e, por esse exato motivo, torna o filme ainda mais fantástico.

    Assistir Collateral Beauty é como ler uma boa crônica, pois ali se registra a vida, com o lirismo que viver merece ter!

    Rafael Giuliano,
    
buscando viver da mais mais intensa e intencional, todos os dias!!!

    Você precisa estar logado para comentar. Fazer login.
  • Filmow
    Filmow

    O Oscar 2017 está logo aí e teremos o nosso tradicional BOLÃO DO OSCAR FILMOW!

    Serão 3 vencedores no Bolão com prêmios da loja Chico Rei para os três participantes que mais acertarem nas categorias da premiação. (O 1º lugar vai ganhar um kit da Chico Rei com 01 camiseta + 01 caneca + 01 almofada; o 2º lugar 01 camiseta da Chico Rei; e o 3º lugar 01 almofada da Chico Rei.)

    Vem participar da brincadeira com a gente, acesse https://filmow.com/bolao-do-oscar/ para votar.
    Boa sorte! :)

    * Lembrando que faremos uma transmissão ao vivo via Facebook e Youtube da Casa Filmow na noite da cerimônia, dia 26 de fevereiro. Confirme presença no evento https://www.facebook.com/events/250416102068445/

  • Dan
    Dan

    Oi. Sim! A sua lista de favoritos <3

  • Angela Aparecida Henschel
    Angela Aparecida Henschel

    Obrigada Rafael! Bem vindo também! ;)