Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > Jean Marais
12Número de Fãs

Nascimento: 11 de Dezembro de 1913 (84 years)

Falecimento: 8 de Dezembro de 1998

Cherbourg - França

Jean-Alfred Villain-Marais (Pronúncia francesa: [ʒɑ̃ maʁɛ]; 11 de dezembro de 1913 – 8 de novembro de 1998),mais conhecido como "Jean Marais", foi um ator e diretor francês.

Jean Marais nasceu em Cherbourg, França. Ficou conhecido por estrelar muitos filmes dirigidos por Jean Cocteau, seu amante e grande amigo por muito tempo. Dentre os mais famosos destacam-se Beauty and the Beast (1946) e Orphée (1949). Marais interpretou cerca de 100 personagens em filmes de cinema e televisão. Também escreveu, pintou e esculpiu 1 .

Na década de 1950, Marais protagonizou muitos filmes de capa e espada, angariando grande popularidade na França. Ele mesmo fazia as cenas de ação que normalmente ficariam a cargo de dublês. Na década seguinte, ele interpretou o famoso vilão Fantômas em uma trilogia de cinema iniciada em 1964. Em 1963, foi jurado do Terceiro Festival Internacional de Cinema de Moscou 2 .

Após a década de 1970, os trabalhos de Marais no cinema rarearam, com ele preferindo atuar no teatro. Manteve-se ativo nos palcos até os oitenta anos, quando então fez trabalhos também como escultor. A escultura "Le passe muraille" pode ser apreciada no bairro parisiense de Montmatre. Em 1985, ele liderou o juri do 35º Festival Internacional de Berlim 3 .

Em 1995 protagonizou o documentário "Screening at the Majestic", que foi incluido no DVD de 2003 do filme restaurado Beauty and the Beast.4 Marais aparece na capa do disco de The Smiths, This Charming Man.

Marais morreu de doença cardiovascular em Cannes, Alpes-Maritimes. Foi sepultado no Cemitério Vallauris.

Jean Marais foi casado durante a Segunda Guerra Mundial com a atriz Mila Parély. O divórcio aconteceu após dois anos 5 . Marais era homossexual e se tornou a inspiração e amante de Jean Cocteau, até a morte dele 6 . Marais homenageou Cocteau com o texto L'Inconcevable Jean Cocteau, atribuindo a autoria a "Cocteau-Marais". Também foi autor de autobiografia, a qual deu o título de L'Histoires de ma vie, publicada em 1975.