Este site usa cookies para oferecer a melhor experiência possível. Ao navegar em nosso site, você concorda com o uso de cookies.

Se você precisar de mais informações e / ou não quiser que os cookies sejam colocados ao usar o site, visite a página da Política de Privacidade.

    Você está em
  1. > Home
  2. > Artistas
  3. > David Attenborough

David Attenborough

Nomes Alternativos: Sir David Frederick Attenborough

126Número de Fãs

Nascimento: 8 de Maio de 1926 (92 years)

Londres - Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte

Sir David Frederick Attenboroughé um naturalista britânico.
Sua carreira representa a voz e a face dos programas sobre história natural nos últimos 57 anos. Seus inúmeros trabalhos foram feitos para a rede britânica de televisão BBC, da qual foi diretor de 1965 a 1972.

Filho de Frederick Levi Attenborough, diretor da Universidade de Leicester, cresceu na casa do campus. Era filho do meio de três irmãos: o mais velho, Sir Richard Samuel Attenborough (diretor e ator de filmes de cinema) e o mais novo John Michael Attenborough. Durante a Segunda Guerra Mundial, foram adotadas mais duas meninas judias refugiadas, que com a mãe, Mary Clegg, formavam a família Attenborough.
Attenborough passou a infância colecionando fósseis e pedras. Recebeu um grande incentivo nessa caçada aos sete anos, quando a então jovem Jacquetta Hawkes admirou sua coleção. Alguns anos mais tarde, uma de suas irmãs lhe deu de presente um âmbar envolvendo uma criatura fossilizada, que mais tarde ele usaria como foco em um de seus programas.
David estudou na Wyggeston Grammar School for Boys, em Leicester, e se formou em ciências naturais na Universidade de Cambridge. Ele continuou seus estudos no London School of Economics, onde se formou em antropologia entre os anos de 1944 e 1946. Serviu à Marinha Real em 1947, em Gales do Norte, durante seus dois anos de serviço.
No dia 17 de fevereiro de 1950 casou-se com Jane Elizabeth Ebsworth Oriel, com quem viveu até a morte desta por derrame, em 16 de fevereiro de 1997. O casal teve dois filhos, Susan e Robert.

Depois de sair da Marinha, Attenborough foi contratado por uma editora e lá escreveu livros escolares sobre ciência. Contudo, logo ele se desiludiu com o trabalho e tentou buscar uma outra oportunidade de vida. Em 1950, aplicou-se para um trabalho como produtor de rádio na BBC. Embora tenha sido rejeitado para este trabalho, seu currículo atraiu o interesse de Mary Adams, chefe de departamento da BBC. Attenborough, como a maioria dos britânicos na época, não possuía televisão e só havia assistido um programa televisivo até então. No entanto, ele aceitou a oferta de Adams para três meses de treinamento e, em 1952, ele se juntou a BBC definitivamente. Inicialmente desanimado de aparecer diante das câmeras porque Adams pensou que seus dentes eram grandes demais, ele se tornou produtor para o Talks Department, que realizou todas as transmissões de não-ficção. Seus primeiros projetos incluíram o programa de perguntas "Animal, Vegetal or Mineral?" e "Song Hunter", uma série sobre música popular apresentada por Alan Lomax.
A associação de Attenborough com programas de História Natural quando produziu e apresentou uma série de três partes chamada “The Pattern of Animals”. Falava sobre os animais do jardim zoológico de Londres, com o naturalista Sir Julian Huxley, e discute temas como a camuflagem, aposematismo e outros mecanismos de defesa animal. Por causa desse programa, David Attenborough, junto do curador da casa de répteis do jardim zoológico Jack Lester, decidiu realizar uma série chamada “Zoo Quest”, com a primeira transmissão em 1954.
Em 1957, a BBC Natural History Unit foi formalmente criada em Bristol. Attenborough foi convidado a participar, mas recusou, não querendo se mudar de Londres, onde ele e sua jovem família já estavam estabelecidos. Ao contrário, ele formou seu próprio departamento, a Travel and Exploration Unit, o que lhe permitiu continuar a frente de Zoo Quest, bem como produzir outros documentários, como "Travellers’ Tales" e "Adventure".
No início de 1960, Attenborough se desligou do quadro permanente da BBC para realizar uma pós-graduação em Antropologia Social na London School of Economics, intercalando seu estudo com as filmagens. No entanto, ele aceitou um convite para voltar à BBC como diretor da BBC 2 antes que pudesse terminar o grau.

