Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Alan Rickman

Alan Rickman

Nomes Alternativos: Alan Sidney Patrick Rickman

5595Número de Fãs

Nascimento: 21 de Fevereiro de 1946 (69 years)

Falecimento: 14 de Janeiro de 2016

Hammersmith, Londres - Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte

Alan Sidney Patrick Rickman foi um premiado ator britânico, mais conhecido pelos filmes Duro de Matar e Robin Hood: O Príncipe dos Ladrões e pelo papel de Severus Snape na saga Harry Potter.

Após terminar os estudos na RADA, Rickman trabalhou com vários grupos de repertório e de teatro experimental britânicos com peças como The Seagull e The Grass Window de Snoo Wilson no Royal Court Theatre. Participou em três ocasiões no Festival Internacional de Edimburgo. Em 1978 apresentou várias peças com o grupo Court Drama, incluindo Romeu e Julieta e A View from the Bridge. Rickman fez ainda parte da Royal Shakespeare Company (RSC).

Em 1982, teve o seu primeiro papel de relevo na televisão britânica na série The Barchester Chronicles da BBC, onde fez de Reverendo Obadiah. Em 1985 foi escolhido para interpretar o papel principal de Vicomte de Valmont na peça Les Liaisons Dangereuses da Royal Shakespeare Company.

Quando Les Liaisons Dangereuses se mudou para a Broadway em 1987, Rickman foi nomeado para os Tony Awards e para os Drama Desk Awards. Segundo Rickman, foi este o papel que fez descolar a sua carreira, uma vez que os produtores do filme Die Hard, Joel Silver e John McTiernan acharam que ele seria o ator perfeito para o papel de Hans Gruber depois de assistirem à peça.
Depois de Die Hard, Alan Rickman ganhou fama internacional e protagonizou vários filmes. Alguns dos seus papéis mais conhecidos dos anos 1990 incluem o de Coronel Brandon em Sense and Sensibility, realizado por Ang Lee e escrito por Emma Thompson e o de Jamie em Truly, Madly, Deeply, o prmeiro filme realizado por Anthony Minguella. Rickman também ganhou reputação como um dos melhores atores a interpretar vilões em Hollywood, alguns dos mais memoráveis incluem, para além de Hans Gruber, o Xerife de Nottingham em Robin Hood: Prince of Thieves de 1991, o de Rasputine no telefilme da HBO baseado na vida do famoso monge russo e, mais recentemente o do professor Severus Snape na saga Harry Potter (2001-2011). Apesar dessa fama, Alan Rickman diz que não interpreta vilões, apenas pessoas "muito interessantes" e não gosta de ser associado apenas a esse tipo de papel.

Alan já interpretou alguns papéis cómicos na sua carreira que incluem o de Sir Alexander Dane/ Dr. Lazarus, o ator britânico reputado que é mais conhecido pelo seu papel numa série "nerd" do que pelo seu trabalho de prestígio no palco em Galaxy Quest; o de anjo Metraton, a voz de Deus, em Dogma; o marido insensato da personagem de Emma Thompson em Love Actually; a voz de Marvin, o Robot Paranóico em The Hitchhiker's Guide to the Galaxy o pai egoísta e laureado com o prémio Nobel em Nobel Son.

Alan foi bastante elogiado por dois papéis biográficos que interpretou em produções da HBO. Venceu um Globo de Ouro e um Emmy pelo seu desempenho como Rasputine em Rasputin: Dark Servant of Destiny de 1996 e foi nomeado para um Emmy pelo seu desempenho como Dr. Alfred Blalock no telefilme Something the Lord Made de 2004. A sua carreira inclui ainda filmes independentes como Snow Cake (com Sigourney Weaver e Carrie-Anne Moss) que estreou no Festival de Cinema de Berlim e Perfume: The Story of a Murderer.

Em 2007, Alan participou no filme Sweeney Todd: The Demon Barber of Fleet Street, realizado por Tim Burton e bastante elogiado pela crítica. No filme, Alan interpreta o papel de Juiz Turpin (mais uma vez, o vilão). Alan reuniu-se com Tim Burton em 2010 com o filme Alice in Wonderland, onde emprestou a voz à Lagarta Azul.

Desde 2011, os filmes mais relevantes de Alan Rickman incluem: Gambit, com argumento de Joel e Ethan Cohen e com Colin Firth e Cameron Diaz no elenco; The Butler, onde interpreta o papel de Ronald Reagan e CBGB que retrata a cena punk-rock de Nova Iorque dos anos 1970 e que o reuniu com Rupert Grint.

Apesar do seu sucesso no cinema, Alan Rickman nunca deixou o teatro. Em 1998 fez o papel de Marco António em Anthony and Cleopatra no Royal National Theatre. Helen Mirren fez o papel de Cleópatra.

Em 2000 participou no Victoria Wood with All the Trimmings, um espetáculo especial de Natal de Victoria Wood, onde representou o papel de um coronel envelhecido na batalha de Waterloo que se vê forçado a romper a sua relação com a personagem de Honeysuckle Weeks.

Em 2001 estreou a peça Private Lives, uma comédia romântica do dramaturgo Noël Coward no Albery Theatre em Londres. Rickman representou o papel do protagonista, Elyot. A peça foi um grande sucesso e foi transferida para a Broadway onde esteve em cena até setembro de 2002. Private Lives venceu 3 prémios Olivier e 3 Tony.

Em 2011 regressou à Broadway com Seminar, uma peça original de Theresa Rebeck. A peça valeu-lhe o prémio do público de Melhor Ator do site broadway.com e uma nomeação para os Drama League Awardskman realizou dois filmes na sua carreira: The Winter Guest, protagonizado por Emma Thompson e pela sua mãe Phyllida Law em 1997 e A Little Chaos com Kate Winslet, Stanley Tucci e o próprio Rickman em 2015.

No teatro encenou Creditors de August Strindberg. A peça estreou em 2008 no Donmar Warehouse em Londres e foi transferida para o Brooklyn Academy of Music em Nova Iorque em 2010. Tom Burke, Anna Chancelor e Owen Teale foram os atores.

Faleceu aos 69 anos após lutar contra um câncer.