A principal série sobre a vida no planeta foi a trilogia formada por: Life on Earth (1979), The Living Planet (1984) e The Trials of Life (1990). Esses examinam, respectivamente, a taxonomia e filogenia, a ecologia e os estágios da vida.
Em adição a essa trilogia, Sir David escreveu e apresentou documentários mais especializados, incluindo: "Life in the Freezer" (1993), "The Private Life of Plants" (1995),"The Life of Birds" (1998), "The Life of Mammals" (2002), "Life in the Undergrowth" (2005) e "Life in Cold Blood" (2008). A série "Life", como é conhecida o conjunto de todas as séries mencionadas anteriormente, dispõe de 79 programas no total.
Attenborough também tem escrito e apresentadas outras produções fora da série "Life". Um dos primeiros depois de seu retorno aos programa foi "The Tribal Eye" (1975), o que lhe permitiu expandir o seu interesse pela arte tribal. Outros incluem "The First Eden" (1987), sobre a relação do homem com o habitat natural do Mediterrâneo, e "Lost Worlds, Vanished Lives" (1989), que demonstrou a paixão de Attenborough por descobrir fósseis. Em 2000, a série "State of the Planet" analisou a crise ambiental que ameaça a ecologia da Terra. O naturalista também narrou duas outras séries significativas: "The Blue Planet" (2001) e "Planet Earth" (2006). Este último foi a primeira série de história natural a ser feita inteiramente em alta definição.
Em maio-junho de 2006, a BBC transmitiu a série de dois capítulos denominada "Climate Chaos", que aborda o tema aquecimento global. Em "Are We Changing Planet Earth?" e "Can We Save Planet Earth?", Attenborough investigou o assunto e apresentou algumas soluções potenciais. Ele retornou para os locais de algumas das suas produções anteriores e descobriu o efeito que a mudança climática teve sobre eles.
Em 2007, Attenborough apresentou "Sharing Planet Earth", o primeiro programa de uma série de documentários intitulada "Saving Planet Earth". Mais uma vez ele usou imagens de sua série anterior para ilustrar o impacto que a humanidade tem tido sobre o planeta. "Sharing Planet Earth" foi transmitido em 24 de junho de 2007.
"Life in Cold Blood" é a última grande série de Attenborough. Em uma entrevista para promovê-la, ele declarou:
A história evolutiva está terminada. A viagem está completa. Se você me perguntasse há 20 anos se nós estaríamos concluindo uma tarefa tão gigantesca, eu teria dito "Não seja ridículo". Estes programas contam uma história particular e tenho certeza que outros irão aparecer e contá-la muito melhor do que eu consegui, mas espero que se as pessoas a assistam daqui a 50 anos, ela ainda tenha algo a dizer sobre o mundo que vivo
No entanto, em entrevistas posteriores na "Radio Times", "Parkinson" e em "Friday Night with Jonathan Ross", ele disse que não pretende aposentar-se completamente e, provavelmente, continuará a fazer programas ocasionais.
Seu documentário seguinte, "Charles Darwin and the Tree of Life" (que analisa o desenvolvimento da teoria da evolução de Darwin), foi transmitido em 1 de fevereiro de 2009. Attenborough trabalhou como narrador também em "Nature's Great Events", uma série de seis partes transmitida em fevereiro de 2009 na BBC One e BBC HD. Também narrou e escreveu o documentário "Uncovering Our Earliest Ancestor: The Link", sobre o fóssil da espécie de primata recém-descoberta Darwinius masillae.
Ainda em 2009, a série de 10 capítulos escrita e narrada por Sir David Attenborough intitulada "Life" irá ao ar no Reino Unido. Com estreia marcada para 2011, a série de seis capítulos "The Frozen Planet" está sendo escrita e narrada por Attenborough.